quinta-feira, 31 de dezembro de 2009

Feliz 2010!!!

Olivredirecto vem por este meio desejar um óptimo ano que se aproxima a todos os nossos visitantes. 2009 marcou o inicio deste projecto, hoje chegamos às 20000 visitas... esperamos que 2010 traga muito mais que isso. Um bem-haja a todos!

Galeria D´arte

Em tom de despedida de 2009, fiquem com as 5 melhores defesas do ano, que está a acabar. Entre as quais está presente uma grande defesa protagonizado por Stojkovic, aquando da sua passagem (empréstimo) pelo Getafe...

Melhor do ano no Paraguai é... Cardozo

AVANÇADO É RECONHECIDO NO SEU PAÍS



Cardozo foi ontem eleito o Melhor Futebolista do Paraguai 2009, prémio esse que o avançado do Benfica já arrebatara em 2006.

O troféu é fruto de uma votação interna dos jornalistas do diário "ABC Color", considerado o principal matutino daquele país sul-americano. Cardozo arrecadou 198 votos, superando Salvador Cabañas (188), do América do México, e Guillermo Beltrán (105), do Nacional. Na galeria de vencedores figura o ex-benfiquista Carlos Gamarra, distinguido com o prémio em 1997 e 1998.

A votação dos internautas foi diferente. Aí, o vencedor foi Salvador Cabañas, que já no ano transato batera a oposição.

Fonte: Record

quarta-feira, 30 de dezembro de 2009

Expert da Bola

Esta semana temos uma rapariga como "expert da bola". Helena Carvalho é finalista de Design e Desenvolvimento de Produtos, neste momento está em Erasmus em Marselha, mas é residente no Funchal (Madeira).


Amor ao Futebol?


A minha experiência futebolística é praticamente nula.

Tenho no entanto carinho especial pelo Marítimo, uma embirração com o Sporting e devoção pela Selecção. Logo, e por isso, o Futebol não me passa indiferente de todo.

Estou a estudar fora e tenho, desta feita, estado atenta ao Olympique de Marseille.

Cheguei quando o campeonato estava a começar.

O que consideramos “amor à camisola” é notoriamente diferente de local para local.

Um jogo dos Verde-Rubros respeita “rituais” que vão desde a bandeira nacional e regional hasteada, a reunião nos cafés ao redor dos Barreiros para “aquecer” as gargantas, seguindo-se pelo hino acompanhados pelos bombos que também martelam sem cessar todo o jogo. Normalmente é um dia familiar, em que até carrinhos de bebé vão enfeitados para a ocasião e o respectivo “mini adepto” vai vestido a rigor.

O Olympique de Marseille (OM) fundado em 1892 é o clube com mais recordes no campeonato e logo um dos mais carismáticos. Foi o único clube francês a ganhar a Champions League (!), isto em 1993. O seu lema: Droit au But, significa “Directo ao Golo”.

Aqui, numa das 3 maiores cidades de França, em que: Paris é a mais conhecida e sofisticada; Lyon a mais arrumada e limpa; Marselha será sem dúvida a mais “rebelde” e peculiar.

Nesta cidade é usual ver-se a polícia de choque preparada para qualquer situação. Curiosamente e depois de verificá-lo eu própria, tem poucas ocorrências com os adeptos do OM. Um jogo com PSG ou Lyon pode revelar-se hardcore, sem dúvida. Mas assisti apenas a um momento caricato: um fulano furioso e embriagado a perguntar quem no autocarro era monegasco (possivelmente queria esclarecer algo com um adepto rival… mas estaria demasiado ocupado a tentar-se manter de pé!).

Mas a cidade no seu dia-a-dia já é bastante agitada. Aqui vive-se um fenómeno diferente. O que a cidade tem de peculiar é a extensa comunidade de outros países e particularmente da Argélia. Facto que se deve claramente à proximidade geográfica.


Ora é aqui que a polícia de choque “entra”.

Enquanto a nossa selecção nacional “se espremia”, e nós saboreávamos essa passagem de forma contida como um alívio, passava-se uma verdadeira batalha sangrenta entre Argelinos e Egípcios.

Em várias ocasiões, franceses aconselharam-nos a não sairmos nas noites dos jogos. Pensámos que fosse pelos jogos do OM.

Entre barcos e carros em chamas, paragens desfeitas, autocarros e metro encerrados, houve momentos complicados que apenas boleias, com pessoas praticamente desconhecidas, nos valeram mais do que andar nas ruas, enquanto adeptos demasiado fervorosos comemoravam algo tão prematuro como desapropriado.

No entanto já lá vão 24 anos desde que a Argélia não se qualifica.

Será caso para tanto?

Apenas nesta fase de apuramento entre o Egipto e a Argélia houve estragos avultados em Cartum, Argel, Cairo e Marselha. Morreram 14 pessoas na sequência de 175 acidentes, houve 254 feridos e um sem número detenções.

Durante os respectivos encontros houve agressões a jogadores, foi criticada a falta de intervenção da FIFA e podemos apenas concluir que não houve nada mais grave apenas por acaso. A sua rivalidade é inquestionável, mas não justifica qualquer dos estragos, nem dignifica a modalidade.

Adeptos que cometem loucuras pelo seu clube, há em todo o lado. Mas mortes?

Que prazer existe em trazer o tal “mini adepto” que falei acima, para um ambiente destes?

Estes adeptos merecem ser brindados com uma vitória no Mundial?

Para mim o Futebol, sobretudo no que toca ao Mundial ou a uma das competições Europeias, deve ser vivido com muita paixão, ansiedade e com as habituais grandes manifestações de orgulho e carinho. Mas também na rivalidade com dignidade, respeito e sobretudo, MUITO FAIR PLAY também fora das 4 linhas!

Helena Carvalho

Abel, Postiga e Saleiro recusados pelo Braga

LEÕES SERVIRIAM COMO MOEDA DE TROCA NO EMPRÉSTIMO DE RODRÍGUEZ

O Sp. Braga recusou a proposta do Sporting que envolvia Abel, Postiga ou Saleiro como moeda de troca no empréstimo de Rodriguez e só aceita vender o central peruano por quatro milhões de euros, de acordo com fonte do clube minhoto citada pela Lusa.
A fonte bracarense revelou ainda que os leões pretendiam o empréstimo de Rodríguez "com uma opção de compra de quatro milhões de euros no final da época", verba exigida pelo clube minhoto para vender o passe do jogador, apesar da cláusula de rescisão constante no seu contrato ser de seis milhões de euros.

"O Sporting de Braga só está disponível para uma venda definitiva por quatro milhões de euros", adiantou a mesma fonte, confirmando, porém, que o Sporting colocou em cima da mesa os nomes de Abel, Postiga e Saleiro para entrarem na negociação.

"O Abel foi logo rejeitado e, entre o Postiga e o Saleiro, o nosso treinador preferia este último, com quem trabalhou na Académica", observou a mesma fonte da SAD bracarense, mas as coisas não avançaram, porque o Sporting de Braga rejeitou liminarmente a hipótese de um empréstimo até final da época.

Entretanto, segundo a mesma fonte, o clube encontra-se no mercado à procura de um ponta-de-lança, depois de ter assegurado a contratação do lateral direito Miguel Garcia, ex-Olhanense, para colmatar a vaga deixada em aberto com a transferência de João Pereira para Alvalade, por 3,5 milhões de euros.

Fonte: Record

Valdomiro certo em Guimarães



O defesa-central Valdomiro já está na cidade-Berço para assinar contrato com o V. Guimarães.

O jogador brasileiro fez testes médicos na manhã desta quarta-feira em Guimarães e deverá ser apresentado como reforço a qualquer momento. O contrato que ligará o ex-defesa de Trofense e U. Leiria ao V. Guimarães será válido por ano e meio. Valdomiro regressa a Portugal depois de curta passagem pelo Dubai, onde representou o Al Wasl.

Entretanto, o clube chegou a acordo com Tiago Alencar para rescindir contrato. O futebolista deixa Guimarães e deverá regressar ao futebol brasileiro.

Esta tarde, a equipa de Paulo Sérgio vai realizar um jogo-treino com o Tirsense, a partir das 15 horas.

Fonte: a Bola

Ronaldo: «Voltarei a conquistar a Bola de Ouro»



"Voltarei a conquistar a Bola de Ouro". A convicção demonstrada por Cristiano Ronaldo não deixa dúvidas da sua grande ambição para o novo ano que se avizinha. Em entrevista ao diário desportivo espanhol "Marca", o capitão da equipa nacional portuguesa quebra o silêncio e fala pela primeira vez desde que debelou totalmente a lesão que o afastou dos relvados e privou Portugal e o Real Madrid de toda a sua categoria.

"Não terei de voltar a ser operado. O tornozelo já está em perfeitas condições. Se não fossem os médicos do Real Madrid ainda não estaria bem", revelou o português, descansando os adeptos madridistas, portugueses e do futebol em geral, ao mesmo tempo que deixava o elogio, em jeito de agradecimento, ao corpo clínico do emblema madrileno.

Fonte: Record

Desafio Difícil

Que jogador de futebol profissional marcou 13 golos numa só partida de futebol???



Responda acertadamente e escreva para a nossa rubrica "Expert da Bola"...

Naval está em risco de descer

CONSELHO DE JUSTIÇA CHUMBA RECURSO DOS FIGUEIRENSES

O Conselho de Justiça (CJ) da Federação Portuguesa de Futebol rejeitou o recurso da decisão da Comissão Disciplinar (CD) da Liga apresentado pela Naval e que condenava o clube figueirense pela prática de infração disciplinar grave por prestar falsas informações ao órgão que tutela o futebol profissional.

O resultado imediato deste indeferimento traduz-se para a Naval pelo pagamento de uma multa de 10 mil euros pelo facto de não ter cumprido todos os requisitos na inscrição da equipa na Liga Sagres. A denúncia foi feita pelo seu ex-jogador Igor, a quem era devida uma verba de 2.500 euros, entretanto solvida. A CD da Liga considerou dolosa a ação da Naval e o CJ confirmou agora essa decisão.

As consequências para a Naval podem, contudo, ser mais graves, uma vez que os clubes não podem inscrever-se nas competições profissionais sem terem liquidado todas as verbas com os atletas ou, em alternativa, apresentarem acordos por escrito nesse sentido. Ora, a Naval não o fez. Nestas circunstâncias, de acordo com os regulamentos, o clube da Figueira da Foz corre o risco de ser excluído das competições profissionais.

Essa decisão vai agora ficar nas mãos da Comissão Executiva da Liga, que certamente irá ponderar o facto de a Naval ser um clube cumpridor, sendo a exclusão uma pena excessiva por uma dívida de 2.500 euros que liquidou, embora com dias de atraso. No entanto, o facto de não ter cumprido todos os requisitos no momento da inscrição é bastante para determinar a exclusão das ligas profissionais.

