sexta-feira, 31 de julho de 2009

Bettencourt: «Há erros que não voltarão a cometer-se»




José Eduardo Bettencourt recordou esta manhã, a propósito da morte de Bobby Robson, o que considerou o erro histórico do despedimento do treinador inglês, em 1993/94, quando este liderava o campeonato.
O presidente do Sporting reconheceu que a precipitação do passado deve servir de lição para o presente, saindo desta forma em defesa da estabilidade do grupo liderado por Paulo Bento.
"O Sporting já teve várias vezes erros complicados a esse nível. O senhor Bölöni teve 7 primeiras jornadas com lenços brancos em Alvalade e foi campeão nacional. Já houve muitos anos de precipitação e mesmo o próprio Paulo Bento já experimentou situações muito desagradáveis e no final as coisas recompuseram-se. Há erros que não voltarão a cometer-se", prometeu o líder leonino, à margem do treino matinal da equipa, realizado no Estádio José Alvalade.
O líder sportinguista fez questão de apresentar as condolências à família e à federação inglesa de futebol pelo desaparecimento, aos 76 anos, de Bobby Robson. "É um grande pesar. Ele foi um grande desportista e homem do futebol, reconhecido internacionalmente, uma figura, para além do mais, muito simpática. O Sporting transmite as suas condolências à família e à federação inglesa", disse.

Fonte: Record

quinta-feira, 30 de julho de 2009

Futebol de Gabinete

Mudar o Futebol

Dizem que, com as crises, as desigualdades económicas e, consequentemente, as sociais são agravadas. Olhando para o futebol, verificamos que essas desigualdades parecem ser agravadas cada vez mais e, no entanto, é uma indústria que parece não atravessar qualquer crise. Pensamos: como será possível? A verdade é que está provado que a indústria do futebol pouco foi afectada com esta crise financeira, pelo menos ao olharmos para os chamados “gigantes”. Isto significa que, em grande parte, as instituições de crédito continuam a acreditar nas rentabilidades desta indústria, disponibilizando e abdicando de grandes verbas ao serviço dos clubes. Uma coisa é óbvia! As aclamadas vantagens do capitalismo não chegaram a todos os clubes, o que contribuiu para agravar a “factura” dos mais pequenos face aos grandes que conseguem crédito fácil junto das instituições. Reflectindo neste assunto, é certo e assumimo-lo que, em Estados abertos à livre circulação de pessoas, bens e capitais, a economia impera e dita as condições produtivas e distributivas vigentes nos diferentes países mas, no entanto, não sou da opinião de que isso deva vigorar no desporto em geral e no futebol em particular.
Consequentemente, sou da opinião de que deveriam ser tomadas as medidas necessárias de forma a promover maior igualdade de oportunidades no futebol e, dessa forma, pudessem sobressair novos clubes todos anos, para além de que (e não tenho quaisquer dúvidas) seriam premiadas as instituições que formassem jovens nacionais de qualidade e com o devido benefício para o incentivo ao desporto no país e para o rejuvenescimento das selecções nacionais. Tomando como exemplo um clube português, tenho poucas dúvidas de que, impostas restrições e preços base para saídas de jogadores formados “em casa”, o Sporting era hoje um clube com outra visibilidade e um dos principais clubes europeus. Deixo então três sugestões muito gerais aos responsáveis máximos do futebol, ideias que obviamente necessitariam de legislação adequada de suporte, mas que deixo ao critério de quem faz decretos:

1. Adoptar um mínimo de jogadores nacionais a alinhar de início e, pelo menos, até ao fim dos primeiros 45 minutos (8 nacionais + 3 estrangeiros);

2. Escalões de tributação sobre transferências de nacionais a clubes estrangeiros com facturação superior a x milhões de euros (Exemplo: um clube grande ao pretender adquirir um atleta estrangeiro a um clube de menor dimensão, pagaria cerca de 30% dos resultados líquidos desse ano ao clube vendedor e um imposto de 10% a reverter para o clube de formação desse jogador);

3. Estabelecimento de uma idade mínima para a saída de um jogador nacional em direcção a um clube estrangeiro com um volume de negócios superior a y. Caso saia antes da idade estipulada, o comprador seria taxado a 50% dos resultados do exercício, para além do valor do passe do atleta.

Jorge Manuel Honório

Braga perde (1-2) e compromete passagem à próxima fase



O Sporting Braga perdeu (2-1) esta quinta-feira com o Elfsborg, na primeira «mão» da terceira pré-eliminatória da Liga Europa, derrota que marca também a estreia de Domingos Paciência no comando técnico dos minhotos.
O Elfsborg entrou muito disciplinado, anulando as iniciativas ofensivas do Sp. Braga e aproveitando o desacerto inicial dos minhotos para criar perigo junto à baliza de Eduardo. A equipa orienta por Domingos Paciência só acordou depois de ficar em desvantagem no marcador – golo de Danielson aos 15 minutos - e podia mesmo ter chegado ao intervalo a vencer mas Paulo César (28m) e Alan (39m) não conseguiram bater o guarda-redes Civic e Frechaut atirou para fora quando tinha tudo para marcar.
Os arsenalistas mantiveram a toada ofensiva na segunda parte e acabaram por chegar ao golo por intermédio de Meyong (49m) na transformação de uma grande penalidade que castigou falta sobre Alan. Meyong (51 e 59m) voltou a incomodar Covic mas foram os suecos que mexeram novamente com o marcador, com Bajrami (73m) a marcar após um grande remate de fora da área. As substituições não trouxeram melhorias ao jogo do Sp. Braga, que acabou por não conseguir criar situações que justiçassem um outro resultado.
Os minhotos partem com uma complicada desvantagem para o jogo da segunda «mão» na Suécia, marcado para o próximo dia 6 de Agosto.

Recorde aqui os principais lances da partida.

Fonte: a Bola

Expert da Bola

Vamos-lhe apresentar o artigo de opinião de Francisco Lopes, vencedor da rubrica "desafio difícil" da semana passada.

Será que o futebol português está cada vez mais podre?

Será esta uma pergunta nova, ou uma pergunta que se tem arrastado já há algum tempo para cá? Sim, a pergunta não é nova, a situação do nosso futebol também não o é, e sinceramente está cada vez pior.
O futebol que eu falo feliz e infelizmente, simultaneamente, não é o futebol jogado, que apesar de não ter evoluído não tem ficado assim tão pior do que era há uns anos atrás. O futebol que eu falo é todo aquele que se realiza tanto antes com pós jogo. É a mesquinhes, é a trafulhice, é a falta de escrúpulos e em muitos, muitos casos situações ilícitas que pouco dignificam o futebol.
Não irei falar em ninguém em especial, pois tanto, nos clubes rivais como no clube de que sou adepto creio que há situações que pouco dignificam o nosso futebol.
Casos de fruta e chocolate, luta de cervejas, acusações mútuas são o prato do dia. Até pode parecer que estou a reinar um pouco com a situação, mas o facto é que os dirigentes que temos ou são corruptos, ou extremamente burros e incompetentes. Mesmo assim prefiro a burrice de alguns, do que saber que a fruta impera no meu clube, mas isso não interessa.
A incompetência não se faz sentir só a nível dos dirigentes de clubes, também existe e muita nos órgãos que dirigem e gerem o futebol português, há muita lentidão e muita falta de bom senso.
O jornalismo vai de mal a pior, inventa, denigre e é tendencioso…enfim.
O mais recente caso do título de juniores, espelha na perfeição aquilo que venho a referir durante este texto. Comecemos pelo local escolhido, muitos reiteram, eu reafirmo: não havia condições para um jogo daqueles naquele local, os homens destacados para assegurarem a protecção de quem assistia ao jogo era pouca. Depois já sabemos como são certos adeptos (claques) uns com os outros, não ponho as minhas mãos no fogo por nenhum dos grupos, e afirmo mesmo que não saberei quem iniciou a remessa de pedras, podem até nem ter sido os da equipa visitante…ou então porque é que o clube visitado não fornece os vídeos de vigilância.
Uma das maiores incompetências é a jornalística, que tem constantemente crucificado o SLB, vindo até num sitio desportivo a seguinte frase: “Se quiser ser campeão, invada o campo”, ora se assim é então quem devia ser campeão seria o SCP, já que foram os adeptos de casa a invadir o relvado…é ridículo. O presidente desse mesmo clube tem sido o mais ridículo de todos, primeiro aos beijos a um membro lá da claque dele, depois a comentar todos os acontecimentos do clube da Luz, e agora mais recentemente no seu twitter cheio de pontapés na gramática. Nisto realço, o presidente do clube da Luz veio comentar, criticar ou falar sequer do SCP nos últimos tempos??? Não. Há que ser tomada uma postura por parte do Benfica, mas sobre o assunto certo na hora certa.
Depois temos a decisão dos órgãos superiores…porque foi tão tardia? Porque não foram mais salomónicos ainda e não atribuíam o título a ninguém? Não seria essa a solução mais viável? A repetir-se o jogo teria que ser logo a seguir aos confrontos, mas não o foi e daí este caso é selado por uma cadeia de burrice e incompetência….
E assim vai o nosso futebol.

Francisco Lopes

Júlio César certo na Luz




O Benfica e o Belenenses chegaram esta tarde a acordo para a transferência de Júlio César, guarda-redes azul, para a Luz. O negócio vai render ao clube do Restelo cerca de 500 mil euros, verba que a direcção presidida por Viana de Carvalho considera positiva face ao facto de os azuis deterem apenas uma percentagem do passe do guarda-redes. Além do acordo para a cedência dos direitos desportivos de Júlio César, Belenenses e Benfica acordaram que o médio brasileiro Felipe Bastos será emprestado aos azuis por uma temporada. No ar ficou ainda a possibilidade de outros jogadores rumarem ao Restelo.