Fonte: Record

terça-feira, 29 de dezembro de 2009

«Espero entrar na história do Benfica» – Airton



Os "tenros" 19 anos não retiram a Airton a ambição de vingar de águia ao peito. O médio brasileiro, que o Benfica contratou ao recém-sagrado campeão Flamengo, diz-se decidido a «entrar para a história» do clube da Luz e «tranquilo» com a responsabilidade de envergar a camisola encarnada.

«Já sabia que o Benfica tinha uma estrutura boa e uma “torcida” muito grande. É um clube com história e eu espero fazer parte dessa história», disse o jovem jogador, em declarações à Benfica TV, defendendo que «é importante ter uma “torcida” como esta, tão grande como a do meu anterior clube, o Flamengo». «Espero retribuir o esforço que fizeram para que viesse», frisou.

Airton define-se com um médio que marca «muito bem», mas que também consegue «chegar ao ataque». Quanto à responsabilidade de representar um clube com a dimensão do Benfica... «É assim com clubes grandes. Estou tranquilo quanto a isso», afiançou.

Fonte: a Bola

Pinto da Costa: «No FC Porto não há petróleo»

CONTRATAÇÕES DOS RIVAIS SUSCITAM COMENTÁRIO

Pinto da Costa comentou esta terça-feira o reforço dos plantéis dos dois principais rivais, Benfica e Sporting, garantido que o FC Porto não seguirá a mesma política de contratações.

"Não tenho nada a ver com isso mas se calhar há petróleo em Lisboa. No FC Porto não há. Temos de ser realistas. Temos aquilo que desejamos e até ao momento o treinador não me pediu qualquer jogador. O nosso plantel é excelente", referiu.

O presidente do clube campeão nacional acredita que alguns jogadores do plantel às ordens de Jesualdo que estiveram mais "apagados" na primeira fase do campeonato vão surgir em bom plano na segunda.

Fonte: Record

Stojkovic no Wigan Athletic por empréstimo



O guarda-redes sérvio, de 26 anos, vai representar os ingleses do Wigan Athletic nos próximos seis meses, por empréstimo do Sporting.

O acordo entre as partes acaba de ser estabelecido e Vladimir Stojkovic só regressará a Alvalade no final da época.

O Wigan ocupa a 15ª posição da Premier league, com 19 pontos, e é treinado pelo espanhol Roberto Martinez.

Fonte: a Bola

Pérolas do FM

Esta semana fiquem com imagens do possante avançado Colombiano, Leider Preciado.
Alguns certamente se lembram dele no Mundial 98, ao serviço da sua selecção, ou mesmo antes disso quando actuava em Espanha no Racing Santader. Mas foi na saga CM (mais propriamente no 01/02), que Preciado nos brindou com uns excelentes atributos... sem dúvida um dos melhores avançados do jogo!

Miguel Garcia para o lugar de João Pereira



Miguel Garcia deverá ser confirmado nas próximas horas como reforço do Sp. Braga para o lado direito da defesa.

O lateral do Olhanense, de 26 anos, é o eleito da SAD arsenalista para substituir João Pereira, transferido para o Sporting a troco de três milhões de euros.

O herói de Alkmaar, como ficou conhecido depois de marcar um golo épico que apurou o Sporting para a final da Taça UEFA, em 2005, reúne o perfil desejado pelo Sp. Braga: é um defesa forte na marcação, que sobe bem no apoio ao ataque e com um binómio experiência/idade que o torna muito apetecível.

Além do mais, a sua aquisição não forçará os minhotos a fazer um investimento avultado. Pelo contrário: quando assinou por dois anos pelo Olhanense, no início desta temporada, jogador e clube estipularam uma cláusula de rescisão baixa.

Fonte: a Bola

segunda-feira, 28 de dezembro de 2009

Canto Curto

Sejam bem vindos…

Numa altura em que o país vive uma grande crise social e financeira e em que muito se escreve sobre o avolumado estado caótico das finanças dos clubes de futebol… eis que Benfica e Sporting enchem primeiras capas de jornais com reforços de inverno. Estarão os rivais de Lisboa a apostar o tudo por tudo? Ou foi apenas o “pai natal” que abriu os cordões à bolsa e fez o período de transferências de inverno, mais parecer o período de transferências de verão…
De qualquer das formas, é com todo o agrado que os adeptos do futebol no geral têm que receber de braços abertos as contratações dos leões e águias. Mais no caso leonino, que parece decidido em apostar em grandes nomes, para colmatar as grandes lacunas do plantel. No caso do Benfica, preferiram apostar no mercado Brasileiro, em nomes de segunda linha e com algum potencial. Este contraste acontece também visto “esses” grandes nomes já terem “aterrado” na Luz no início da época. Logo o Benfica não necessitar da revolução que se passa para o lado de Alvalade.
A discussão já é muita e longa. Adeptos rivais travam-se de razões, opinando sobre a qualidade dos reforços e até onde poderão ir. Muitos dizem que o Benfica agora é só brasileiros e nenhum dos novos craques da terra de Vera Cruz irá vingar. Por outro lado, dizem também que irá chegar o novo Jardel e afins… Também se discute os valores pagos pelos reforços sportinguistas, dizendo que é demais para jogadores que não são verdadeiros craques. Outros defendem que é desta que o Sporting vai entrar na rota do título.
Quanto a mim, limito-me a dar as boas vindas a jogadores de tão grande nome e igualmente de tão grande potencial. Todos sabemos que o nome não chega (no caso das contratações leoninas), mas será muito bom para um campeonato como o nosso receber jogadores do calibre de Pongolle… e mais uns quantos que se fala. É esperar para que resultem e aumentem a competitividade da Liga Sagres! Quanto aos reforços encarnados, é esperar para que se adaptem e também daí resultem novas mais valias do campeonato português de futebol!
Para terminar, e depois de o Sporting, através de JEB, mostrar que “está aí para as curvas” no mercado… gostaria de saber como se sente o Paulo Bento em casa?
Ou então, se há “maneio” para bons jogadores, não seria melhor também, ter tirado uma parte desse tal “maneio” para contratar um “Treinador”, aqui há uns meses atrás?

João Vasco Nunes

Sporting deu 6,5 milhões por Pongolle

FRANCÊS VAI TER CLÁUSULA DE RESCISÃO DE 18 MILHÕES

O Sporting oficializou, em comunicado enviado à CMVM, a contratação de Florent Sinama-Pongolle. O francês custa 6,5 milhões de euros "a pagar ao longo de 3 anos". A este valor fixo acresce um variável de 1 milhão, "dependente da performance desportiva do jogador".

O contrato terá a duração de 3 anos e meio (até 30 de junho de 2013), sendo que o avançado terá uma cláusula de rescisão de 18 milhões de euros, tal como os leões anunciaram à CMVM.

Fonte: Record

Trinco Esquerdo




André Amante

Abdoulaye quer afirmar-se na equipa principal



O central senegalês, júnior que tem marcado presença assídua nos trabalhos do plantel principal do FC Porto, regressa à Invicta com esperança renovada de ser definitivamente integrado na equipa de Jesualdo Ferreira.

«O meu objectivo é esse: fazer parte do plantel principal. Tenho tido oportunidades de mostrar o meu valor à equipa técnica e, se conseguir isso, será muito bom», referiu o jovem (18 anos) jogador à chega ao Porto depois de gozar as férias natalícias.

Abdoulaye foi o único jogador do FC Porto a prestar declarações no Aeroporto Sá Carneiro, onde chegaram também, esta segunda-feira, Tomás Costa, Beluschi, Mariano, Falcao, Guarín, Rolando, Helton, Prediguer, Fernando, Rodriguez e Fucile.

O plantel orientado por Jesualdo Ferreira regressa hoje aos trabalhos, sessão que está agendada para as 15.30 horas no Olival e que será aberta aos jornalistas durante os primeiros 15 minutos.

Fonte: a Bola

Éder Luis a caminho da Luz



Éder Luís vai ser o terceiro reforço do Benfica na reabertura do mercado de transferências, segundo Record apurou. Depois de Airton e Kardec, os encarnados asseguraram a aquisição de mais um jovem valor brasileiro que deverá viajar para Lisboa nos próximos dias. Neste momento, faltam apenas limar algumas arestas no negócio, nomeadamente a percentagem do passe do atleta com que ficará o clube da Luz já que o Atlético Mineiro detém apenas 50 por cento do passe, que chegou a estar avaliado em 9 milhões de euros. Contudo, tal não será entrave ao negócio que ficou alinhavado quando o presidente do emblema mineiro se deslocou a Lisboa pouco antes do Natal, na companhia do próprio jogador, que também era cobiçado pelo FC Porto.

Quem pode entrar no negócio é Fellipe Bastos, dispensado recentemente do Belenenses e para quem as águias procuram colocação. O técnico do Atlético, Wanderley Luxemburgo, tem feito força para incluir Felipe Menezes no negócio mas Jorge Jesus mostra-se intransigente, para já, quanto à saída do médio contratado no verão ao Goiás.

Fonte: Record

domingo, 27 de dezembro de 2009

Luís Filipe empenhado em dar seguimento a «onda de vitórias»



O lateral-direito do Benfica diz que é preciso dar seguimento à «excelente caminhada» que a equipa comandada por Jorge Jesus tem feito até aqui.

«Temos feito uma excelente caminhada, não só pela classificação que temos, mas pelas exibições que temos tido. Penso que é sempre muito bom juntar as vitórias com um jogo agradável. Há que continuar assim. Agora temos esta paragem, mas temos de regressar ainda mais fortes porque ainda falta muito para acabar», disse Luís Filipe em declarações à BenficaTV, onde previu «um 2010 ainda mais difícil». «Há que estar atento a todos e continuar nesta onda de vitórias», atirou.

Fonte: a Bola

Debate Aberto



Acham que o Sporting se está a reforçar da melhor forma?

Acham que os actuais reforços são suficientes para ultrapassar a crise?

Se não, quais os sectores que ainda deveriam ser reforçados?

Sinama-Pongolle: «Senti-me muito desejado»

Em Espanha diz-se que o passe de Pongolle custa 6 milhões de euros, o francês deverá estar em Lisboa entre amanhã e terça.

Sinama-Pongolle está em França a gozar os últimos dias das férias natalícias. Contactado por A BOLA, o avançado mostrou-se algo reservado na abordagem à transferência para Alvalade. «Por agora não há qualquer confirmação, portanto, não posso falar», disse.

Perante a insistência do jornalista, Pongolle lá soltou duas frases elucidativas quanto ao seu futuro. «Posso ir para Lisboa a qualquer momento. O Sporting é um grande clube», disse.

Apesar destas cautelas à imprensa portuguesa, Sinama-Pongolle mostrou-se muito expansivo quando falou com o francês L'Équipe. «O Sporting joga sempre na Liga dos Campeões ou na Liga Europa. Senti-me muito desejado e é bom ir para uma equipa na qual me sinto desejado. Isso vai dar-me confiança. Nesta altura da minha carreira, não sinto qualquer receio em correr riscos», sublinhou.

Fonte: a Bola

«Se algum dia for seleccionador, direi não aos naturalizados» – Mourinho



É do conhecimento público que José Mourinho gostaria de, no futuro, chegar a seleccionador de Portugal. No entanto, o actual treinador do Inter de Milão diz que, se isso chegar a acontecer, os naturalizados não terão lugar na equipa das Quinas.

«Se algum dia for seleccionador, direi não aos naturalizados», avançou, em entrevista ao Público. Sobre os luso-brasileiros que agora jogam por Portugal, diz não ter legitimidade para se pronunciar: «Não sou ninguém para concordar ou discordar, porque quem está nos centros de decisão é que tem legitimidade total para decidir».

Ao mesmo jornal, Mourinho falou ainda das muitas controvérsias que o têm assolado: «Dou o peito às balas e sempre darei. Nasci assim no futebol e vou morrer assim. Mas também lhe confesso que sabe bem, de vez em quando, ver aparecer alguém com um colete à prova de balas! Dois anos no FC Porto habituaram-me mal».

Fonte: a Bola

sábado, 26 de dezembro de 2009

Sinama-Pongolle já é Leão



Sinama-Pongolle, avançado francês do Atlético de Madrid, é reforço do Sporting. Os leões já chegaram a acordo com o jogador de 26 anos e com o clube colchonero, devendo anunciar em breve a transferência em comunicado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

Pongolle é um avançado móvel, formado no Le Havre, mas que rumou bem cedo ao Liverpool. Representou ainda Blackburn e Recreativo Huelva antes de se mudar para o Atlético de Madrid, onde tem sido suplente de Kun Aguero e Diego Forlan.

Fonte: a Bola

Off Side - os apanhados da bola

Esta semana fiquem com a acção de um senhor que queria estar "on-side"...

Del Horno para a esquerda




Depois de contratar João Pereira para reforçar o lado direito, o Sporting procura no mercado uma alternativa para o lado contrário do sector defensivo e já elegeu a sua prioridade: Del Horno.

O defesa espanhol, que actualmente está ao serviço do Valência, é a prioridade da SAD para aumentar a competitividade nessa posição e preencher a vaga de André Marques, que em Janeiro deverá voltar a ser emprestado.

O Sporting, ao que A BOLA apurou, pretende apenas o empréstimo do jogador, de 28 anos, até final da presente temporada e já encetou contactos com os responsáveis do clube espanhol para formalizar o interesse. Caso tenha sucesso, Carlos Carvalhal ganha um jogador experiente e de grande maturidade, habituado a jogar numa liga competitiva.

Del Horno é, assim, o alvo preferencial do Sporting, embora o clube tenha outros jogadores referenciados no mercado, pois é de todo o interesse da SAD em reequilibrar o plantel o mais rapidamente possível de forma a dar ao treinador todas as condições de reiniciar época na máxima força.

A concretizar-se a operação de charme, este seria o segundo reforço a chegar de Valência, depois da contratação do médio Angulo que quatro meses depois de ter chegado acabou por rescindir amigavelmente o seu contrato.

Fonte: aBola

Trinco Esquerdo



André Amante

sexta-feira, 25 de dezembro de 2009

João Pereira cumpre o sonho do pai



Adelino Pedro é sportinguista dos sete costados e foi um dos primeiros a saber da transferência. Ficou felicíssimo quando se confirmou a ida do filho para Alvalade e está ansioso para assistir à estreia do herdeiro com a camisola do leão.

A transferência de João Pereira do Sp. Braga para o Sporting, naturalmente, deixou o jogador satisfeito. Mas felicíssimo ficou também o pai de João Pereira, Adelino Pedro, que aos 60 anos vê cumprido o sonho de ver o filho vestir a camisola do leão.

A BOLA contactou Adelino Pedro que, no entanto, educadamente, preferiu não prestar declarações. Afinal, a estrela é o filho e não ele. Mas conta quem conhece que é daqueles sportinguistas fieis. Leão até à morte, a mesma expressão que João Pereira escolheu para se apresentar aos sportinguistas. Talvez fonte de inspiração paterna.

Fonte: a Bola

"Na qualificação não tivemos o melhor do Mundo" - Carlos Queiroz

A entrevista de Carlos Queiroz em exclusivo a O JOGO começou ainda no Brasil, aquando da presença do seleccionador nacional num fórum internacional de treinadores, onde deixou uma excelente imagem, e foi actualizada ainda esta semana, depois da lesão sofrida por Pepe. Ao longo da conversa manteve sempre um discurso ambicioso, próprio de quem quer levar Portugal muito longe na África do Sul


Brasil, Costa do Marfim e Coreia do Norte são os três adversários de Portugal na primeira fase do Mundial'2010. Nada que tire o sono ao seleccionador nacional. Existe o respeito pelos adversários, mas sem receio de jogar contra os melhores.

Em entrevista exclusiva a O JOGO, Carlos Queiroz faz um balanço de uma caminhada difícil, responde aos críticos, aborda algumas questões do momento e lança o futuro da equipa.


Depois da realização do sorteio, ficou mais ou menos optimista?

Qualquer que fosse o sorteio o meu estado de espírito seria o mesmo. Primeiro, o mais importante é estarmos no campeonato do mundo, desfrutarmos deste momento, pois estamos entre as 32 melhores equipas do mundo.
É um momento especial para nós. Temos de nos preparar bem, porque temos uma causa e uma missão a cumprir. Temos de estar todos juntos nesta prova. Temos de estar concentrados no primeiro jogo, contra a Costa do Marfim. E só depois iremos preparar os dois jogos seguintes. Se queremos ser os melhores, temos de jogar contra os melhores.

Alguns números indicam que Portugal tem cerca de 500 mil jogadores, o Brasil tem cerca de 13 milhões. Como é possível lutar contra esta evidência?

Não sei onde estão os 500 mil jogadores. Os números oficiais da Federação Portuguesa de Futebol são cerca de 130 ou 140 mil jogadores.

Havendo uma diferença tão grande, é legítimo exigir a Portugal que ganhe ao Brasil?

Aquilo que exigimos do futebol é sempre uma aventura, é sempre uma loucura. Mas são uma aventura e uma loucura extremamente atraentes. O dinheiro fala em futebol e os números, quando são tremendos como esses, também falam. O Brasil exporta, por ano, uma média de 1000 ou 1200 jogadores profissionais para todo o mundo. Isso dá-lhe uma profundidade de soluções, à parte a valia técnica dos seus treinadores e dos seus jogadores. É por isso que o Brasil conquistou cinco campeonatos do mundo, e também é por isso que a Argentina tem dois títulos mundiais e a Itália tem quatro.

Tendo um campo maior de escolha, essa quantidade pode ser determinante?

Em futebol a quantidade não é sinónimo de qualidade. Portugal já provou isso. Já foi campeão do mundo duas vezes no escalão de sub-20. Sei que há sempre pessoas que gostam de desvalorizar esses factos, mas em futebol ou noutras áreas, quando estamos bem preparados temos condições de competir. Se vamos ganhar ou não, é outra história, mas podemos competir. Uma coisa é certa: se não tivermos uma preparação ambiciosa, se não tivermos a ambição de ser primeiros, se não tivermos a ambição, a atitude e a postura de exigir o máximo de nós próprios, nunca vamos chegar lá. Podemos não chegar lá, mas onde temos de ser campeões do mundo é nas exigências que pomos a nós próprios. Não neste estado de espírito de pensar que as coisas acontecem porque somos imbecis ou porque tivemos sorte. Isso não é verdade. Queremos estar bem preparados para quando chegar o jogo contra a Costa do Marfim podermos ganhar. É nisto que nos vamos concentrar. Nos detalhes, na preparação, nas viagens, na alimentação, treinar bem, esperar que os nossos jogadores estejam em forma.

É a enorme diferença no campo de recrutamento entre Portugal e o Brasil que leva a Selecção Nacional a ir buscar "reforços" ao Brasil?

Não. Hoje há um mundo diferente, moderno e aberto. Diria que o mundo nunca foi tão nómada como hoje. Portanto, esta multiplicidade de identidades, de afirmações existem por todo o lado. Isto aconteceu um pouco por todo o lado e em todos os desportos. Hoje vê-se isto no futebol, no voleibol, no andebol, no basquetebol e no atletismo. O mundo não pára. Podemos é dizer se gosto ou não gosto, mas isso é diferente, é outra história

E o seleccionador nacional, gosta ou não?

Gosto do mundo em que vivo. Não quero viver do passado. O passado para mim é uma história que deve existir para nos dar experiência, maturidade e conhecimentos para as melhores decisões no futuro. Na vida quem só olha pelo passado e presente perde o comboio do futuro. Temos de ter uma visão modernista, saber antecipar o futuro, perceber as tendências das sociedades e dos futebóis de todo o mundo. Temos de acompanhar tudo ou então entrar na reforma. Eu não quero isso, quero estar no topo da montanha, no topo do mundo. Neste momento temos de festejar a qualificação. Caramba, todo o Mundo tentou a qualificação e muitos não o conseguiram. Temos de festejar a qualificação, mas não celebrar, porque não ganhámos nenhum título e não temos nenhuma medalha. Mas o que não podemos fazer é repousarmos sobre estes sucessos complementares e esquecermos o futuro.

O que pode ser feito?

Para lançarmos o futuro temos de saber tirar partido das classificações anteriores no Europeu e no Mundial, onde fomos quartos, desta nova qualificação para o Mundial e do facto de sermos quintos no ranking da FIFA. Não posso dormir sobre os resultados e os lucros que cada etapa da vida me dá. Portanto, o povo português gosta de futebol? Sim. Os miúdos portugueses gostam de jogar à bola? Sim. Os portugueses têm qualidades excepcionais para jogar futebol? Sim. Podemos ter mais campos para treinar? Sim. Podemos ter melhores treinadores? Sim. Podemos ter uma melhor programação para a preparação e formação dos jogadores de elite? Sem dúvida. Podemos fazer mais coisas? Podemos. Se há condições, por que não fazê-lo? Ao mesmo tempo que estamos a preparar o campeonato do mundo, estamos preocupados com os sub-17 e com os sub-19. Temos de preparar uma elite de jogadores para que possam estar bem preparados para hoje e para amanhã, porque temos de ser consistentes na vitória. Temos de estar preparados para ganhar, mesmo contra equipas mais fortes, porque hoje em dia os jogadores em todo o mundo estão a preparar-se cada vez melhor. Portanto, só temos uma alternativa, prepararmo-nos melhor.

Fonte: o Jogo

«Espero não ter mais lesões» - Cristiano Ronaldo



Cristiano Ronaldo já tem os desejos formulados para a passagem de ano. O craque português do Real Madrid não pede carros nem dinheiro. Pede apenas saúde para poder jogar ao mais alto nível.

«Espero não ter mais lesões e poder ajudar este clube a conquistar todas as competições em que participa. E não o digo só para o ano que vem, mas também para o futuro», disse o português citado pelo jornal As.