Fonte: a Bola

Hugo Viana ruma a Braga




Esquerdino chega cedido pelos espanhóis do Valência. Deve assistir ao jogo com o Elfsborg, mas antes será apresentado aos adeptos. Hugo Viana vai ser jogador do Sp. Braga até final da temporada. O jogador chega ao Minho cedido pelos espanhóis do Valência e esta noite já deverá estar presente no Estádio AXA, para assistir ao jogo com os suecos do Elfsborg, relativo à terceira pré-eliminatória da Liga Europa.Tal como A BOLA tinha adiantado segunda-feira, os bracarenses estavam dispostos a receber Hugo Viana, de 26 anos, mas para isso ser possível o jogador teria de chegar a um acordo com o emblema espanhol, com quem tem contrato até 2011.O entendimento não terá sido difícil e, ontem, as partes acertaram a cedência. Ficou ainda estabelecido que o Valência iria assegura a maior parte do salário do esquerdino, pagando cerca de 900 mil euros por ano, enquanto que os minhotos adiantam perto de 200 mil euros.

Fonte: a Bola

Galeria D´arte

Para muitos o de Maradona, para outros o de Messi, para outros ainda de Ibrahimovic, para nós aqui fica com certeza um dos maiores golos de sempre no Mundo do futebol. Lance pertencente ao central veterano Simone Loria, que representou a Roma na época transacta...



Não se esqueça, comente....

quarta-feira, 29 de julho de 2009

Nem arte nem engenho para "galgar dique" Holandês



O Sporting empatou esta noite, a zero, na recepção aos Holandeses do Twente, em jogo a contar para a terceira pré-eliminatória de acesso à Liga dos Campeões. Num jogo em que o Sporting dispôs de uma grande penalidade (minuto 20), não soube também aproveitar o facto do adversário ter ficado reduzido a dez jogadores, nesse mesmo lance. Uma noite em que o Sporting se mostrou muito rematador, coube ao Twente a grande oportunidade de golo do encontro, já em cima do final do tempo de desconto dado pelo árbitro. Os leões desperdiçaram assim uma óptima oportunidade de se colocarem em vantagem na eliminatória.
Desenganem-se aqueles que esperavam uma noite tranquila para o Sporting e que isso correspondesse a uma vitória descansada. Os Holandeses confirmaram aquilo que já tinham demonstrado na semana passada na apresentação do Braga, quando ganharam por uma bola à turma Arsenalista. Uma equipa muito organizada e compacta, que não conta com grandes nomes do futebol mundial, mas que faz da equipa o seu ponto forte. De acrescentar, que o seu treinador (Steven Mclaren) trata-se de um experiente Inglês, que conta com passagens por Man. Utd., como adjunto de Fergunson, e Selecção Inglesa (treinador principal e adjunto de Eriksson).
O Twente fez jus ao facto de ter sido a equipa sensação do último campeonato Holandês, sendo uma enorme surpresa e entrando no Alvalade XXI de rompante. Foi uma entrada forte dos "vermelhos", a disporem de uma oportunidade de golo logo na primeira jogada do encontro. Uma boa jogada de Stoch, que foi um diabo à solta nos minutos iniciais, aproveitando a falta de velocidade de Caneira, para perfurar a defesa leonina. Aliás o lado esquerdo da defesa do Sporting, foi o mais explorado pelo Twente, nesta fase inicial.
O Sporting demorou cerca de 20 minutos a entrar no encontro, e a recompor-se do impacto causado pelos rápidos e pressionantes jogadores do Twente. Foi por essa altura, que surgiu um primeiro remate de Miguel Veloso, a dar sinal de reacção. Logo de seguida o momento do jogo, um lance fortuito, a oferecer ao Sporting a oportunidade de converter uma grande penalidade (cometida sobre Postiga), e de jogar os restantes 70 minutos com mais um jogador em campo, por expulsão do Guarda-redes adversário (Boschker). Uma excelente ocasião de o Sporting ganhar vantagem na eliminatória e poder dilatar ainda mais o resultado, daí para a frente. Mas essa oportunidade viria a ser falhada pelo capitão leonino, João Moutinho.
A partir daqui, o Twente arrumou-se, compactou-se na retaguarda e abdicou praticamente de atacar. O Sporting ia tentando encontrar o caminho da baliza adversária, mas com muito pouca dinâmica. Foram escassas as oportunidades para alvejar a baliza, e o maior lance de perigo saiu mesmo da cabeça do central do Twente (Rajkovic), jogador emprestado pelo Chelsea que quase traiu o seu Guarda-Redes com um atraso para a sua baliza. O jogo seguiu neste ritmo até ao intervalo.
Na segunda parte, mais do mesmo, e raramente se viu os Holandeses em missões ofensivas. Paulo Bento arriscou (tarde), fazendo entrar Pereirinha para a lateral, tirando Caneira, que apenas defendia e mal. Uma alteração que se justificava a partir do momento da expulsão. O Sporting foi carregando, mas sempre com pouca cabeça, explorando demasiado o centro do terreno (que se encontrava fechado), e não aproveitando as faixas do terreno. Aos 60 minutos de jogo os "leões" já faziam denotar imenso nervosismo, vendo-se algumas vezes ambos os seus centrais a rematar sem nexo, a mais de 30 metros da baliza. O Sporting continuou muito rematador (cerca de 20 remates em toda a partida), mas nunca conseguindo faze-lo dentro da área adversária.
Com o aproximar do fim do jogou, Paulo Bento, com poucas soluções no banco, fez sair, estranhamente, Vukcevic do encontro. O Sporting começava a cruzar mais bolas para a área, onde estava em desvantagem com os defesas Holandeses. Douglas e Mihaylov (guarda-redes emprestado pelo Liverpool, que entrou após a expulsão do titular), foram os esteios da defesa do Twente, mostrando-se quase sempre intransponíveis. Salvo excepção, para um lance já perto do fim do jogo, em que Liedson (muito discreto esta noite) encontrou espaço na área, mas o desvio não foi suficiente para desfeitear o guardião Búlgaro.
O Sporting que jogou quase sempre no seu meio-campo ofensivo, não conseguia aproveitar a oportunidade de viajar com vantagem até a Holanda, e ao minuto 93, viu N´kufo desperdiçar a melhor oportunidade do encontro, após o avançado ter surgido isolado na área leonina e ter ultrapassado inclusive Rui Patrício, atirando depois às malhas laterais.
O jogo culminou com a decepção dos jogadores e adeptos leoninos a "pairar no ar", sentindo que, hoje, complicaram a eliminatória. O Sporting vai ter assim uma missão difícil, mas nada impossível, para a semana na Holanda, perante uma equipa do Twente, muito unida e veloz.

João Vasco Nunes

Vit.Setubal empata (2-2) com o Carregado

Pedro Dionísio marca golo que dá empate à equipa Ribatejana



O V. Setúbal empatou ontem à noite ante o Carregado, mas a igualdade não reflete o bom desempenho dos sadinos na primeira parte de 30 minutos - o jogo foi disputado em três períodos. O onze inicial apresentado por Carlos Azenha praticou um futebol agradável, com princípios de jogo e velocidade de execução. O Vitória chegou, assim, facilmente ao 2-0, sem que o Carregado criasse perigo. No segundo período, com a entrada de nove novos jogadores, os processos ofensivos mantiveram-se, mas no último período o Carregado aproveitou a desconcentração de alguns elementos à experiência no plantel sadino para conseguir um empate algo enganador.
De salientar, que o tento da igualdade foi obtido por Pedro Silva (mais conhecido por Dionísio), jovem futebolista Cartaxeiro, que é amigo da administração do livredirecto, e que já tivemos o prazer de o receber como convidado da rubrica "Tribuna VIP".
Ao Pedro os votos de uma grande época desportiva!!!

Ler aqui a crónica escrita pelo craque do Carregado.

Desafio Difícil

Esta semana vai ter que nos dizer, qual o único jogador da história do Athletic, sem ser Basco, que lhe foi concedida uma autorização especial para poder jogar pelo Bilbao?



Já sabe, acerte e pode escrever um artigo para o nosso blog, a publicar todas as quintas na rubrica "Expert da Bola"...

terça-feira, 28 de julho de 2009

Keirrison já está confirmado no Benfica

Há mais um reforço para Jorge Jesus. Keirrison vai jogar na temporada 2009/10 no Benfica por empréstimo do Barcelona. A apresentação do jogador brasileiro está prevista para as 20 horas.

Fonte: Record

Agente de Keirrison admite "novidades até ao final da tarde"



Marcos Malaquias, empresário de Keirrison, confirmou à Lusa que está a desenvolver contactos com Rui Costa, no sentido do jogador brasileiro contratado pelo Barcelona vir a jogar na Luz por empréstimo.
"Estamos em negociações e vamos conversar agora de tarde. Veremos se há novidades ao final da tarde", disse à Lusa Marcos Malaquias.
O Barcelona contratou Keirrison, de 20 anos, ao Palmeiras por 14 milhões de euros, mas Guardiola, treinador da equipa catalã, já adiantou que vai ser emprestado.
Keirrison foi o melhor marcador do campeonato brasileiro em 2008, então ainda ao serviço do Coritiba, com 20 golos em 31 jogos. Em janeiro deste ano o jogador transferiu-se para o Palmeiras.

Fonte: Record

Pérolas do FM

Esta semana vamos mostrar-vos, uma das grandes revelações do cm 01/02. Jogador polivalente, que de certeza passou pela equipa de todos os "viciados" no CM. O seu nome é Julius...



Deliciem-se e comentem

segunda-feira, 27 de julho de 2009

BRASILEIRO HULK BISA NA VITÓRIA SOBRE O LYON (2-0)



O FC Porto estreou-se da melhor forma no torneio Peace Cup ao bater (2-0) os franceses do Lyon. O brasileiro Hulk foi a grande figura da equipa comandada por Jesualdo Ferreira ao apontar os dois golos da partida, aos 9 e 75 minutos. Desta forma, basta um empate com o Besiktas, na quarta-feira, para os dragões garantirem a presença nas meias-finais da competição que tem lugar no sul de Espanha.