Ronaldo garantiu ter «esperança» de que o Real Madrid melhore «muito» e admitiu que «seria um espectáculo jogar a final da Liga dos Campeões no Estádio Santiago Bernabéu». «Seria incrível chegar à final, tanto para nós, jogadores, como para os adeptos, prosseguiu.

O Natal de Cristiano Ronaldo será passado entre Funchal e Lisboa. «Vou celebrá-lo com toda a família. É um momento muito especial que aproveito ao máximo, porque não tenho a felicidade de estar sempre com eles durante o ano e com a família toda junta. Por isso, estarmos todos reunidos é um momento de grande alegria para mim e para eles».

Fonte: a Bola

quinta-feira, 24 de dezembro de 2009

Pedro Silva sem espaço não quer sair em Janeiro



A chegada de João Pereira ao Sporting deixa Pedro Silva sem espaço no plantel leonino, tanto que os leões tentaram, até, colocar o brasileiro no pacote da transferência do ex-Sp. Braga para Alvalade. Os bracarenses, no entanto, viraram-se para outro lado e os leões deverão agora tentar ceder Pedro Silva.

Acontece que o defesa não está pelos ajustes e não quer sair em Janeiro. O representante do lateral-direito, Teodoro Constantim, está em Portugal, onde ficará até perto do final do ano, e um dos dossiers que tem em mãos é precisamente o de Pedro Silva. Contactado por A BOLA, foi o empresário que revelou a intenção do jogador em não ceder perante o cenário de saída. Seja de forma definitiva, seja mediante um empréstimo.

«O Pedro Silva não quer sair em Janeiro», afirmou, peremptório, e acrescentou: «Ele quer cumprir o contrato até ao fim.»

Fonte: A Bola

Galeria D´arte

Esta semana fiquem com um golo, que a meu ver, é das melhores execuções técnicas (remate) de sempre. Um golo directamente do campeonato Australiano...

Paulo Assunção quer jogar por Portugal na África do Sul

MÉDIO DO ATL. MADRID REVELA QUE SCOLARI EQUACIONOU A SUA CHAMADA



Paulo Assunção manifestou nesta quarta-feira o desejo de representar a seleção portuguesa no Mundial'2010. O médio do Atlético de Madrid nasceu no Brasil mas tem também a nacionalidade portuguesa, na sequência da sua passagem por Nacional e FC Porto.
"Todos os jogadores profissionais sonham com um Mundial, mas para já penso em ajudar o At. Madrid a qualificar-se para a Liga dos Campeões", referiu Paulo Assunção, revelando ainda que Luiz Felipe Scolari equacionou a sua chamada.

"No final da época, pensarei na África do Sul. Scolari falava comigo e tinha-me nos seus planos, mas Carlos Queiroz ainda não me chamou. Se isso acontecesse, ficaria encantado", garantiu o médio.

Fonte: a Bola

«Prometo aos adeptos que não saio do Benfica sem ser campeão!»



Os caracóis tornaram-se imagem de marca, a forma de estar em campo também e é já um dos preferidos da família encarnada. David Luiz converteu-se ao Benfica e fala disso em entrevista a A BOLA. «Cada vez mais amo o Benfica e sinto que é o clube da minha vida», diz.

«Estava muito longe de imaginar que era isto, o Benfica é uma vida. É impossível descrever, é só sair na rua e sentir a paixão das pessoas, olhar para o lado e pensar que naquela multidão a maioria sente o mesmo amor que nós», explica ainda o jogador, que não tem qualquer problema em abordar, numa altura em que se fala insistentemente do Real Madrid, uma eventual saída da Luz.

E se fala do assunto com tamanha abertura é porque não tem complexos ou coisas a esconder. «O meu futuro não está nas mãos de um homem, está nas mãos de Deus. Ele é que vai guiar o meu caminho e tem um caminho definido para mim. Nem sei se algum dia sairei do Benfica e por vezes até me passa pela carreira acabar a minha carreira aqui, pois sinto o maior orgulho do mundo em vestir esta camisola. É o clube da minha vida», afirma, sem mudar de canal: «Se tiver de deixar o Benfica será uma decisão de Deus e não minha. Mas quero sublinhar que não tenho pressa alguma em sair do Benfica e nem sei se isso irá alguma vez acontecer. É algo em que não penso. Mas se isso vier a suceder quero fazê-lo de consciência tranquila. Prometo aos adeptos que não saio do Benfica sem ser campeão nacional.»

O defesa-central, que por esta altura está no Brasil a passar esta quadra festiva, aproveita ainda para deixar mensagem, garantindo ter presente especial para os adeptos do clube da Luz: «Desejo a todos os benfiquistas que passem o seu Natal da melhor maneira possível, que passem o seu Natal junto da família e dos amigos, com muita paz e amor, unidos e felizes. Tenho uma prenda para vocês, mas só posso oferecê-la lá para Maio, no fim do campeonato, o título! Espero que não se importem de esperar...»

Fonte: A Bola

Edinho lamenta falta de oportunidades no Málaga



O avançado Edinho, que tem sido integrado as últimas convocatórias de Carlos Queirós para a Selecção Nacional, assume mal-estar com a falta de oportunidades no Málaga, até porque tem como objectivo marcar presença no Mundial-2010.

O jogador apenas entrou por duas vezes a titular na presente Liga espanhola, mais nove aparições como suplente não utilizado, tendo apontado dois golos. Agora, falando à rádio espanhola Onda Cero, lamenta «falta de oportunidades para demonstrar qualidade». «Se jogo na Selecção portuguesa é porque tenho valor», disse.

«Não penso em sair, nem falei com ninguém sobre isso. O presidente já disse que conta comigo, mas o treinador não disse nada. De qualquer forma, quero triunfar no Málaga», rematou.


Fonte: A Bola

quarta-feira, 23 de dezembro de 2009

Kanouté: "Nenhum professor tinha mão em mim"

O avançado do Sevilha explicou ao i porque é mais do que um avançado do Sevilha. No dia em que organizou o jogo contra a fome falou de religião e raças. E até de futebol...



Há três anos, Frédéric Kanouté marcou em todas as cinco finais ganhas pelo Sevilha (Taça UEFA, Supertaça Europeia, Taça do Rei, Taça UEFA e Supertaça de Espanha). Há dois, pagou qualquer coisa como 500 mil euros para impedir o fecho de uma mesquita na Praça Ponce de León, o principal centro de culto islâmico de Sevilha, onde joga desde 2005. Há um, recusou vestir a camisola do Sevilha com o patrocínio 888.com porque é um site de apostas, o que vai contra os princípios do islão, obrigando o clube a dar-lhe uma camisola sem publicidade em cada jogo nas primeiras cinco jornadas. Este ano, mais precisamente ontem, Kanouté foi novamente notícia por um motivo nobre, com a organização do jogo Champions for Africa, no Santiago Bernabéu, em Madrid.

Aqui não houve adversários, só amigos (entre eles, os internacionais portugueses Zé Castro, do Deportivo, e Makukula, do Kayserispor) que se juntaram por uma boa causa de um trintão, cuja mãe, professora de Filosofia em Lyon, lhe incutiu o amor pelas letras e o pai, operário das obras no Mali, pelo trabalho duro. E ambos o respeito pela diversidade de culturas, raças e religiões, o que faz dele um jogador peculiar e um homem excepcional, que vive com os pés na Europa e com a cabeça em África. O i tomou-lhe o pulso.

Qual o intuito de promover este jogo Champions for Africa?

A organização está a cargo da minha fundação [www.kanoute.com] e da Unicef. Os fundos vão para a designada Cidade das Crianças, nos arredores de Bamako, no Mali. Uma parte é para o alojamento. Vamos ter 12 a 15 casas, com dez crianças em cada uma, e com mães adoptivas. Já construímos um centro de saúde e ainda vamos ter escolas e centros de formação profissional. No total recebemos 150 crianças. As primeiras chegarão daqui a quatro ou cinco meses. Na Cidade das Crianças, há também a parte do desporto, graças a um convénio com a associação Futebol Solidário.

Quais são as diferenças entre África e Europa?

São dois mundos muito diferentes. Há muitas coisas que faltam em África e muitas coisas que sobram. Na Europa é o mesmo. Às vezes, o que falta aqui sobra ali e vice-versa. Mas admito que, por vezes, envergonho-me de tudo o que nós, futebolistas, temos. Aqui, na Europa, vês o comportamento de muita gente, das crianças, e parecem tristes, mas aqui têm tudo e queixam-se por nada. Em África, não têm nada e vivem alegres. Por isso, em África, a questão passa por educar e dar oportunidades. Já não se trata apenas de enviar comida e dinheiro. Isso já não chega. Sei disso porque vivo entre a elite e parte da minha família ainda continua no Mali sem as mesmas condições que eu.

Esse amor por África...

Nasceu com o meu pai. Ele é que é do Mali e transferiu-me essa dedicação e admiração. O meu coração chama por África, embora tenha nascido nos arredores de Lyon, em França. A minha mãe é francesa e o meu pai é maliano. Sou bicultural e a minha vida tem sido uma viagem intensa e vertiginosa de ritmos e culturas diferentes. Sou a prova provada que é possível a união pacífica de duas raças.

Por isso é que andou aos ziguezagues e foi internacional francês de sub-20 e selecção B antes de escolher a selecção do Mali?

Quando escolhi França, disse sim e pronto. Era jovem e nem pensei uma vez, quanto mais duas. É difícil dizer não a uma selecção que está sempre em todas as fases finais de Europeus e Mundiais. Ainda experimentei bons momentos, como o Torneio de Toulon-1998 [jogou até com Portugal e ganhou no desempate por penáltis, nas meias-finais da prova, ganha pela Argentina com Riquelme a ser eleito o melhor em campo], treinado pelo actual seleccionador de França [Raymond Domenech], mas depois saiu aquela lei da FIFA que dava a possibilidade de jogadores com dupla nacionalidade sem nenhuma internacionalização AA poderem jogar por outra selecção. E aí também nem pensei muito, pois estava sempre de olho na selecção do Mali, o país do meu pai. Tinha 27 anos, a França nunca mais me chamava e optei pelo Mali. Não me arrependo de nada e até vou a África mais vezes do que é costume, e assim posso estar em contacto directo com a minha fundação, o meu país e o meu continente.

E por que razão o Mali nunca foi a um Mundial?

Em 2006 estivemos realmente perto de ir à Alemanha. Julgávamos que éramos nós ou o Senegal, que estivera muito bem em 2002. Mas quem avançou foi o Togo, uma surpresa.

E não foi no jogo com o Togo que o deram como desaparecido?

[Gargalhadas] Essa foi uma história mal contada. Nunca vi um continente como o africano tão apaixonado pelo futebol. Todo o país [do Mali] estava indignado com a derrota frente ao Togo mas nunca senti a minha vida em risco. Tanto assim é que regressei a Inglaterra, quando ainda jogava no Tottenham, pelo meu próprio pé, sem qualquer problema. Quando chego a Londres e ligo o telemóvel, aparecem-me uma série de mensagens de amigos preocupados comigo, com o meu estado de saúde, porque tinha saído por aí que eu fora ameaçado pelos adeptos do meu país e até já estava dado como desaparecido. São aqueles excessos de um país com problemas sociais e económicos, em que as pessoas se servem do futebol para libertar toda aquela tensão. Tudo é bonito quando se ganha, mas quando se perde, é triste. Não condeno, apenas compreendo.

Essa rebeldia popular também existe em si?

Cresci em França, digamos... num bairro modesto, numa família humilde e normal. Mas, sim, é verdade que tive alguns problemas com a autoridade e era bastante irrequieto na escola. Nenhum professor tinha mão em mim. No futebol nunca dei problemas à autoridade.

A mesma rebeldia que o persegue. Não foi o Kanouté que se insurgiu contra o patrocínio de um site de apostas (888.com) nas camisolas do Sevilha?

Sim, é verdade, mas cheguei à conclusão de que não havia nada a fazer. Aquilo era um contrato da empresa com o clube e eu não podia evitar o que quer que fosse. Apenas pedi ao clube para não participar nos actos publicitários desse site, situação imediatamente entendida pelas duas partes.

Isso foi pouco tempo depois de se dedicar ao islão?

Nunca tive uma educação religiosa, mas sempre pensava em Deus e fazia-me muitas perguntas. Até que, aos 20 anos, fui à procura, digamos assim, de uma religião. A escolha do islão foi espontânea: pelas constantes viagem a África, por aquilo que via e retinha na memória, pelos meus amigos muçulmanos em França. Enfim, uma série de factores importantes que me fizeram ver a luz.

E hoje como olha para as outras religiões?

Há uma publicidade muito, muito má da religião. A religião deu maus exemplos ao longo da história. Agora dizem mal do islão, mas houve tempos em que o fizeram com o cristianismo. No fundo, a religião não é guerra nem confronto, é precisamente o contrário. O espírito da religião não é o medo, é conhecer o próximo.

E esse medo passa para os campos de futebol?

Claramente. Vivemos na sociedade do medo, que advém da falta de conhecimento. A ignorância gera medo. E salta das ruas para os estádios, que, cheios ou vazios, extravasam as suas ideias.

Há racismo em Espanha?

Um pouco, sim. Pessoas que dizem disparates em alguns estádios, mas poucas. Isso só reflecte a sociedade em que vivemos. Não basta ir ao campo de futebol e anular o jogo ou manda calar os infractores. Temos de ir à sociedade e educar as pessoas. Se queremos ser ricos, como pessoas, temos de mudar o nosso estilo, a nossa filosofia. Talvez pensar melhor, antes de falar, tentar conhecer melhor o próximo, estudar os outro, aceitar o outro. Só estou a transmitir o ensinamento dos meus pais. É do mais lógico e puro que há.

Fonte: I

João Pereira: «Vou defender o Sporting até à morte»

REFORÇO LEONINO COM DISCURSO EMOCIONADO

Pouco depois de ser confirmado como primeiro reforço de inverno do Sporting, o lateral direito João Pereira marcou presença no jantar de Natal da Juventude Leonina, a mais representativa claque de apoio sportinguista. E à chegada ao evento, na zona do Campo Pequeno, em Lisboa, o ex-futebolista do Sporting de Braga jurou fidelidade ao clube de Alvalade.

"Estou muito feliz. O Sporting foi o clube que mais interesse mostrou na minha contratação", disse, antes de ser acompanhado por Fernando Mendes, líder da claque, para o repasto que conta com a presença de várias dezenas de leões, entre os quais Dias Ferreira, Mário Patrício, Salema Garção e alguns elementos das modalidades do clube.

Questionado sobre o seu passado de vários anos no rival Benfica, João Pereira desvalorizou. "O que interessa é que agora estou aqui. E vou defender o Sporting até à morte. Acho que vou ser bem recebido, pois sempre lutei pelas camisolas que vesti", prometeu.

Fonte: a Bola

Desafio Difícil

Esta semana tem que nos dizer qual era o capitão da selecção Brasileira no Mundial de sub-17 que se realizou na Finlândia em 2003?



Acerte e habilite-se a escrver na rubrica "Expert da bola"...

António "Toni" Conceição ex-Cluj é o novo treinador do Belenenses



António Conceição é o treinador escolhido pelo Belenenses para suceder a João Carlos Pereira. Direcção e treinador já conversaram e o acordo deve ser assinado esta quarta-feira.

Depois de uma estranha experiência na Roménia, onde treinava o Cluj – clube que deixou no primeiro lugar do campeonato – António Conceição acabou por ser o escolhido pela SAD azul, que inclusive já o abordou.

Segundo A BOLA apurou, o bom trabalho de Conceição na Roménia, as boas experiências em Portugal, bem como o facto de estar livre de compromissos, foram os factores determinantes para a escolha.

Na passagem pela Roménia, António Conceição, que tinha contrato até 2011, conquistou a Taça e a supertaça do país, qualificando o clube para a Liga Europa.

O treinador vê com bons olhos o desafio de comandar o clube do Restelo e neste momento apenas pequenos detalhes separam as duas partes. O contrato, cuja duração não foi ainda definido, deverá ser formalizado nas próximas horas.

Fonte: a Bola

After Hours

A jornada 14 da Liga Sagres começou na sexta-feira. O líder Braga deslocou-se à Mata Real para enfrentar o Paços de Ferreira. E saiu de lá com o título de Campeão de Inverno assegurado, pois derrotou os visitados por uma bola a zero, num jogo com poucas oportunidades e onde a sorte sorriu aos bracarenses.
O sábado iniciou-se com o Guimarães - Rio Ave, num jogo muito disputado a meio-campo e onde as oportunidades escassearam. Vitória para os da casa pela margem mínima, com o golo a surgir de bola parada, o que atesta bem a dificuldade das equipas em criar perigo.
O dia fechou com o Naval - Sporting, o 1º grande a entrar em campo nesta jornada. Os leões venceram por 1-0, num jogo fraco e com pouco interesse, onde as duas equipas jogaram mal, com ligeiro ascendente da equipa de Carlos Carvalhal.
No domingo a jornada prosseguiu, com mais 4 jogos. O Setúbal recebeu e bateu o Marítimo por 3-2. Vitória importantíssima para a equipa de Manuel Fernandes, que ganha pontos preciosos na fuga à despromoção. Jogo emotivo e com muitos golos, com o empate a ser, talvez, o resultado mais justo.
Já o Leiria derrotou, no seu estádio, o Belenenses. Um golo chegou para que os leirienses saíssem vitoriosos, num jogo fraco, onde as duas equipas denotaram já a necessidade da pausa natalícia.
Para terminar a ronda dos jogos à tarde, o Nacional recebeu e bateu a Académica por 4-3. Jogo espectacular, com muitos golos e com resultado incerto até final. A vitória assentaria bem a qualquer dos conjuntos. Muito bom jogo mesmo!
À noite chegou o grande jogo da jornada. Na Luz o Benfica defrontava o Porto. Jogo que se pode dividir em 3 períodos: a 1ª parte totalmente dominada pelos encarnados; os primeiros 25 minutos da 2ª totalmente dominados pelos dragões; os últimos 20 minutos onde não houve futebol, devido à chuva e ao mau estado do relvado. No final vitória do clube que ostenta a alcunha de Glorioso por 1-0, resultado que acaba por ser justíssimo pelo que se passou no relvado. Grande lição táctica de Jesus a Jesualdo.
A jornada fechou na segunda-feira, com o Leixões - Olhanense. Mais um jogo marcado pela chuva e por um mau relvado. No entanto, o resultado de 2-2 atesta bem do esforço das equipas em chegar à baliza contrária e em jogar futebol. No final, resultado justo.
Esta semana temos 3 "Belas": o Braga, Keita e Urreta. O Braga porque chega à pausa natalícia como líder (com toda a justiça) da Liga; o segundo por bisar na vitória do Setúbal numa altura em que a equipa precisava mesmo de pontos; o terceiro por cair meio do nada no Clássico e arrancar uma soberba exibição contra os dragões.
Os "Monstros" são 2: João Carlos Pereira e o túnel da Luz. O primeiro pois fez um trabalho muito fraco no Belenenses e acabou despedido com a equipa a segurar a lanterna vermelha; o segundo pois assistiu a cenas lastimáveis entre Sapunaru e Hulk (também é Incrível nos túneis??) e seguranças no final do Clássico. Lamentável!
O After Hours regressa em 2010. Até lá bom Natal e feliz Ano Novo!


Vitor Madeira

Roma empresta Antunes ao Leixões



Antunes vai jogar no Leixões por empréstimo da Roma até final da época, apurou o Maisfutebol. O lateral esquerdo, de 22 anos, regressa assim a Portugal, dois anos depois de ter deixado o Paços de Ferreira rumo a Itália.

Antunes, que chegou a ser opção na Selecção Nacional, representou na época passada o Lecce, também por empréstimo. O jogador já esteve no Estádio do Mar nesta segunda-feira, a assistir à partida entre o Leixões e o Olhanense.

Fonte: maisfutebol.com

terça-feira, 22 de dezembro de 2009

L.F. Vieira confirma Kardec

PRESIDENTE PROMETE "MAIS UM OU DOIS JOGADORES"



Alan Kardec já é jogador do Benfica, garantiu esta noite Luís Filipe Vieira no canal do clube. O avançado está no Rio de Janeiro e viaja para Lisboa, onde esteve 4 dias a negociar com a águia, nos últimos dias do ano.
Os encarnados pagaram 2,3 milhões de euros ao Vasco da Gama por Kardec, que será apresentado como novo reforço do grupo liderado por Jorge Jesus logo no recomeço dos trabalhos do plantel, marcado para dia 29. Até lá, o internacional brasileiro Sub-20 vai aproveitar para desfrutar de mais uns dias de férias.

Vieira assegurou ainda que o clube irá contratar "mais um ou dois jogadores".

Fonte: Record

Hulk e Sapunaru suspensos preventivamente

SAD do Benfica também com processo disciplinar

Hulk e Sapunaru foram suspensos preventivamente pela Comissão Disciplinar da Liga, na sequência dos desacatos verificados no túnel de acesso aos balneários do Estádio da Luz, após o “clássico” entre Benfica e FC Porto.

Em comunicado, a Liga anuncia que os dois jogadores serão alvo de processos disciplinares «pelos comportamentos ocorridos após o jogo na zona de acesso aos balneários e que motivaram a sua expulsão», o mesmo sucedendo com a Benfica, SAD «pela conduta dos seus assistentes de recinto desportivo após o jogo na zona de acesso aos balneários».

Os processos disciplinares foram instaurados «depois de vistos e analisados os relatórios da equipa de arbitragem e dos delegados da Liga» ao jogo.