Ver ficha de jogo aqui.

Fonte: Record

César Peixoto pretende deixar Braga




César Peixoto quer deixar o Sp. Braga e disso já deu conta aos responsáveis pelo emblema minhoto.O jogador pretende dar o "salto" na carreira e disso mesmo sabem quer os dirigentes benfiquistas, quer Jorge Jesus que, em conjunto, estão a estar todas as hipóteses em cima da mesa.
Os encarnados estão atentos às movimentações de mercado, no que diz respeito a um médio com características mais ofensivas e, neste campo, César Peixoto, de 29 anos, preenche os requisitos pretendidos.
Jorge Jesus, recorde-se, gosta particularmente do jogador, com quem já trabalhou no Sp. Braga. A situação está a ser analisada pela SAD encarnada.


Fonte: Record

Canto Curto

“O que conta é como acaba, não como começa”

Pois é, este lema bem “esverdeado”, cada vez se aplica mais na linguística dos adeptos do futebol. E no que toca ao Benfica tem sempre algo de verdadeiro, as euforias já são imensas, e no outro lado da “estrada”, como as coisas não correm às mil maravilhas, esta pré-época, já se começa a entoar o adágio do costume.
O Benfica vive um momento próspero, típico do inicio de época, onde já faz manchetes nos jornais nacionais, às outrora, grandes conquistas Europeias. Para além de isto mexer com os adeptos benfiquistas, mexe também com os adversários, que começam a sentir algum temor.
Certo é que se o Benfica, na visão dos seus adeptos, já atinge um elevado nível de jogo, já está a jogar “à campeão” e possui inúmeras alternativas de qualidade, é no mínimo estranho o facto de se veicular na imprensa imensos nomes, para outras tantas posições.
São constantes as mexidas no plantel benfiquista anunciadas pelos jornais, ora a saída de Luisão, ora a dispensa de jogadores como Urreta que há meses era inegociável, ora ainda o vasto leque de posições a preencher no mercado, e isso nada de benéfico é, para uma equipa que se aproxima cada vez mais de iniciar a competição. O plantel precisa de estabilidade, e isto não traz nenhuma. Com esta situação, muitos jogadores poderão acusar pressão, e ficar inseguros quanto ao seu lugar no plantel. Exactamente o que se passa na baliza, onde à vista de Jorge Jesus, o Benfica ainda não possui um titular. Esta indefinição, poderá originar uma má colheita, daqui a uns meses.
Do outro lado da contenda, entenda-se “estrada”, o panorama é oposto, há muito que se apregoa o papel da “continuidade” e o exemplo Man. Utd. (Alex Fergunson). Na minha visão, a continuidade de um plantel é bastante positiva, de uma equipa técnica idem idem, mas há que entender que essa continuidade é lucrativa, quando se ganha, ou seja, quando em anos anteriores, essas mesmas “personagens” que dão sentido à “continuidade”, foram vitoriosas. Exactamente o que não aconteceu no Sporting. E há que perceber ainda, que quando já existiam problemas e grandes lacunas, a tal “continuidade”, nada mais faz que, deixar que essas lacunas por lá continuem!
Atenção, o calendário do Sporting entra a doer já esta semana, esperando eu como Português que sou (e como todos o deveriam esperar), que algo mude, nos resultados obtidos pelo Sporting esta pré-época.

João Vasco Nunes

domingo, 26 de julho de 2009

Trinco Esquerdo




André Amante

Benfica triunfa na Holanda




O Benfica conquistou o Torneio de Amesterdão depois de bater os anfitriões do Ajax por 3-2. Aissati (8m p.b.), Di Maria (30m) e David Luiz mexeram o marcador a favor dos encarnados. Donald (44m) e Rommedhal (78m) marcaram para os holandeses.

O Benfica é a primeira equipa portuguesa a conquistar o Torneio de Amesterdão naquele que foi um dos mais sérios testes dos encarnados nesta pré-época. A equipa orientada por Jorge Jesus mostrou alguma desorientação defensiva mas uma grande capacidade ofensiva.


Ver aqui ficha de jogo.


Fonte: a Bola

Caicedo no Sporting... a tempo da Champions




O Manchester City empresta Felipe Caicedo ao Sporting a custo zero. O clube português, que já confirmou a transferência, por uma época desportiva, à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários, pode contar com o internacional equatoriano para a Liga dos Campeões. A cedência fixa uma opção de compra em 9,9 milhões de euros. «Foi estabelecida uma opção a favor da Sporting, SAD para aquisição definitiva dos direitos desportivos do jogador Felipe Caicedo pelo montante de 8,6 milhões de libras (cerca de 9,975 milhões de euros)», lê-se no documento enviado à CMVM. Caicedo, cuja «cedência não implicou o pagamento de qualquer montante ao clube inglês», lê-se ainda, é agora opção para os jogos com o Twente, da Holanda, a 29 de Julho e a 4 de Agosto, a contar a terceira pré-eliminatória da Liga dos Campeões.


Fonte: a Bola

quinta-feira, 23 de julho de 2009

Futebol de Gabinete

Adepto Vs Investidor

Terça, 21 de Julho de 2009 e Benfica derrotado em casa pelo Atlético de Madrid. Sobre as conclusões do jogo, apraz pensar na questão: derrota mas ânimo ou derrota e desânimo?
À primeira vista e, posteriormente, ouvindo o treinador Jesus, os adeptos à saída do estádio e os media, o Benfica apresentou um futebol delicioso, bem jogado e com “fio de jogo” e onde o principal problema esteve na imaturidade e desconcentração da “juventude” em campo, com destaque para os golos falhados e para os erros infantis cometidos na defesa.
Estando atento às transacções em bolsa do dia seguinte, verificámos, porém, que as cotações do clube chegaram a cair até 1,45%, batendo no valor mais baixo dos últimos 7 dias. Perguntamos: então afinal o Benfica até nem tinha estado bastante bem? É aqui que entra a oposição entre o pensamento do adepto e a situação do investidor. Tornou-se óbvio que, por mais optimismo e satisfação que se tenha transparecido para fora, após o jogo com o Atlético de Madrid, o mercado não “olhou” a essa euforia e, com a primeira derrota da época, renasceu algum pessimismo e receio em alguns sectores. Afinal são os resultados que imperam.
Neste sentido, a alegria não é compatível com o dinheiro (como se viu) e se muita gente se está a preparar para “assaltar” acções do Benfica com vista a ganhar dinheiro, tendo em mente os resultados desportivos, desenganem-se meus amigos! Para além de serem posições pouco voláteis em bolsa e com pouca sensibilidade face às alterações do mercado bolsista, tanto o investidor como o adepto desconhecem a situação líquida que o Benfica encontrará em breve.

Jorge Manuel Honório

Expert da Bola

Esta semana o texto a publicar do vencedor do desafio díficil da semana passada, corresponde ao sexo Feminino. Pois é, tivemos uma vencedora, a mostrar que as mulheres também sabem de bola...

Mulheres e o futebol.

Os homens dizem que as mulheres não entendem nada de futebol, que não percebem nada do jogo jogado e que aquilo que lhes interessa é nomeadamente os jogadores “engraçados” e com pernas “jeitosas” entre outros assuntos fúteis.
É verdade que a maioria é assim, e é verdade que muitas das minhas amigas não entendem o meu fanatismo futebolístico, nem sabem distinguir um fora de jogo de um canto, mas também é verdade que se vão juntando já algumas conhecedoras do futebol jogado entre as mulheres.
Já não são só os jogos da Selecção que interessam, nem os bonitões que correm atrás da bola, é o esquema táctico, o aspecto técnico-táctico de um jogador, a sua precisão a rematar e outros atributos importantes que são discutidos.
Admito que posso não ser uma grande comentadora de futebol, mas quando vejo um jogo de futebol é para ver a minha (ou a equipa que mais me agrada) a jogar, bem e que a sua exibição seja sinal de uma vitória de preferência expressiva.
O futebol Português infelizmente tem evoluído (não sei se será bem este o termo) para um lado menos bom, em que os jogos no estádio têm cada vez menos público e consequentemente menos mulheres.
Posso afirmar que vi mais jogos de futebol num estádio na Suiça (custo de vida mais elevado), bilhetes mais baratos e ambiente familiar atraem grande número de adeptas.
Há que mudar o futebol português e faze-lo mais atractivo para as mulheres.
Eu vou continuando a ver o futebol pela TV, e esperando pelas melhores alturas para ir ao estádio. Nos tempos livres escrevo no meu blog, sim de futebol, todo da inteira responsabilidade de mulheres. http://fcsaltoalto.blogspot.com/

V. Cosme

quarta-feira, 22 de julho de 2009

Galeria D´arte

Esta semana vamos mostrar-lhe imagens de Matias de Frederico. O jovem prodígio é colega de equipa dos muito falados, Mario Bolatti e Javier Pastore, no Húracan e é considerado na Argentina, o novo Messi.

Desafio Difícil

Qual as duas nacionalidades do ex-médio do Sporting, Julian Kmet? Participe e ganhe o direito de escrever um artigo para o livredirecto!!!

Tribuna VIP

Esta semana retomamos a rubrica tribuna VIP. O nosso convidado trata-se do recém eleito Presidente da Casa do Benfica do Cartaxo, José Augusto. De salientar também, o facto do nosso convidado "dar a cara" por projectos na blogósfera, como o Prolongamento e X-centrico.

O novo Benfica

Como não podia deixar de ser, um dia depois da apresentação do BENFICA, versão 2009/2010, não posso fugir ao tema.
Mais uma vez o BENFICA está a fazer uma boa pré-época que deixa cheios de esperança os sócios e adeptos. Os jogos que já podemos ver, a culminar com o jogo que juntou quase 58 mil “vermelhos” na CATEDRAL DA LUZ, permitem perceber que esta equipa, agora sob a batuta de JORGE JESUS, poderá chegar mais perto dos objectivos a que se propõe, desde logo a vitória no campeonato nacional – o principal objectivo! O melhor é que se pode dizer isto apesar do infeliz resultado…
E falando sobre JORGE JESUS, justiça lhe seja feita porque disse que com ele os jogadores tinham que correr o dobro e a verdade é que isso tem acontecido. Apesar dos três treinos diários, a disponibilidade, e sobretudo a mobilidade dos jogadores, é por demais evidente. Uma mobilidade que combina com os quilómetros que o treinador faz no banco durante os jogos. Apesar de não ser adepto de treinadores a curto prazo, a verdade é que a entrada de Jesus já mostra outro colectivo! Um colectivo que o ano passado pouco se viu.

E por falar em colectivo, é preciso falar das individualidades. Não vou falar de todos mas alguns merecem, para já, um destaque pela positiva. Desde logo a dupla CARDOZO/SAVIOLA. Grande entendimento que se tem mostrado produtivo. Já são vários os golos que pudemos festejar! Alguns muito bons! AIMAR é outra boa “pedra” neste “xadrez” redefinido por JESUS. A jogar na posição que melhor o aproveita, tem sido protagonista de boas jogadas. Há também MAXI PEREIRA que tem sido um enorme lateral direito, a crescer de forma de jogo para jogo e a dizer que aquele lugar é dele! Apesar da indefinição de LUISÃO, MIGUEL VITOR é outro jogador que tem mostrado que merece um lugar no onze principal: muito seguro a defender e muito perigoso no jogo aéreo lá na frente. Ontem merecia ter marcado! Para não me demorar mais (e porque poderemos voltar a falar mais tarde) uma palavra para um regresso que não podia ser mais promissor: FÁBIO COENTRÃO é um jogador português que, pessoalmente, eu gostava de ver de pedra e cal no GLORIOSO! Parece que vai ser uma boa opção para alternar, nomeadamente, com DI MARIA. Aliás neste momento, parece-me que leva vantagem sobre o argentino, e por muitos pontos! Depois há RAMIRES, JAVI, e mais alguns… sobre esses ainda é cedo opinar. Há muito potencial, disso não tenho dúvidas!
Uma palavra final para um assunto que muita tinta fez correr antes do início da época: as eleições no BENFICA! Não me vou pronunciar sobre as supostas ilegalidades que foram arguidas (que a meu ver não existiram), antes sobre a pertinência dos factos. Não tenho dúvidas, e duvido que alguém as tenha, que a antecipação das eleições serviu muito ao BENFICA. A pré-época não seria a mesma se ainda agora se andasse a falar dos candidatos, das possibilidades de sucessão, do Luís Filipe Vieira, etc… A calma que agora existe nesse particular, é muito benéfica!

PS: Parabéns para os amigos do LIVRE DIRECTO. Um espaço que se pode tornar uma referência. Desejo as maiores felicidades para o vosso BLOG. Podem contar comigo sempre que quiserem…

José Augusto

Weldon já está em Lisboa

Weldon já se encontra em Lisboa. O avançado vai assinar por duas temporadas com o Benfica, reencontrando o treinador Jorge Jesus, com quem trabalhou no Belenenses.
"Estou muito feliz. Vai ser bom trabalhar com Jorge Jesus. O Benfica é um grande clube. Espero fazer bons jogos com os meus companheiros e alcançar os objetivos do Benfica. Vou fazer exames médicos e assinar o contrato, só depois poderei falar", disse o jogador no aeroporto da Portela.
Weldon torna-se no sexto reforço dos encarnados para esta época, depois de Patric, Shaffer, Ramires, Saviola e Javi Garcia.
Weldon vai fazer testes médicos e possivelmente será apresentado ao final do dia, como tem acontecido com a maior parte dos reforços.

Fonte: Record

terça-feira, 21 de julho de 2009

Benfica perde (2-1) no regresso de Simão




O Benfica sofreu a primeira derrota da temporada frente ao Atlético Madrid, por 2-1, golos de Raul Garcia, Forlán e Cardozo, na Luz, no jogo de apresentação aos sócios
O jogo começou praticamente com o golo do Atlético Madrid. Aos 10 minutos, Simão, muito aplaudido pelos sócios do Benfica, recebeu a bola na direita, fez um cruzamento atrasado para Raul Garcia e o médio aplicou um excelente remate, não dando hipóteses a Quim. A reacção do Benfica surgiu 10 minutos depois, Di María isola Saviola e o argentino assiste Cardozo, que desvia a bola com sucesso, para delírio dos mais de 57 mil adeptos que enchiam as bancadas.
Em cima do intervalo o Atlético Madrid ganhou novamente vantagem. Miguel Vítor ao tentar cortar a bola tocou em Aguero na área e o árbitro considerou grande penalidade, que não foi desperdiçada pelo goleador Forlán. Na segunda parte, os dois treinadores começaram a fazer inúmeras substituições, a testar novos jogadores, de salientar a estreia de Ramires, mas foi o Benfica que esteve mais perto de chegar ao empate. No entanto, o marcador não sofreu alterações e os «colchoneros» acabaram por vencer a partida. Ver ficha de jogo.

Fonte: a Bola

Pérolas do FM

Médio bem conhecido da saga FM, brilhou recentemente no último europeu de sub-21 ao serviço da Bielorrússia

segunda-feira, 20 de julho de 2009

Canto Curto

Uma questão de “miolo”

A fase de preparação da época que se avizinha já começou. Com ela rapidamente chegam as euforias e os entusiasmos. No que toca aos técnicos das equipas, existem outras preocupações neste momento iniciante da época. Preocupações essas, um pouco “ocultas” aos olhos dos mais entusiastas, que se preocupam mais em apreciar as conquistas de pré-época.
É no parâmetro técnico que nos situamos, e são estes momentos que servem para incutir à equipa uma “filosofia de jogo”, para limar arestas, para conseguir uma adaptação consistente ao sistema de jogo, etc.… Outros dos pontos importantes é o facto de se poder usar e abusar de experiências, nos respectivos sistemas tácticos, umas mais acertadas que outras, mas é essencialmente neste período que elas podem e devem ser realizadas.
Ao contrário do que no ano passado se via para os lados vermelhos da segunda circular, onde a meras jornadas do fim do campeonato, essas experiências ainda estavam a desenrolar-se. Este ano o cenário é bem diferente, Jorge Jesus, técnico encarnado, não se mostra muito adepto de rodar a equipa, não “experimentando” jogadores mais jovens e de segunda linha. É um facto. Mas facto também, é que há certas situações, em que se vê rapidamente, que não se pode sequer arriscar em determinada “experiência” novamente.
Com os sucessivos jogos que o Benfica realizou, uma ideia já ficou presente. A equipa ainda se mostra um pouco deficitária no meio campo, principalmente no defensivo, onde não consegue fazer uma circulação rápida, e ter uma boa posse de bola. E curioso é o facto, de ser aí, exactamente, na posição (6), que Rui Costa procura alternativas no mercado. É certo que Ruben Amorim se encontrava lesionado, não estando na melhor forma, mas por aí o Benfica até está bem servido, visto o Português oferecer condições mínimas, para ocupar aquela posição, também podendo usar a sua polivalência na interior direita. O problema é alternativa e concorrência, visto Amorim ser apenas um “6”, que cumpre neste esquema em losango. Falta alguém para fazer a diferença naquele sector, a diferença a nível de passe, de velocidade de execução, de transição rápida e também a nível táctico. Neste parâmetro, o Benfica possui uma opção de futuro (Fellipe Bastos), mas pelos vistos, a opção dos encarnados será empresta-lo para rodar. Mas curiosamente, o jogador mais utilizado nesta pré-época nessa posição, é exactamente a antítese de tudo o que foi falado anteriormente. Yebda, que é um protótipo de um trinco “à antiga”, já mostrou que não serve, e daí talvez o Benfica já andar a procurar alternativas de mercado.
Jesus certamente, aproveitou o facto, das “experiências” de pré-época para se aperceber, que há situações que não dá para repetir. Aliás, o Benfica se aceitasse vender o médio Francês, só teria lucro, visto ele se ter transferido há um ano a custo zero. E a única utilidade que eu vejo no Gaulês, neste esquema, será entrar nos minutos finais, quando o Benfica estiver a ganhar escassamente, com o fim de segurar o meio-campo, mas nunca numa posição central, ou na interior ou então em situação de duplo-pivôt.
É desta forma, que o problema do Benfica passa pelo “miolo”. E o futuro vem agudizar ainda mais a situação. Com a chegada de Ramires, para a interior direita (posição 8), o meio-campo benfiquista, vai ganhar enormes capacidades atléticas, tácticas, … Mas perderá certamente em qualidade, visto o Brasileiro ser um “poço de força”, que vai imprimir muita consistência ao “miolo”, mas diminuir em qualidade técnica. Daí ser ainda mais urgente, compensar com qualidade na posição 6.
Posso resumir, que nesta fase principiante da temporada, Jesus mostra que quer “utilizar o miolo”. Aproveitando os vários ensaios, para se aperceber das fraquezas da equipa.

João Vasco Nunes

Javi Garcia a caminho do Benfica




Benfica já resolveu, de forma muito satisfatória, o problema com que Jesus se deparava na posição seis. Javi García, do Real Madrid, de 22 anos, murciano de 1,78 m, internacional em todas as selecções até aos sub-21, foi o eleito dos encarnados e o acordo entre os merengues e clube da Luz é, pode A BOLA garanti-lo, total.

Javi García, que se encontra com o plantel na Irlanda, deverá assinar por quatro anos e ao contrário do que foi prematuramente anunciado, a hipótese de empréstimo do trinco, nem por parte dos portugueses, nem por parte dos espanhóis, esteve alguma vez em cima da mesa.