A Comissão Disciplinar aplicou ainda multa de 950 euros à SAD do FC Porto, por reincidência no comportamento incorrecto do público, e de 3500 euros à SAD do Benfica - 2000 euros também por comportamento incorrecto dos adeptos e 1500 por agressão perpetrada por «sócio ou simpatizante dentro dos limites do complexo desportivo, antes, durante e depois da realização do jogo, a elementos da equipa de arbitragem, agentes de autoridade em serviço, delegados e observadores da Liga, dirigentes, jogadores e treinadores e demais agentes desportivos ou pessoa autorizada por lei ou regulamento a permanecer no terreno de jogo».

Fonte: a Bola

João Pereira vai ser leão



Sporting e Braga chegaram hoje a acordo para a transferência do lateral direito, João Pereira, para Alvalade. Segundo se pode ler no comunicado enviado esta tarde pelos "leões" à CMVM, o negócio está avaliado em 3 milhões de euros.
O Braga também já confirmou o entendimento com os "verde e brancos" no próprio site do clube.
João Pereira que já passou pelo Benfica trata-se assim do primeiro reforço de inverno do plantel leonino. Resta lembrar que a promessa de Betterncourt em investir no plantel, começa a ser cumprida.

Ler aqui o comunicado para a CMVM

Liedson pára quatro semanas devido a operação ao joelho



O avançado luso-brasileiro foi submetido a uma artroscopia ao joelho esquerdo na noite desta segunda-feira e deverá ficar em recuperação, pelos menos, quatro semanas.

A intervenção cirúrgica foi planeada pelo departamento médico do Sporting, que aproveitou a paragem no campeonato para debelar a lesão meniscal (menisco interno) do joelho de levezinho, situação que precisava ser corrigida mas que não impedia o avançado de jogar.

A operação foi conduzida, na noite de segunda-feira, numa unidade hospitalar de Lisboa pelo Dr. A. Pereira de Castro, cirurgião ortopedista que trabalha normalmente com Sporting.

Liedson já teve alta hospitalar e, de acordo com o boletim clínico do Sporting, iniciará já amanhã o processo de recuperação na Academia. A duração da recuperação não será inferior a quatro semanas, pelo que o avançado só deverá regressar aos relvados em meados de Fevereiro.

Fonte: a Bola

Resultados Blogobola

Esta semana André Caeiro estreou-se como vencedor na moderação com 7 pontos. Nos users tivemos 2 vencedores:André Amante e Fábio Gonçalves com 10 pontos...

Pérolas do FM

Esta semana vamos mostrar imagens de Neto Potiguar. Uma pechincha brasileira que despontou na saga FM...

Abel Xavier acaba carreira e converte-se ao islamismo



Antigo internacional Explica a A BOLA porque abraçou uma nova religião. Faisal pode ser o seu novo nome.

Abel Xavier pôs fim a uma carreira de quase 20 anos ao mais alto nível. Em conferência de imprensa transmitida em directo por vários canais televisivos do Golfo Pérsico, anunciou, também, a sua conversão ao islamismo. «É um adeus emocionado e com a esperança de participar em algo muito gratificante numa nova etapa da minha vida», resume a A BOLA.

O antigo internacional português associou a sua despedida dos relvados a uma revelação surpreendente. No Emirado de Ras al-Khaimah, na presença de elementos da família real e de um imã, Abel Xavier anunciou o seu testemunho de fé e a participação num projecto humanitário cujo objectivo é beneficiar a vida de milhões em África. Em conversa telefónica com A BOLA, pouco depois de ter estado em casa do xeque Ahmed bin Saqr Al-Qasimi, irmão do príncipe regente, revelou que abraçou o Islão depois de um longo período de reflexão.

«Nunca falei disto, mas posso revelar que foi através do mundo muçulmano, que ultrapassei os períodos mais complicados da minha carreira. Em momentos de aflição, encontrei o conforto no islamismo», começa por dizer Abel Xavier. A experiência «muito marcante», em 2003, no Galatasaray, da Turquia, alimentou o interesse no Islão. «Lentamente, aprendi uma religião que professa a paz, a igualdade, a liberdade e a esperança. Alicerces em que me revejo. Só depois de um conhecimento profundo e de uma vivência intensa, tomei esta decisão. Gostava de agradecer à família real o carinho e afecto. Abraçaram-me e fizeram-me sentir especial», conta. Agora, Abel diz-se preparado para uma nova vida.

«Ao contrário do que as aparências podem fazer supor, sempre tive hábitos rigorosos e vou respeitar as regras do Islão. Mas o compromisso com Deus é privado», afirma. Uma nova vida, quase de certeza, com novo nome: «O xeque Taleb Al-Qasimi, que apadrinhou a minha conversão, gostaria que eu tivesse o nome de Faisal, em homenagem a um antigo rei.»

Fonte: a Bola

segunda-feira, 21 de dezembro de 2009

Resultados: Liga Sagres

14.ª JORNADA

Leixões-Olhanense, 2-2
(Pouga 30' e Tiago Cintra 64'; Rabiola 31' e Castro 74')

Benfica-FC Porto, 1-0
(Saviola 22')

Nacional-Académica, 4-3
(Mateus 3', Ruben Micael 36', Edgar 50' e Amuneke 65'; Tiero 9', Sougou 58' e Miguel Fidalgo 74')

V. Setúbal-Marítimo, 3-2
(A. Pinto 14', Keita 45, Alonso 90 pb'; Alonso 16' g.p., João Guilherme 60')

U. Leiria-Belenenses, 1-0
(Cássio 63')

Naval-Sporting, 0-1
(Saleiro 36')

V. Guimarães-Rio Ave, 1-0
(Andrezinho 52')

P. Ferreira-Sp. Braga, 0-1
(Meyong 45'+1)

O melhor do Mundo em 2009 é... Lionel Messi! Cristiano Ronaldo fica em segundo lugar.

Ano em grande para Lionel Messi. Além de todos os títulos colectivos conquistados pelo Barcelona, o argentino foi eleito futebolista do ano 2009 pela FIFA.

Numa votação na qual participaram todos os seleccionadores nacionais e capitães de selecções, o futebolista conseguiu mais votos que Cristiano Ronaldo, vencedor do ano anterior.

Este ano, Lionel Messi já tinha conquistado a Bola de Ouro da France Football e foi também recentemente eleito melhor jogador do Mundial de clubes, que o Barça venceu. O único troféu que ficou por conquistar este ano pelo jogador do Barcelona foi a Bota de Ouro, que foi conquistada por Diego Forlan.

A nível de clubes, Messi ganhou com o Barça a Liga dos Campeões, Supertaça de Espanha, Taça de Espanha, liga espanhola, a Supertaça europeia e, já este mês, o Mundial de clubes.

O português Cristiano Ronaldo, melhor do mundo em 2008, foi segundo classificado na votação 2009, perdendo o título de melhor do ano para o argentino Lionel Messi, do Barcelona.

Votaram todos os seleccionadores e capitães de selecções, num sistema em que cada voto vale três pontos.

Messi conquistou 1073 pontos, Cristiano Ronaldo 352, Xavi (Barcelona) 196, Kaká (Real Madrid) 190 e Iniesta (Barcelona) 134.

Fonte: A Bola

«Não jogo a pensar na Selecção» - Hugo Viana



A força do Sp. Braga foi sem dúvida a união do seu colectivo, mas, falando de individualidades, Hugo Viana chega ao final de 2009 com motivos óbvios para sorrir e projectar o futuro com muito optimismo. A obscura existência no Valência, onde não era opção, ameaçou atirá-lo para mais um ano sabático, até surgir o Sp. Braga no seu horizonte.

Hoje, Hugo Viana considera ter feito a escolha acertada. «Fico contente por ter optado por vir para Braga. As coisas estão a sair-me bem, mas sempre tive a consciência do que podia fazer», resume, elogiando o todo em vez de se focar muito no individual: «Jogar nesta equipa torna as coisas mais fáceis, porque temos um plantel de grande qualidade.»

Os seus registos em Braga arrasam quem pensava que estaria acabado para o futebol: 13 jogos na Liga, 997 minutos nas pernas, quatro golos. Apenas falhou a recepção ao U. Leiria por causa de uma gripe.

Fala-se da Selecção Nacional, sempre tão necessitada de esquerdinos. Hugo Viana não se deslumbra: «Já o disse por diversas vezes e vou repetir: não jogo nem trabalho a pensar na Selecção Nacional mas sim no Sp. Braga.»

Fonte: a Bola

João Carlos Pereira deixa o Belenenses



João Carlos Pereira já não vai orientar o próximo treino do Belenenses. A decisão está tomada e deverá ser oficializada ainda hoje, apurou A BOLA online.

A decisão foi tomada esta noite, depois da derrota com o U. Leiria e teve por base a necessidade que os dirigentes sentem de tentar inverter o rumo dos maus resultados.

João Carlos Pereira chegou ao Restelo no início da temporada para abraçar um projecto a dois anos e, apesar de os seus métodos de trabalho deixarem boa imagem, acaba por pagar a factura de ter ganho apenas um jogo em 14 de liga.

A direcção do Belenenses vai agora encetar esforços na busca de um novo treinador, cujo perfil já se encontra definido.

A equipa encontra-se de férias até depois do Natal, retomando então os treinos, se possível, já com novo responsável.

Fonte: a Bola

Trinco Esquerdo



André Amante

«Ganhámos com raça de campeão» - Jorge Jesus



O treinador do Benfica, Jorge Jesus, destacou depois da vitória sobre o FC Porto a entrega dos seus jogadores para conseguirem um resultado que considerou justo.

«Nos 90 minutos fomos melhor equipa, mas principalmente fomo-lo na primeira aparte, enquanto houve capacidade para se jogar», começou por dizer Jesus aos microfones da SportTV.

O técnico encarnado considerou «o Benfica muito forte» e explicou a leitura que faz: Na primeira meia hora dominámos o jogo, nunca deixámos o FC Porto sair. Não me recordo na primeira parte de o FC Porto ter oportunidades de finalização. Fizemos o golo e depois, face a contrariedades do relvado, soubemos defender o resultado, gerir o tempo de jogo. O FC Porto normalmente é uma equipa mais criativa e hoje não».

Jorge Jesus disse que este «foi um jogo de grande intensidade e luta, com duas equipas dignas uma da outra».

O treinador do Benfica queixou-se do «penalty nítido de Rodriguez» que ficou por marcar e admitiu que na segunda parte não era possível ter feito muito mais: «Na zona de organização o campo não permitia mais. Os jogadores formaram uma equipa que venceu com garra de campeão e com sofrimento. Enquanto houve capacidade, o Benfica foi melhor».

A equipa encarnada enfrentou esta partida com várias baixas, mas Jesus ficou feliz com o que viu em campo: «Sempre disse que importante era ter onze e mais três. Quem jogou deu excelente resposta. Um plantel com cultura de vitórias é assim».

Fonte: a Bola

Hulk e Sapunaru expulsos no túnel

Hulk e Sapunaru receberam ordem de expulsão de Lucílio Baptista já depois do final da partida com o Benfica, quando se deslocavam para o balneário.

Sapunaru, de acordo com relatos que chegaram a A BOLA através de fontes portistas, queixou-se de uma agressão por parte de um segurança. De acordo com informações recolhidas por A BOLA, um segurança também se queixa de agressões.

Até ser conhecido o relatório oficial do árbitro Lucílio Baptista, nenhuma versão da história será 100 por cento fiável. Aliás, outra versão para o steward que se queixa de agressão passa pelo facto de Hulk lhe ter arremessado uma bota, o que o terá levado a deslocar-se ao hospital para ser suturado.

Fonte: a Bola

Nem Falcao nem Dragão, quem resolveu foi o "Coelho"

Saviola decidiu o clássico e "colou" o Benfica ao Braga na liderança



O Benfica venceu esta noite o FC Porto (1-0) e vai passar o ano colado ao Sp. Braga na liderança da Liga.
Um golo de Saviola, aos 21 minutos, materializou o domínio dos encarnados durante a primeira parte e estabeleceu um resultado muito reconfortante para as águias, que além de se manterem ao lado dos bracarenses deixam o FC Porto a quatro pontos do topo da classificação.

Se nos primeiros cinco minutos o FC Porto encostou o Benfica à sua defesa, não é menos verdade que a equipa de Jorge Jesus reagiu muito bem e acabou por ser praticamente a única equipa a atacar durante toda a primeira parte.

Com mais remates, mais posse de bola, mais objectividade, o Benfica chegou ao intervalo a vencer, num jogo sempre disputado a ritmo intenso num campo muito pesado. Era justo o resultado, mas o FC Porto tinha ainda uma palavra a dizer.

À entrada para os segundos 45 minutos Jesualdo Ferreira fez entrar Varela e sair Guarín, passando a jogar em 4x3x3. O dragão voltou a discutir o jogo, equilibrou os tempos de posse de bola, mas via-se em dificuldades para rematar, algo que só fez com perigo depois dos 60 minutos, num pontapé forte de Álvaro Pereira.

O Benfica reagiu a esse sinal do FC Porto e dispôs, até final, de mais três boas ocasiões para marcar. O resultado não viria a sofrer alterações, pelo que no final têm as águias mais razões para sorrir.

Recorde aqui as incidências da partida

Fonte: a Bola

domingo, 20 de dezembro de 2009

Resultados: Liga Vitalis

14.ª JORNADA

Varzim-Portimonense, 0-0

Estoril-Fátima, 0-1
(David Simão 23' g.p.)

Oliveirense-Feirense, 0-0

Beira-Mar-Aves, 3-2
(Rui Varela 34' e 74' e Rui Sampaio 65'; Vinícius 43' g.p. e 67')

Freamunde-Carregado, 3-0
(Marco Tiago 35' g.p., Bruno Ferraz 77' e Cascavel 88')

Trofense-Penafiel, 0-0

Chaves-Covilhã, 3-1
(Bruno Magalhães 50', Clemente 53' e Diop 59')

Santa Clara-Gil Vicente, 0-0

O Benfica-FC Porto de agora é o Benfica-Sporting de há 30 anos

O i entrevistou Artur Jorge, o único homem que jogou e treinou nos dois clubes



Perfeccionista do pontapé de moinho (remate acrobático na horizontal), Artur Jorge foi líder dentro e fora do campo. Primeiro presidente do Sindicato dos Jogadores, foi a voz activa que abanou o sistema laboral nos anos 70, proporcionando melhores condições aos futebolistas.

Noutro aspecto, queria conciliar estudos com futebol. Doutor soava melhor que jogador. Por isso, abandonou o FC Porto, onde jogava desde os 10 anos, para vestir a camisola da Académica. Na Coimbra dos estudantes, deslumbrou no curso de Filosofia e explodiu nos relvados. Em 1969, foi para o Benfica e teve a ousadia de se sagrar melhor marcador da 1.ª Divisão duas vezes seguidas (1971 e 1972), com o Pantera Negra ao lado. Esperava-se muito dele, mas o calvário das lesões estragou-lhe os planos ambiciosos. De 1973 a 1975, foi operado cinco vezes ao joelho e saiu da Luz. Três anos volvidos, abandonou o futebol com apenas 32 anos, ao serviço do Belenenses, após partir a perna num treino no Estádio Nacional.

Como treinador, Artur Jorge deu nas vistas no FC Porto, campeão europeu em 1987, e ajudou a afundar o Benfica na maior crise de títulos. É o único homem à face da terra que jogou no FC Porto e no Benfica e que treinou os dois rivais. O i entrevistou-o a propósito do clássico de amanhã. "Sou portuense e portista", apresenta-se o treinador, nascido na cidade do Porto há 63 anos.

Como jogador e como treinador, soma 42 clássicos. Lembra-se da estreia?

Sim, em 1964-65, na minha única época sénior pelo FC Porto. Empatámos [1-1] e o Eusébio foi expulso. E na primeira parte [38 minutos]. Se não me engano, foi a única expulsão da carreira dele.

Sim, foi a única expulsão dele. O árbitro era o Porfírio Silva, de Aveiro.

Disso não me lembrava, mas sei que foi um bocado caricato porque ele estava a ajeitar a bola para marcar um livre e, de repente, já estava fora do campo. Ao que parece, o Porfírio disse-lhe para não mexer na bola mas... Do que me lembro é de ouvir os aplausos nas Antas. Mas não eram aplausos de ironia. Nada disso. Tanto assim é que as palmas aumentaram de tom quando Pedroto [treinador do FC Porto] se levantou e cumprimentou o Eusébio, como que a dizer "foste mal expulso, mas sai de cabeça erguida". E a verdade é que Eusébio nem sequer foi castigado.

Depois dessa estreia sonante, teve mais nove clássicos como jogador. Alguma recordação especial?

Houve um que me ficou na memória porque marquei dois golos. Ou um. Sempre houve polémica. Um jornal deu-me o golo, o outro concedeu autogolo ao Valdemar. Bem, isso até nem vem ao caso, a verdade é que foi 6-0 para o Benfica nas meias-finais da Taça de Portugal. Isso foi em 1971-72 [30 de Abril], quando o Benfica levava 12 jogadores à selecção e jogavam dez de uma vez. Pense bem, 6-0! Onde é que alguma vez nos tempos de hoje há este desequilíbrio entre as duas forças?

Mas...

Hoje já não há esse "mas". Repare, eu sou portuense e portista. Como a minha família. Nasci no Porto e cheguei a ver, veja lá bem, jogos na Constituição [campo do FC Porto, de 1912 a 1952]. Lembro-me nitidamente de um FC Porto-Oriental e eu lá todo espremido entre os adeptos, que, não sendo muitos, entre 4 a 5 mil, enchiam aquele campo e conferiam uma atmosfera especial. Também vi jogos no Estádio do Lima [só utilizado para jogos grandes por ter mais lugares que o da Constituição]. Nessa altura, o FC Porto nem sempre era a terceira potência do futebol português. Agora, com o passar dos anos, com o Estádio das Antas, com o Dragão, com o centro de estágio no Olival, percebemos a real dimensão do clube. No meu tempo de criança, ninguém sonhava sequer que o FC Porto pudesse ser campeão europeu. Quando muito, campeão nacional e e... Agora é uma máquina que não vai parar. Se for travada, será um dano insignificante como uma folha de papel contra um Fórmula 1. Num futuro próximo, de 10, 20 anos, o FC Porto nunca mais perderá desta forma com o Benfica, como em 1972. Posso dizer que ao jogar nessa tarde dos 6-0 fiz parte de uma história irrepetível.

Sendo adepto do FC Porto, como era marcar ao clube do coração pelo Benfica?

Na altura, a rivalidade entre os dois não tinha o peso de agora. Aliás, os Benfica-FC Porto dos últimos anos são como os Benfica-Sporting de há 30 anos, em importância. São esses os jogos grandes da Liga. Na altura em que marcava golos ao FC Porto pelo Benfica, preocupava-me com outras coisas.

Aqui já fala como primeiro presidente do Sindicato dos Jogadores?

Evidente. Quando somos jovens, queremos mudar o mundo. Mas eu nem queria ir tão longe. Só queria que os jogadores de futebol fossem vistos como os restantes trabalhadores do país. Afinal, não descontávamos, não tínhamos condições de trabalho, nem uma série de coisas. Mas este país vivia um período... especial. Estávamos sozinhos, fechados ao resto do mundo. Quis mudar isso, constitui o Sindicato dos Jogadores Profissionais em Fevereiro de 1972, juntamente com Eusébio, Simões (Benfica), Peres e Pedro Gomes (Sporting), Rolando (FC Porto)... O Jorge Sampaio [futuro Presidente da República] foi o nosso advogado, com a missão de elaborar os estatutos para os apresentar ao líder do governo [Marcelo Caetano]. Nós só exigíamos justas condições, com cláusulas nos contratos, mais previdência e assistência obrigatórias profissionais. Mas isso era muito. Foi uma luta tremenda. É claro que adorava marcar golos, mas o melhor golo foi este, da idealização de uma profissão de futebolista igual à dos outros.

Já aqui dava a ideia de que seria um bom condutor de homens, de que podia dar treinador.

Não sei se foi aqui ou ali, mas o futebol sempre me fascinou. Claro que treinar uma equipa me pareceu o passo óbvio, encerrada que estava a carreira de jogador. Tive a sorte de jogar e conhecer um fenómeno sem igual, que era o Eusébio. Lembro-me de dois anos em que fui o melhor marcador do campeonato, com ele a jogar na minha equipa e ao meu lado. E houve outro ano [67-68], ainda eu estava na Académica, em que fui o segundo melhor do campeonato, com 28 golos, pois o Eusébio marcara 42, sagrando-se inclusivamente Bota de Ouro da Europa. Ora, a Associação de Estudantes de Coimbra deu-me um prémio: o de melhor marcador do campeonato, sem penáltis [gargalhadas e mais gargalhadas, sem se conseguir recompor]. O Benfica marcava muitos penáltis. Ai, ai... O incomparável Eusébio. É do que tenho mais saudades.

E do banco de treinador, sente saudades?

Tenho o banco da minha casa. Também é bom, sabe?

Compreendo, mas diga-me uma coisa: como é que leva o FC Porto ao paraíso, com o título europeu, e desce ao inferno no Benfica?

Ahhh, isso... Sabe, não gosto muito de falar disso. Para mim, uma equipa precisa de tempo e organização. O FC Porto deu-me isso. Havia jogos em 1984 ou 1985 em que pressentia que aquela equipa ia ser imbatível a todos os níveis, como aconteceu em 1987. O Benfica pediu-me isso, para ontem. Quis fazer uma equipa e comecei pela baliza. Trouxe o Preud'homme, mas a engrenagem não funcionou. Há pessoas boas e más. Há dirigentes competentes, outros nem tanto. Há os que remam para a mesma direcção e os da contracorrente. Enfim...