Fonte: a Bola

Trinco Esquerdo



André Amante

domingo, 19 de julho de 2009

Blog de Notas

Esta semana vamos conhecer o que está por trás do grande Flá-Flú.



Flamengo vs Fluminense: O Derby do Rio

Mais que um grande clássico, Flamengo e Fluminense traduzem as raízes do futebol brasileiro. Uma rivalidade que teve, nos seus primórdios, contornos sociais e raciais. No final do Séc.XIX era impensável ver o futebol praticado por negros ou fora dos recintos aristocráticos. Estes factos ajudaram a criar dois tipos de clubes. Os aristocráticos e elitistas, que olhavam de lado os negros, e os populares, onde estava o Flamengo, que se abria a todos os estratos sociais, numa rivalidade social que se mantêm até hoje. Esta guerra Fla-Flu, pobres contra ricos, atravessou gerações.

Fonte: planetadofutebol

sábado, 18 de julho de 2009

A bola começou a rolar este Fim-de-semana...



Benfica vence Torneio do Guadiana

O Benfica conquistou, este sábado, o Torneio do Guadiana, ao vencer na final o Olhanense por 2-1. Os «encarnados», tal como tinha acontecido na passada quinta-feira diante do Bilbau, voltaram a estar a perder, mas deram a volta na segunda parte. Recorde aqui as principais incidências da partida.

FC Porto derrota Mónaco (3-0), na apresentação aos sócios

O FC Porto derrotou, este sábado, o Mónaco, por 3-0, autogolo de Aruna, Mariano e Guarín, de forma conclusiva e já demonstrou bom ritmo, qualidade no passe, entendimento entre os jogadores, ou seja, está no caminho certo, isto para satisfação dos cerca de 38 mil espectadores presentes no Dragão para assistirem à apresentação.
Na primeira parte o FC Porto demonstrou futebol de qualidade e não deu grandes hipóteses ao adversário. Logo no minuto inicial podia ter marcado, com Mariano, na área, a cabecear ao lado. Aos 18 minutos novo excelente lance, Belluschi a disparar um remate indefensável que apenas foi travado pelo poste. Aos 30 minutos inauguraram o marcador, após o autogolo de Aruna, que ao tentar cortar o cruzamento perigoso introduziu a bola na própria baliza.
O FC Porto voltou a marcar aos 40 minutos, após Varela ter feito um cruzamento tenso e Mariano aproveitado para dilatar o marcador. Na segunda parte os campeões fizeram inúmeras alterações, a qualidade diminuiu, mas, ainda assim, aos 68 minutos voltaram a facturar. Guarín, de livre directo, atirou uma bomba que o guarda-redes do Mónaco não conseguiu travar. Recorde aqui as incidência da partida.

Sporting desaponta (1-2) na apresentação aos sócios

Apesar de se ter colocado em vantagem no marcador na primeira parte, o Sporting acabou por deitar tudo a perder ao sofrer dois golos nos primeiros quatro minutos da segunda parte.
Os verde-e-brancos entraram melhor em campo e construíram algumas boas jogadas nos primeiros minutos. A primeira parte agradável do Sporting acabou por ser coroada com o golo de Hélder Postiga. O avançado português recebeu um bom passe de Liedson e de primeira fuzilou o guarda-redes brasileiro do Feyenoord.
No início da segunda parte, deu-se o descalabro dos leões. O golo do empate do Feyenoord surgiu logo aos 46 minutos, após muitas facilidades concedidas pela defesa sportinguista. Apenas quatro minutos depois, os holandeses deram a volta ao marcador, com Maakay marcar facilmente após um canto.Recorde aqui as incidências da partidas.

Fonte: a Bola

Cissokho assina por cinco épocas com o Lyon




Agora está tudo certo. A transferência de Cissokho para o Olympique Lyon está feita. O clube francês paga 15 milhões de euros ao FC Porto, que, por sua vez, fica ainda com direito a 20 por cento de uma possível futura transferência. Para o jogador, contrato válido por cinco épocas.

Faltarão acertar alguns detalhes, razão pela qual a viagem do jogador para França só deverá acontecer este domingo, mas já nada vai travar o negócio. Depois de ter falhado a mudança para o AC Milan, Cissokho vai mesmo deixar o FC Porto e rumar ao Olympique Lyon.

Fonte: a Bola

sexta-feira, 17 de julho de 2009

Off Side - os apanhados da bola



Veja se lhe é familiar esta cara...

Dê uma ajuda a Jesualdo Ferreira

Qual irá ser a referência central do ataque Portista?

Falcão

Farías

Orlando Sá

Diga-nos a sua opinião...

Dê uma ajuda a Paulo Bento

Quem poderá ser um substituto de Izmailov?

Diogo Rosado (Ex-Junior)

Tiago Gomes (Est. Amadora)

Zoran Tosic (Man. Utd)

não se esqueça de dar uma "mãozinha" a Paulo Bento...

Dê uma ajuda a Jorge Jesus

Que opção de mercado, seria um jogador a integrar o platel do Benfica para a posição de trinco?

M´Bami (Marselha)

Prediger (Cólon)

Luiz Alberto (Nacional)

Diga de sua justiça...

Holandeses do Twente no caminho do Sporting





O Twente, da Holanda, será o adversário do Sporting na 3.ª pré-eliminatória da Liga dos Campeões, ditou o sorteio realizado esta sexta-feira na sede da UEFA, em Nyon.

Os leões começam a eliminatória em casa, a 28/29 de Julho, e discutem a segunda ronda no terreno do segundo classificado da Liga holandesa, na época transacta, a 4/5 de Agosto.

Caso passe esta eliminatória, a equipa orientada por Paulo Bento disputa um último ‘play-off’ antes de entrar na fase de grupos da Liga milionária. Porém, nessa 4.ª pré-eliminatória, e apesar de voltarem a entrar no sorteio como cabeças-de-série, os leões poderão encontrar adversários de maior dificuldade como o Estugarda, Fiorentina ou At. Madrid. Ver aqui resultado do sorteio.

Fonte: a Bola

quinta-feira, 16 de julho de 2009

Futebol de Gabinete

Passivos: prejudicial ou essencial?

Passivo: para muitos um simples número que se coloca numa folha de contabilidade e que reflecte todas as dívidas representativas da instituição e, para outros, mais alheios ao sistema, um número que representa grande choque, especialmente no mundo do futebol, sem se ter em conta a realidade empresarial e estratégica dos diferentes clubes.
Venho, assim, na minha rubrica semanal, tentar contribuir para uma maior compreensão dos amantes do desporto rei para esta realidade que muitas vezes ouvimos nos media. Um passivo elevado não deve estar associado ao “fim” de um clube como, por vezes, se parece ouvir. Antes de tudo, importa clarificar os diferentes contextos da dívida para diferentes sociedades. Por exemplo, em muitas situações, é preferível um passivo de 500 milhões para um determinado clube que um passivo de 50 milhões para outro. Porquê? Ora a resposta é óbvia: tudo tem de estar adaptado á realidade de uma sociedade. É normal que uma empresa que “venda” muito mais tenha um passivo muito maior. É uma situação que decorre das actividades de exploração da organização. A questão aqui coloca-se na capacidade dela rentabilizar o suficiente para cobrir esse passivo e na possibilidade de o mesmo contribuir para o crescimento, a todos os níveis, da organização que terá de aproveitar esses fluxos de curto prazo para adoptar estratégias e decisões acertadas. Só se vende comprando e pagando e aplicando a esses gastos uma margem de lucro. É o ciclo normal da realidade empresarial. É, portanto, falta de senso dizer-se como, por vezes se ouve, que o passivo de um clube é tal e o de outro é muito maior ou menor. Como por exemplo, muitas vezes comparar o passivo do Real Madrid com o passivo de um dos grandes clubes portugueses. Não é sério!
O passivo é prejudicial em termos da solvibilidade do clube (peso do passivo sobre o capital da empresa) e agrava as finanças se, principalmente, o clube obtiver quebras no volume de negócios. Um clube que se financie bastante mas que alcance sempre os objectivos desejados e a rentabilidade financeira que daí provém é um clube cada vez mais viável. O problema é quando o clube se financia e não consegue “rentabilizar” esse financiamento e onde terá, então, que pagar juros com capital que não rentabilizou para além daquele que já tinha aquando da contracção do empréstimo. Tomemos como exemplo o Real Madrid. É certo que é um clube cujo passivo, especialmente as dívidas a instituições financeiras, disparou “brutalmente” com as últimas contratações mas, no entanto, é um clube que factura bastante e mesmo quando os resultados desportivos são agravados, o clube tem sempre receitas fantásticas de bilheteira, marca, direitos televisivos, merchandising. Neste sentido, se é um clube cujo incumprimento não está em causa (praticamente), é sempre aliciante para as instituições bancárias concederem financiamentos a clubes nestas condições e, sendo certo que beneficiarão (quase de certeza) da rentabilidade associada ao empréstimo concedido, é igualmente certo que a posição credora do clube para o banco não se alterará para pior e, deste modo, não faz sentido subir o rating do clube. Rating que passo a explicar de seguida.
O rating consiste numa classificação que reflecte a capacidade da empresa devedora cumprir com os seus pagamentos á instituição credora. Neste sentido, quanto maior o peso do passivo nas contas de um clube, maior será o rating definido pelas instituições de crédito sobre o mesmo (claro que esta análise complementa não apenas a situação credora, mas também outros factores como o nível de facturação ou a estrutura de capital próprio). Consequentemente, como é maior a probabilidade de não cumprimento das suas obrigações, as instituições credoras aplicarão spreads (margem de lucro) maiores, obrigando a que o clube pague mais juros por cada empréstimo contraído, para compensar o risco em que elas ocorrem ao concederem o financiamento. É bom lembrar que os empréstimos são essenciais para contratações e outros investimentos, pois é dinheiro que os clubes não têm nas suas contas a curto prazo e, portanto, terão sempre de se financiar.
Neste sentido, importa clarificar que os tão falados passivos no futebol podem ser classificados como prejudiciais para as contas e para o rating do clube, especialmente se o clube tiver uma estrutura de custos pesada e escassos resultados em cada exercício. É verdade! Mas são “essenciais” no sentido de que os clubes necessitam de investir para poderem concretizar, acima de tudo, os objectivos desportivos e esse investimento tem obrigatoriamente de ser financiado porque são fluxos libertos que os clubes não dispõem no imediato. Investir, pois é isso que garante a viabilidade e acreditem que o custo de capital da não concretização dos objectivos sai bem mais caro do que qualquer financiamento que garanta a prossecução dos objectivos e consequente rentabilidade que permitirá ao clube pagar a tempo e horas.


Jorge Manuel Honório

Paços de Ferreira empata (0-0) na Moldávia para a Taça Europa



O Paços de Ferreira perdeu excelente oportunidade de sair com uma vitória da Moldávia na estreia na Liga Europa. A equipa criou boas oportunidades, mas o índice ofensivo esteve àquem do esperado, em particular Leandrinho que falhou um golo de forma escandalosa no final. Os pacenses também podem queixar-se da arbitragem que nao assinalou grande penalidade evidente. Ver aqui os dados da partida.

Fonte: Record

Galeria D´arte



Delicie-se esta semana com maravilhosos recortes técnicos...

Diego Valeri assegurado por empréstimo com opção de compra



Diego Valeri será o nono reforço do FC Porto para a próxima temporada. Os tetracampeões nacionais chegaram a acordo com o Lanús, clube do jogador, para o empréstimo do médio por duas temporadas, mas o acordo prevê uma cláusula de opção de compra por sete milhões de dólares (cerca de cinco milhões de euros). Ler resto da notícia.

Fonte: o Jogo

Porto 3 – 1 Leixões



O F. C. Porto, mostrou hoje a sua superioridade, no primeiro teste a sério desta pré época. Num jogo disputado no estádio Municipal de Aveiro, ao intervalo registava-se já uma vantagem de um golo, para o lado dos “azuis”, golo marcado pelo estreante Belluschi.
Uma primeira parte bem disputada, por parte do Porto, que acelerou a partida sempre que pode. O Leixões nesta etapa mostrou-se uma equipa com um baixo nível de entendimento, não conseguindo circular bem a bola. De registar o facto de ambas as equipas, terem apresentado bastantes novidades nos seus “onzes” iniciais. Foi exactamente neste aspecto, que o Porto surpreendeu, ao apresentar muitas “caras novas”, que revelaram já alguma capacidade de entrosamento, no colectivo e na dinâmica Portista. De salientar entre as 6 novidades que actuaram de início, Belluschi e Varela. O primeiro a mostrar alguns dos seus dotes técnicos e a estar presente em todas as jogadas de perigo do ataque do Dragão, o segundo a mostrar bastante vontade de querer ser uma opção válida para Jesualdo Ferreira.
Na segunda metade, o ritmo baixou bastante, talvez fruto das muitas substituições realizadas ao intervalo. Não obstante disso, o Porto logrou aumentar a vantagem, para 2-0, por intermédio de Raul Meireles. Seguiu-se a reacção do Leixões, que fez com que os últimos trinta minutos da partida, tivessem um ritmo mais alto de jogo, e consequentemente este ficasse mais animado. A equipa de José Mota, começou então por explorar os flancos do campo, onde conseguiu criar algum perigo, enervando muito os jogadores Portistas, que se revelaram muito ansiosos. Foi neste sentido que os “homens do mar”, reduziram o marcador, através de um penalti exemplarmente executado, por Faoili, avançado Brasileiro que reforçou a equipa no presente defeso.
Até ao fim seguiram-se alguns momentos de alguma tensão, com muitos desaguisados entre jogadores de ambas as equipas, e com o árbitro a ter que intervir disciplinarmente, algumas das vezes. Perto do fim, Mariano Gonzalez, teve tempo ainda, para fazer o gosto ao pé. De referir o facto, da enorme permeabilidade da defesa Leixonense ao longo dos 90 minutos.
O Porto venceu assim, consideravelmente bem, no seu primeiro grande teste, apresentando uma equipa com os processos já consolidados, à semelhança da época anterior. Nem os reforços fizeram com que algo se distanciasse, do que o Porto nos habitou a ver em 2008/09.

Aspectos Positivos: - Grande dinâmica da equipa Portista, em muito idêntica à que tem vindo a ser até aqui, mostrada pelo Porto de Jesualdo. Mesmo entre os novos elementos do plantel, já existe um razoável nível de adaptação.
- O reforço Fernando Belluschi, a mostrar atributos, um vasto leque de recursos técnicos. Um belo cartão de visita deste Argentino, que promete ser preponderante na manobra ofensiva da equipa.
- A destacar também, por parte do Leixões, o reforço Brasileiro Faioli. Um avançado possante, mas que nem por isso deixa de ter movimentações rápidas na frente de ataque. Sempre de olho na baliza, mostrou pormenores interessantes nesta sua estreia.

Aspectos Negativos: - O baixo ritmo de jogo no inicio da segunda metade.
- Algum nervosismo por parte dos jogadores do Porto (Raul Meireles e Bruno Alves), que resultou em imagens pouco bonitas de se ver no desporto, que caso fosse o jogo a sério, poderiam ter sido punidas pelo árbitro, de outra forma.
- Uma equipa do Leixões que apresentou muitas caras novas, todas predominantemente Brasileiras, que a nosso ver, parece em excesso. Uma equipa que não mostrou muito hoje, e que caso não progrida, poderá andar na luta pelos lugares mais baixos da tabela. Seria bom, estas equipas, com menos poderio financeiro, apostarem mais em jogadores Nacionais, em vez de recorrerem por vezes, excessivamente ao mercado Brasileiro.

João Vasco Nunes

quarta-feira, 15 de julho de 2009

Falcão torna-se Dragão




O FC Porto comunicou esta quarta-feira à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM) que chegou a um princípio de acordo com os argentinos do River Plate para a aquisição dos direitos desportivos do avançado Falcao.

No comunicado enviado esta manhã à CMVM, os dragões informam ter pago 3,9 milhões de euros por 60 por cento dos direitos económicos do avançado e que o jogador de 23 anos assinou um contrato válido por quatro temporadas.

A transferência será formalizada depois de Falcao concluir os exames clínicos a que se vai submeter.

Leia na integra o comunicado enviado pelo FC Porto à CMVM.

Fonte: a Bola

Desafio Difícil

Esta semana vai ter que nos dizer, quais os três jogadores Portugueses convocados, com mais de 23 anos, para o Torneio Olímpico de Futebol, em Atlanta 96?



Já sabe, responda acertadamente e habilite-se a escrever um artigo para o nosso blog...

"O meu sonho é jogar no Benfica"


O livre directo esteve à conversa com João Costa, meio campista do Núcleo Sportinguista de Rio Maior. O atleta Juvenil, conta com passagens pela formação do S. L. Cartaxo, e com uma chamada aos trabalhos da Selecção Nacional sub-15 (em 2007, naquela que foi a estreia de uma selecção neste escalão). A esperança Ribatejana, fala-nos entre outras coisas, das suas perspectivas futuras e também nos dá a sua visão do panorama do Futebol Nacional.

Livre Directo: Podes desvendar-nos um pouco, quais as perspectivas que tens para a tua próxima época desportiva?

João Costa: Na próxima época, vou disputar o campeonato nacional de juvenis, o meu clube vai estar inserido na série C, a mais forte série nacional, onde estão equipas como o Sporting, Benfica, Belenenses, Leiria, Naval, equipas que vão lutar pela passagem à 2ºfase, todas elas com boa formação e com os melhores jogadores portugueses de juvenis. Não vai ser fácil, a nível colectivo o nosso objectivo é a manutenção e vamos trabalhar com o objectivo de sermos superiores a equipas como Naval e Leiria, sendo estas equipas teoricamente superiores. Mas com o grupo forte que temos podemos conseguir. A nível individual, este vai ser o grande teste ao meu futuro, é aqui que tenho de trabalhar no máximo, aproveitar este ano para crescer fisicamente e melhorar o meu nível técnico-táctico dentro de jogo. O maior objectivo é ajudar a equipa na manutenção e puder dar o salto para um clube de maior projecção a nível nacional.

LD: E a nível de carreira futura?

JC: Espero conseguir ganhar grande projecção neste campeonato para puder subir ao escalão de juniores num clube de maior projecção. Espero dentro de 2 anos estar num clube que a nível sénior esteja a disputar um campeonato nacional (2ª divisão ou ate mesmo Liga de Honra), seria mesmo muito bom para o meu futuro. Depois é tentar dar o salto ao escalão sénior, ganhar experiência e com calma e trabalho, poder um dia chegar a profissional de futebol.

LD: Qual o clube que mais gostarias de representar a nível nacional?

JC: Neste momento o objectivo de um jogador da minha idade é sempre grandes clubes, como Sporting ou Benfica, não escondo que o maior sonho seria o S. L. Benfica, mas temos de ser realistas e dar um passo de cada vez. Sem dúvida que seria o Benfica.

LD: Qual achas que é o clube com mais estrutura para receber um jovem como tu, nas suas fileiras? Porquê?