Mas essa estrutura aconselhável no FC Porto também lhe deu dissabores. Naquele FC Porto-Benfica em Abril de 91, resolvido pelo César Brito, nunca vi o Artur Jorge tão fora de si.

Por mais calmos que estejamos, acabamos por perder a cabeça. Vi um cartão amarelo [de Carlos Valente] porque estava nervoso com o fiscal-de-linha, mas ele portou-se mal durante todo o jogo, assinalando foras-de-jogo indevidamente. Mas são já situações antigas que não vale a pena esmiuçar agora. Tudo isso pertence à história e nem vale a pena falar, porque é uma porcaria.

O clássico dá a volta à cabeça?

Sem dúvida. Lembro-me de um jogo na Supertaça [1994] em que houve cinco expulsões [Nelo, Abel Xavier e João Vieira Pinto para o Benfica mais Rui Filipe e Secretário para o FCP]. Por isso, só peço correcção e bom futebol neste encontro. Os espectadores merecem isso. É o mínimo.

Fonte: I

Estes vão ser os intervenientes do clássico:

Benfica

Ainda há esperança por Aimar e Ramires. O treinador do Benfica, Jorge Jesus, decidiu-se por uma convocatória alarga, englobando argentino e brasileiro. Ambos jogadores continuam em dúvida para o “clássico” com o FC Porto.

Lista de convocados:

Guarda-redes: Quim e Júlio César;

Defesas: Luís Filipe, Maxi Pereira, Luisão, David Luiz, Miguel Vítor, Roderick Miranda, César Peixoto e Shaffer;

Médios: Javi Garcia, Ramires, Carlos Martins, Urreta, Felipe Menezes e Aimar;

Avançados: Cardozo, Saviola, Nuno Gomes e Weldon.


Porto

Tal como esperado, o defesa uruguaio Alvaro Pereira, poupado na última jornada do Campeonato, diante do V. Setúbal, está de regresso aos convocados do FC Porto, tendo em vista o “clássico” deste domingo diante do Benfica, no Estádio da Luz.

Eis a lista completa de convocados:

Guarda-redes: Helton e Beto;

Defesas: Sapunaru, Fucile, Bruno Alves, Rolando, Nuno André Coelho e Alvaro Pereira;

Médios: Fernando, Raul Meireles, Guarín, Belluschi, Mariano e Rodríguez;

Avançados: Falcao, Hulk, Varela e Farías.

Fonte: a Bola

sábado, 19 de dezembro de 2009

Num jogo tão "insonso" só podia ser o sal(eiro) a fazer a diferença

Jovem avançado leonino aproveitou oportunidade dada por Carvalhal e deu a vitória ao leões na Figueira



Um golo solitário do avançado Saleiro, aos 35 minutos, foi suficiente para o Sporting ganhar na deslocação ao terreno da Naval e alcançar a quinta vitória na Liga, após 90 minutos de um fraco espectáculo, em jogo referente à 14.ª jornada da Liga portuguesa.

Depois de duas derrotas consecutivas, frente ao Leiria (1-0), para o campeonato, e diante o Hertha (1-0), para a Liga Europa, o Sporting regressou às vitórias frente à Naval (1-0), onde o resultado foi melhor do que a exibição.

O Sporting, que esta noite apresentou a dupla de avançados Saleiro e Liedson, revelou os habituais problemas que tem apresentado ao longo desta época, ou seja, muitas dificuldades na transição defesa-ataque, pelo que abusou constantemente no pontapé para a frente sem nenhum tipo de sucesso.

O único golo do jogo surgiu aos 35 minutos, João Moutinho cruzou a bola para a área da Naval, Liedson desviou para o eixo e Saleiro marcou.

Na segunda parte o jogo continuou cinzento e com poucos motivos de interesse, tendo o Sporting ainda criado três ocasiões de golo por Postiga, Adrien e Izmailov, mas não conseguiram bater o seguro Peiser.

Recorde aqui as incidências da partida

Fonte: a Bola

Debate Aberto

Em vésperas de «Clásico» diga qual o onze que faria entrar em campo, do seu clube ou dos dois clubes...



Aqui vai os onzes da moderação:

*Benfica: Quim; Maxi Pereira, Luisão e M.Vítor, David Luiz; Javi Garcia, César Peixoto e Ramires, Carlos Martins; Saviola e Cardozo.

Porto: Helton; Fucile, Bruno Alves e Rolando, Álvaro Pereira; Fernando, Raul Meireles e Belluschi; Varela, Cristian Rodriguez e Hulk.

*No Benfica devido às lesões torna-se difícil saber ao certo quais os jogadores disponíveis...

Jesualdo Ferreira: «O Ramires vai jogar»

TREINADOR DIZ QUE PLANTEL À DISPOSIÇÃO É UMA VANTAGEM

Jesualdo Ferreira fechou as portas aos olhares mais curiosos durante o último treino de preparação para a deslocação ao Estádio da Luz. No final da sessão de trabalho, o treinador tricampeão foi à sala de imprensa e abordou o clássico que se prepara para agitar o país, na noite do próximo domingo.

O FC Porto enfrenta o Benfica e, em caso de vitória, pode deixar para trás a formação de Jorge Jesus. Jesualdo tem todos os jogadores à disposição. "É uma vantagem ter todo o plantel disponível. O FC Porto tem a sua melhor equipa neste momento e vamos fazer o nosso jogo", revelou o técnico.

Confrontado com as ausências que preocupam Jesus e questionado se este acontece no momento ideal para enfrentar o conjunto encarnado, Jesualdo foi lesto a responder: "Não, não acontece. Este jogo acontece no momento em que estamos agora. Para nós, o importante é hoje. Nunca pensamos no amanhã. O presente é mais importante. Estamos preparados para jogar e queremos jogar."

"O FC Porto tem todos os jogadores disponíveis. O Benfica não, embora pense que o Ramires vá jogar porque o Antero Henrique é uma pessoa conhecedora do funcionamento da comunicação e, pelo que saiu num órgão de comunicação social na 5.ª feira, já me disse que o Ramires vai jogar. Normalmente dou a minha equipa, às vezes dou metade e outras vezes até só dou um jogador. Os adversários que façam como entenderem", considerou o treinador portista.

Fonte: Record

Off Side - os apanhados da bola

esta semana fica aqui registado um lance protagonizado por V. Baía que foi também a última vitória dos encarnados num clássico disputado na Luz.

Futebol de Gabinete

A cor no dinheiro: sim ou não?

Nos últimos tempos tem-se falado muito dos novos produtos financeiros associados aos clubes de futebol cotados em bolsa, sendo que parece um dado adquirido que, em tempos de crise financeira e de baixo juro, os investimentos financeiros da banca deixaram de ter o retorno desejado para o consumidor. Alguns parecem ter-se inclinado para a subscrição de obrigações dos clubes. Refiro-me, mais especificamente, à recente oferta pública de subscrição de obrigações do Futebol Clube do Porto, cuja procura ultrapassa já no dobro a oferta. Segundo os responsáveis pela operação (Millenium BCP e Espírito Santo Investment), as intenções de subscrição perfizeram cerca de 220% do montante máximo da operação.

Perante as baixas taxas de juro do mercado, os depósitos bancários deixaram de ser atractivos, dando lugar às elevadas rendibilidades prometidas pelas obrigações, produto que remunera bastante mais quanto menos elevada a taxa de juro do mercado. O FCP colocou, recentemente no mercado, uma emissão de 3.600.000 acções ao preço nominal de 5€/obrigação, oferecendo uma remuneração anual de 6% e no prazo de 3 anos (18% na maturidade). A questão que pretendo aqui esclarecer é se esta rendibilidade oferecida é realmente suficiente para garantir o sucesso da emissão.

O mercado obrigacionista é claramente menos arriscado que o mercado de acções mas é, mesmo assim, um mercado de produtos com risco e que não assegura a 100% o capital, sequer. Olhando para a rendibilidade anual de 6%, ela representa uma taxa bastante atractiva tendo em comparação o que os restantes produtos nos proporcionam actualmente. Mas atenção! Há que conhecer profundamente este mercado e como se processa. A rendibilidade nas obrigações é variável, sendo sensível a aspectos como a evolução da taxa de juro no mercado, o número de resgates após cada ano, o prémio de default (incumprimento) ou o risco de falência da sociedade. Por exemplo, este portfolio de obrigações do FCP vale actualmente:

V = (3.600.000*0,06)/(1+0,3%) + (3.600.000*0,06)/(1+0,3%)^2 + (3.600.000*0,06+5)/(1+0,3%)^3 = 644.136 €

Suponhamos, agora, que no 3º ano de vigência (2012), a taxa de juro cresce para 2,5% e, na medida em que o FCP não foi campeão, 1.500.000 acções sofrem um resgate (a juntar a outras 300.000 no 2º ano) porque os investidores conheceram, entretanto, melhores produtos à data e quiseram desistir:

V = (3.600.000*0,06)/(1+0,3%) + (3.300.000*0,06)/(1+1,7%)^2 + (1.800.000*0,06+5)/(1+2,5%)^3 = 507.078 €

Portanto, se tivéssemos subscrito 2% desta carteira em 2009, teria-nos sido prometido um lucro de 12.883 € no final dos 3 anos (em percentagem do preço total). No entanto, com estas condicionantes, teríamos, afinal 10.141 € ao fim dos 3 anos. Perderíamos, aproximadamente, mais 2.000 €.

A reter então:


1. A especulação dos activos no mercado financeiro é em algo semelhante à análise especulativa que devemos fazer no futebol. No mercado, quando uma acção com pouca liquidez sobe bastante, isso significa que cairá também bastante porque não tem interesse no médio/longo prazo. No futebol, a leitura é semelhante: se o FCP já vai no tetra, é esperado que isso acabe em breve porque na nossa história, nunca se foi mais além que o penta. Segredo: nunca querer contrariar o mercado e nunca pensar contrariar a história do futebol.


2. A taxa de juro do mercado, ultrapassada esta fase da crise, aumentará e deste modo a rendibilidade da obrigação cairá.


3. Os investidores têm de ter em conta o prazo de vencimento dos títulos, pelo que uma carteira com duração de 3 anos investidos em produtos de um clube de futebol é altamente volátil. Lembremos que a SAD do FCP esteve, ainda o ano passado, em falência técnica.

Conclusão: será justo referir que esta é uma operação de risco superior à média do mercado. Um jornalista de um famoso jornal de economia disse mesmo que considerava esta subscrição caríssima. Não devemos procurar apenas as maiores rendibilidades e muito menos agir com o coração. Há que calcular a sensibilidade (tal como o fiz aqui) e ponderar o risco, porquanto maior a rendibilidade em empresas altamente instáveis financeiramente e bastante endividadas, maior o risco de incumprimento na remuneração aos investidores.

A informação sobre os restantes produtos no mercado e a realização de uma análise comparativa como a que demonstrei aqui hoje, embora simplista, será absolutamente necessária antes de darmos o remate final neste mercado de capital não garantido.

Jorge Manuel Honório