JC: Já tive dentro da realidade do que é uma academia de futebol, há cerca de ano e meio, fui chamado a fazer um estágio de 3 dias na Academia do Sporting em Alcochete. Tive a sorte de ser integrado na equipa A de iniciados (meu escalão na altura), e digo que foi das melhores experiências que tive até ao momento. A forma como somos tratados pelos mais velhos, o incentivo de senhores como Pedro Barbosa ou “Paulinho”,... quando nos vêem nos corredores é muito gratificante, é sem dúvida muito bom. Um dia ao jantar sentou-se o Adrien Silva ao meu lado, e em jeito de brincadeira perguntou-me se seria eu a nova estrela a entrar na academia, ficamos algum tempo à conversa. Conversa onde ele me deu alguns conselhos, o que foi muito bom. São estes pequenos momentos que nunca esquecemos e que talvez nos fazem crescer como futebolistas. O Benfica com a Caixa Futebol Campus acredito que também já esteja ao nível do Sporting, mas por enquanto vejo o Sporting CP com melhores condições para formar jovens como eu. O acompanhamento que um jogador tem dentro daquela academia é fantástico. No seixal não posso falar porque só tive a possibilidade de treinar num dos campos, em treinos de captação e foi na altura em que estava a ser construída ainda.


LD: A ida à selecção Nacional de sub-15, foi o alcançar de um sonho, ou apenas o início de um caminhada de sucesso?

JC: Para mim foi um pouco das duas coisas. Sem dúvida o alcançar do maior sonho de qualquer jogador português, mas ao mesmo tempo o início de uma caminhada de sucesso. Quando vemos o nosso nome na convocatória, nem queremos acreditar que estamos lá, é o maior sonho cumprido, é por aquilo que sempre trabalhamos. Mas no fundo, aquilo não é mais do que um passo obrigatório para chegarmos a profissional de futebol, são raros, mas muito raros os casos de jogadores que chegam a profissionais e se tornam grandes jogadores sem nunca terem passado por uma selecção nacional, seja em que escalão for. Ali estão os melhores e se queremos ser alguém, temos de estar sempre entre os melhores. Por isso, penso que foi mais um dos passos que sempre sonhamos dar.

LD: Como te sentiste, por representar o Ribatejo numa selecção Nacional, visto que hoje em dia é algo raro de acontecer?

JC: Na altura, tinha acabado de mudar do S. L. Cartaxo há cerca de dois meses para Rio Maior, e ainda estava a integrar-me no NS Rio Maior. Todos os jogos me estavam a correr de feição, lembro-me que tinha jogado contra Leiria e Académica de Coimbra nas semanas antes, e tudo me tinha corrido muito bem. Como tinha acabado bem a época no Torneio Lopes da Silva 2007, pela selecção distrital sub-14, onde fizemos uma fantástica campanha, na qual conseguimos chegar à final, acabei por ser chamado a selecção nacional sub15. Foi muito gratificante, foi um enorme orgulho ver um clube do Ribatejo na convocatória, foi a prova do que o que é raro de acontecer, nem sempre é impossível. O grande problema das equipas de hoje, seja do distrito de Santarém ou de outro qualquer, é que dão demasiado valor a clubes como Sporting ou Benfica, é verdade que lá estão os melhores de Portugal, mas isso não impede que não possamos estar ao nível deles. É preciso é muito trabalho, eles são óptimos jogadores mas também são humanos, tal como nós. Se me perguntarem se me senti inferior no meio de jogadores dos grandes clubes, vou sempre afirmar que nunca me senti ou fui inferior, sempre lutei e trabalhei de igual forma naqueles 3 dias de estágio. Foi uma experiência única que jamais vou esquecer, ali sentimos um pouco da realidade do que é o futebol profissional neste momento, e isso faz sempre bem a qualquer jogador amador.

LD: Por fim, em jeito de prognóstico para o nosso blog, qual achas que vai ser o clube com mais sucesso, nesta época 2009/2010?

JC: Estava com algum receio do que seria o futebol do Benfica, e um pouco ansioso para ver como estaria a equipa, mas fiquei agradado com o futebol praticado.
O F. C. Porto vai estar muito forte como sempre, o Sporting este ano penso não ter grandes condições para estar ano nível do Porto ou do Benfica. É com esperança que digo que o Benfica este ano vai ter mais sucesso.

Entrevista:
João Vasco Nunes

terça-feira, 14 de julho de 2009

«Estamos concentrados no título» – Pedro Silva




O lateral brasileiro analisou a nova temporada e reconheceu que o Benfica garantiu muitos reforços, o FC Porto é o actual campeão, mas que os jogadores do Sporting estão concentrados no «objectivo de ser campeão».
«O Benfica reforçou-se bastante, o FC Porto perdeu dois jogadores fundamentais, mas eles são os campeões nacionais e vão fazer um bom trabalho. O Sporting também quer fazer uma época melhor do que a anterior e o objectivo é ser campeão. Os adeptos esperam há bastante tempo e estamos concentrado nesse objectivo», afirmou Pedro Silva.
O lateral brasileiro espera igualmente que existam melhorias na arbitragem: «Acredito. O ser humano erra e tenho a certeza que com o passar do tempo as pessoas vão vendo o que vão fazendo errado. Alguns erros podem tirar um título, mas nós não podemos estar preocupados com isso.»
Sobre a possibilidade de João Moutinho partir para o Real Madrid, Pedro Silva defendeu que a «acontecer, seria um salto muito grande na vida e na sua carreira, mas o grupo iria perder muito, por ser um jovem jogador com muita experiência.»

Fonte: a Bola

segunda-feira, 13 de julho de 2009

Pérolas do FM

Esta semana temos o prazer de apresentar, Florentin Petre. O craque Romeno da saga CM, que fazia todo o corredor direito, e que primava pelos seus brilhantes 20, de aceleração e velocidade.



Diga a sua opinião...

Análise: Sion - Benfica (2:2)


O Benfica iniciou ontem o ciclo de jogos de pré-época contra a equipa suiça do Sion.

Naquele que foi um jogo interessante, o Benfica apresentou-se ontem com uma formação á imagem de Jorge Jesus com um 4-4-2 em losango como já havia sido declarado po JJ como esquema táctico a utilizar pelas águias.
A equipa inicial não apresentou grandes surpresas ao que havia sido avançado pela imprensa como a equipa que iria começar o jogo. Apenas de destacar Moreira como guarda redes titular para este 1º jogo.
Na defesa JJ apresentou Maxi Pereira (cap.) a lateral direito, Sepsi a lateral esquerdo e a dupla de centrais Miguel Victor e o jovem Roderick Miranda.
No losango do meio campo o SLB iniciou com Yebda no vértice mais recuado acompanhado pelos interiores Carlos Martins (dir.) e Angel Di Maria (esq.) com o membro mais avançado do losango Pablo Aimar. Na frente, Cardozo e Saviola formaram a dupla de avançados.

Na primeira parte o Benfica mostrou alguns detalhes que já mostram o trabalho desenvolvido por Jorge Jesus tais como a troca rápida da bola entre jogadores e a grande mobilidade dos elementos do meio campo e avançados.
O losango formado por JJ mostrou já grande mobilidade principalmente Di Maria e Aimar que souberam cumprir o que JJ tenciona : Encurtar as zonas entre linhas da equipa e a transição rápida e organizada defesa-ataque.
Com Aimar a baixar no terreno trouxe ao SLB melhor qualidade na distribuição de jogo e no apoio aos homens da frente e parece este ser o elemento chave nesta formação encarnada.
Saviola mostrou-se bastante participativo sendo o elemnto mais móvel da frente de ataque também encurtando a zona entre linhas do Benfica e procurando bastante o jogo em zonas mais intermédias.
Devido a esta grande mobilidade o Benfica chegou ao golo numa jogada de Di Maria que ao pressionar Paíto (ex-Sporting) e ganhando a bola em velocidade, cruzou para Cardozo só ter que encostar e fazer assim o 1º golo do SLB. O 2º golo chegou de um pénalti convertido por Saviola depois de Aimar arrancar uma falta consequência de uma jogada de insistência individual.

A 2ª parte trouxe aquilo que se previa, ou seja, o esgotamento físico dos jogadores o que fez com que a equipa do Benfica comete-se bastantes erros defensivos e a nível de passe. os jogadores também lançados por JJ não trouxeram a mesma dinâmica que os da 1ª parte, destacando-se apenas Fábio Coentrão, este também á procura de mostrar que merece um lugar neste plantel.

Hoje á novo jogo, desta vez contra os vencedores da extinta Taça UEFA, Shaktar, pelas 18:30 na SIC. JJ guardou alguns jogadores que ontem não jogaram contra o Sion, entre os quais os adeptos querem ver como Shaffer, Patric e o miúdo vindo dos júniores do Benfica proveniente de Valada do Ribatejo, João Pereira.
Aspectos Positivos

- Mobilidade do losago do meio campo do Benfica e dos homens da frente de ataque;
- Segurança do jovem Roderick Miranda a mostrar grande qualidade apesar da sua juventude;
- Miguel Victor a mostrar que mais que uma promessa, este quer ser uma certeza nesta equipa. Futuro patrão da defesa encarnada.

Aspectos Negativos

- Yebda mostrou alguma fragilidade e falta de forma neste inicio de época cometendo bastantes erros a nível de passe e em termos defensivos;
- Sepsi mostrou algum nervossismo em tentar mostrar que é a opção mais válida para o sector defensivo esquerdo cometendo também alguns erros a nível de passe e marcação;
- Quim no lance do 2º golo do Sion;
- As deficiências físicas na 2ª parte dos jogadores do Benfica.

Canto Curto

Estado de sítio

Por estes dias, o futebol Português, volta a viver momentos menos brilhantes, eu diria até, momentos muito tristes. Após a má campanha que a selecção Nacional tem efectuado, no apuramento para o Mundial de futebol da África do Sul, e que muita tinta já fez correr, este fim-de-semana foi propício a notícias a derivar para o lado do estupefacto.
Todos nós sabemos que o momento é delicado, ora são estreias de novos jogadores, na equipa de Queiroz, que maior parte dos Portugueses, não se identificam com eles, porque nem os conhecem, para se poder identificar com eles. Ora são as abundantes transferências, para os “moderníssimos e competentíssimos”, campeonatos Romenos e Cipriotas, onde os nossos compatriotas “Portuguesinhos”, preferem ir ganhar uma belas “massas”, em campeonatos sem visibilidade, em vez de continuarem por cá, onde alguns até seriam peças chave de muitas equipas da Liga sagres. Enfim o pão-nosso de cada dia, e muitos já devem estar fartos de ouvir falar nisto.
Mas, este fim-de-semana houve desenvolvimentos nesta nobre “novela” Portuguesa. As nossas camadas jovens prosseguiram a tão célebre epopeia a que nos habituamos. Uma brilhante derrota com a selecção de Cabo Verde, a fazer lembrar a grande prestação nas Olimpíadas em 2004, onde fomos esmagados pelo Iraque. Queiroz queria mudar algo nas camadas bases, e oxalá, algo seja mudado, é que este primeiro resultado, após as primeiras “revoluções” do professor nos quadros da Federação, não foi nada digno de uma Selecção Nacional, seja ela sub-20 ou sub-12.
Para culminar, há dois dias atrás, li uma notícia que pensei nunca ser possível de acontecer. O grande Maniche, que há uns meses atrás “pregava”, que para Portugal era impossível se transferir, devido ao seu elevado salário, e que havia inúmeras equipas de topo, interessadas no concurso dele. Pois bem, o título da notícia era, “Maniche assina pelo…”, o que me deixou a pensar logo em várias potências Mundiais. Mas no fim de ler toda a noticia, percebi que era pelo Ankagaruçu, sim esse “colosso”, que disputa os lugares do meio da tabela na Turquia, e já que falamos de nomes difíceis, onde também disputa o campeonato o nosso conhecido Gencerbriliçi, ou algo do género… Tudo isto, independentemente de o clube estar a ser gerido por um milionário ou não, acho que Maniche ponderou muito pouco sobre o seu futuro profissional, embora tenha ponderado muito sobre a sua carteira.
É nesta situação que o nosso futebol se encontra, a transferência de Maniche para a Turquia é o reflexo de tudo o resto, já não se tem a mínima paixão pelo desporto, mas sim pelo dinheiro. À semelhança de todos aqueles que rumam ao Chipre, e quem sabe um dia não alargaram fronteiras para o Usbeiquistão, para rumar ao tão badalado Budnyokor (não sei se é assim que se escreve, mas para que interessa o nome do clube, o que interessa é quanto o clube paga, independentemente se o teu nome vai ficar esquecido para sempre nos relvados nacionais).
O que se passa nas Selecções, também é reflexo desta nova mentalidade, do jogador Português, onde várias vezes, os jovens que por lá passam, não passam de “meninos mimados”, que já andam com seus empresários à procura de um novo “El Dourado”.
É caso para perguntar, tendo em conta que Maniche, manifestou anteriormente desejo de ir ao Mundial, se ele acha que vai ter visibilidade no seu novo clube, que lhe permita ser chamado à equipa de Queiroz? Ou será que já nem Maniche acredita nessa hipótese? Não de ser convocado, mas de nos qualificar-mos para o Mundial…

João Vasco Nunes

Trinco Esquerdo



André Amante

domingo, 12 de julho de 2009

Sporting 0 - 1 N. Forest




O Sporting perdeu ontem, por uma bola, no seu segundo teste de pré-época, com os Ingleses do Nottingham Forest. O único golo da partida, foi apontado perto do minuto ´80, por intermédio de Paul Anderson, jogador que foi formado no Liverpool.
Um resultado que, ainda não espelha muito, aquilo que irá ser o Sporting nesta época 2009/10, visto nos encontrar-mos em período de cargas físicas, e ser bastante normal, os jogadores mostrarem algum desgaste físico, reflexo das habituais "tareias" de inicio de época. Ainda assim exigia-se algo mais, a nível de resultado aos "leões", visto que o adversário, era da Coca-Cola Championship de Inglaterra, equivalente à Liga Vitalis.
Uma primeira parte bem disputada, cujo o Sporting se mostrou pressionante e dinâmico, e que dispôs de algumas situações previligiadas, embora apenas tenha existido uma oportunidade clara de golo, em que Pereirinha se mostrou muito displicente. De registar o facto de os Ingleses, que se apresentaram já um pouco "soltos" nesta fase da época, apesar de terem trocado bem a bola no seu meio-campo, nunca terem chegado a assustar verdadeiramente o Guarda-Redes Tiago. Das duas metades do jogo, talvez fosse a primeira, onde o Sporting merecesse mais chegar à vantagem. De realçar, as movimentações do "miolo" interior dos "leões", muito preponderante na manobra ofensiva da equipa.
Com a segunda parte, veio muitas mexidas, por parte de Paulo Bento, e consequentemente, perda do ritmo de jogo. Uma segunda metade a ritmo lento, e nada bem jogada, onde o Sporting conseguiu apenas atirar uma bola ao ferro, por intermédio de João Moutinho. De realçar o facto, que o médio da Selecção, foi o melhor em campo, tanto para a organização do jogo como para o nosso Blog, mostrando já nesta fase da pré-época, uma grande dinâmica de jogo, passando por ele a construção de maior parte das jogadas de ataque do Sporting.
O Nottingham por sua vez, foi mostrando que poderia chegar com perigo à baliza defendida por Rui Patrício (entrou ao intervalo), e no primeiro remate digno desse registo, chegou ao golo. Faltavam apenas dez minutos para o fim da partida. O Sporting após desperdiçar algumas situações para se colocar em vantagem, via-se assim em desvantagem.
O resultado, esse, já não se viria a alterar até ao fim da partida. O Sporting saiu assim derrotado deste teste de pré-época, voltando nós a repetir que é uma situação normal nesta fase de preparação, não podendo ainda opinar, sobre o que realmente esta equipa poderá fazer no campeonato.


O + da partida: - Boa exibição do meio campo sportinguista, sobretudo na primeira parte, e nomeadamente os interiores (Pereirinha e Moutinho), que mostraram uma enorme dinâmica de jogo, já para esta fase.

- Daniel carriço, o jovem central continua a mostrar o seu potencial, dando continuidade às exibições muito regulares da época transacta.

O - da partida: - Laterais a explorarem pouco as alas do terreno, um pouco também devido à fase prematura da temporada, já aqui falada.

- Falta de eficácia do ataque leonino, faltou um pouco de espontaneade aos homens da frente.

- Polga à medida que os anos passam, a mostar que se ressente da idade, em dois lances iniciais a denotar uma enorme falta de "rins", para os avançados rápidos do adversário.

- "Matigol", a esperança leonina, a mostrar pouco serviço, a passar um pouco ao lado do jogo. Mas repetimos novamente, que ainda é cedo para avaliar algumas situações.

sábado, 11 de julho de 2009

Hulk ‘bisa’ na estreia de Alvaro Pereira




O FC Porto cumpriu esta manhã, no Olival, o primeiro jogo-treino da pré-epoca, batendo o Tourizense, da II Divisão, por 3-1. Hulk esteve em evidência ao apontar dois golos, pertencendo a Mariano o outro tento dos tetracampeões.

Jesualdo Ferreira utilizou todos os jogadores que tem à disposição nesta altura, incluindo o lateral uruguaio Alvaro Pereira, que se juntou esta manhã aos restantes companheiros. O jogador contratado ao Cluj juntou-se, assim, a Nuno, Helton, Benítez, Belluschi, Cissokho, Fernando, Hulk, Maicon, Mariano, Nuno André Coelho, Silvestre Varela, Stepanov e Tomás Costa. Ler notícia aqui.

Fonte: a Bola

Off Side - os apanhados da bola

sexta-feira, 10 de julho de 2009

Análise Técnica


O método do General Jorge Jesus

Á partida para o estágio na Suiça, o novo treinador das águias revelou que a equipa, durante a semana em Meyrin, iria realizar 3 sessões de trabalho por dia.
Para muitos esta medida levou a que se pensasse que já era altura de um técnico do Benfica levar os "meninos mimados que só estão no clube por dinheiro e para passar férias" até á exaustão e pô-los a trabalhar que nem gente grande.
Eu por contrário logo pensei, que o senhor JJ era maluco e que mais tarde ou mais cedo este estágio iria trazer graves problemas á equipa do Benfica.
Passados 2 dias de estágio , 6 sessões de trabalho na Suiça, o que eu já esperava veio a acontecer quando ao acordar e ao ligar o site do jornal A BOLA , deparo-me com a noticia de que mais uma baixa no plantel encarnado : Ruben Amorim.
Sendo assim, e com 2 semanas de trabalho de intensidades elevadas e a juntar-se também o aumento da frequência de sessões de treino, o Benfica já leva 4 baixas até ao momento (Sidnei, David Luís, Balboa e Ruben Amorim).
Se contarmos com o facto de ainda faltar o dia de sábado, o jogo de domingo contra o Sion e o jogo de segunda contra o Shaktar, atrevo-me a dizer que as baixas não ficam por aqui.
O estilo militar de JJ pode agradar aos sócios do Benfica mas de certeza não vão agradar aos fisicos dos jogadores.
Trabalhos a grande intensidade juntamente com o grande número de sessões diárias são prejudiciais á preparação dos atletas para a competição. Isto juntamente com o curto tempo de recuperação dos sistemas glicoliticos que não chega a ser totalmente restabelecido no músculo irá acumular fadiga no mesmo, o que faz com que os jogadores adquiram mais facilmente lesões como mialgias, rupturas,etc. neste período de pré-época.
Visto isto, atrevo-me a dizer que este trabalho de JJ pode não ser benéfico para os jogadores.
Corro também o risco de dizer que os jogos de domingo e de segunda com menos de 24 horas entre o fim de um e o inicio de outro vai ter efeitos devastadores.
Enganem-se os adeptos do Benfica que a equipa vá jogar á Benfica pois nem vão conseguir correr...
Se JJ mantiver as mesmas sessões de treino mas reduzir a intensidade das mesmas, o risco será menos elevado e o trabalho será recompensado.