quarta-feira, 31 de março de 2010

Lista Preferencial

Felipe Lopes



O jovem central do Nacional apresenta-se como um jogador de elevado requinte. Um defesa com classe, muito ao estilo de Ricardo Carvalho. O brasileiro há muito que tem dado nas vistas na Madeira, mas pelo mais estranho que pareça só os olheiros do campeonato italiano têm reparado nele. Até já a Roma seguiu Felipe Lopes.
Olhando para os defesas centrais do nosso campeonato vejo uma qualidade acima da média relativamente a anos anteriores. Nos grandes, todos parecem estar bem servidos, aliás como nunca o tiveram. À excepção do Sporting, onde falta um parceiro à altura para o potencial enorme de Carriço. Nos clubes pequenos vemos jogadores para a posição central da defesa também com muita qualidade, até para ingressar num grande. Veja-se o caso de Diego Ângelo, do próprio F. Lopes, de Fábio Faria, de Lazaretti, menciono só centrais com potencial. Mas maduros também o há!
Também podemos olhar para o passado recente, Sereno já joga em Espanha, e até num passado mais longínquo, Geromel... O brasileiro ex-Guimarães parece não ter servido para os clubes portugueses. Mas ao fim de um ano a jogar na Alemanha já servia para o poderoso Bayern, que o segue atentamente há algum tempo. Notícias recentes também o ligam ao Sporting, que certamente irá gastar mais dinheiro hoje, do que há dois anos quando ele cá jogava. Ou seja, parece que estes jogadores quando actuam em clubes médios portugueses não têm valor. Só ganham esse valor quando provam algo no estrangeiro, mas depois aí já vão custar o triplo! É a politica dos nossos clubes grandes...
Felipe Lopes insere-se neste exemplo anterior. Tenho até um amigo meu que gosta muito de "implicar" com o valor deste jogador. Eu penso que seja por ele só ver os resumos, e às vezes, diga-se a verdade, o brasileiro tem algumas desconcentrações próprias da idade. Mas observar o talento do central é muito mais que ver os resumos dos seus "enterranços". Pois enterrar até David Luiz é especialista nisso, ou mesmo D.Ângelo. São jogadores novos que só lhes falta amadurecer, pois a qualidade está toda lá, cada um à sua medida, como é lógico, sem estar aqui a querer comparar jogadores. Sem uma oportunidade nunca vão poder amadurecer, nem mostrar o seu futebol e consequentemente aproveitar o seu potencial. Todos estes jovens centrais que falei tinham lugar no plantel do Sporting, por exemplo. Contudo parece que todos só irão ficar satisfeitos quando os seus passes tiverem a ser inflaccionados noutro campeonato que não o nosso. No Italiano por exemplo, não fosse enorme a lista de clubes seguidores do jovem no país transalpino. É que Felipe Lopes tem a estampa física e faz lembrar os refinados centrais italianos dos anos 80/90.

João Vasco Nunes

«Não somos inferiores ao Liverpool» - Saviola



O avançado argentino Javier Saviola considera o Benfica-Liverpool, dos quartos-de-final, uma final antecipada da Liga Europa e garante que ninguém no plantel “encarnado” teme a formação britânica.

«Esta eliminatória com o Liverpool será quase uma final, vai ser uma grande batalha. Ninguém no plantel do Benfica teme o Liverpool. Eles têm grande historial na Europa mas não somos inferiores a eles», declarou Saviola ao jornal britânico The Sun, onde garantiu que os jogadores do Benfica não estão «obcecados» com Fernando Torres, goleador da equipa orientada por Rafa Benitez.

«Fernando Torres é um dos melhores avançado da Europa, mas a linha ofensiva do Benfica também não é má. Não estamos obcecados com Torres. Seria estúpido esquecer jogadores como Steven Gerrard, Javier Mascherano e Dirk Kuyt, que são igualmente perigosos», atirou.

Fonte: a Bola

Desafio Difícil

No célebre 6-3, qual foi a substituição realizada ao intervalo pelo então treinador do Sporting, Carlos Queiroz, que para os adeptos leoninos e especialistas veio a decidir o jogo e fez com que o Benfica viesse a golear???



Acerte e habilite-se a escrever na rubrica "Expert da Bola"...

Resultados Blogobola

Os vencedores deste semana do blogobola foram João Nunes (por parte da moderação) e Carlos Duarte (users), ambos com 8 pontos. Na frente continua o grande sprint entre André Amante Noddy e o Engenheiro Honório...

Ranking FIFA: Portugal sobe ao quarto lugar



A Selecção Nacional portuguesa subiu duas posições no ranking da FIFA, ocupando agora o quarto lugar na classificação liderada pela Espanha. Brasil e Holanda completam o pódio.

A equipa das quinas “destronou” a Itália da quarta posição e ultrapassou ainda a Alemanha na hierarquia do organismo que rege o futebol mundial.

A França baixou ao oitavo lugar, enquanto a Argentina preservou a nona posição. A Croácia subiu ao “top ten” por troca com a Grécia.

Ranking dos primeiros 10:
1 Espanha, 1602 pontos
2 Brasil, 1589
3 Holanda, 1261
4 Portugal, 1214
5 Itália, 1183
6 Alemanha, 1157
7 Inglaterra, 1120
8 França, 1077
9 Argentina, 1075
10 Croácia, 1051

Fonte: a Bola

Leões confirmam saída de Carvalhal no final da época

EM COMUNICADO ENVIADO À CMVM

A Sociedade Anónima Desportiva (SAD) do Sporting, em comunicado enviado à Comissão de Mercado de Valores Mobiliários (CMVM) esta terça-feira, confirmou a saída do técnico leonino, Carlos Carvalhal, no final da presente temporada.

Na nota enviada à CMVM, a SAD sportinguista indica que Carlos Carvalhal já foi informado da intenção do clube de não exercer a cláusula de opção existente no contrato assinado entre as partes em 15 de novembro do ano passado. Os leões também revelam que, a partir de agora, irão desenvolver os esforços necessários para contratar um novo treinador.

Apesar do teor evasivo do comunicado em relação ao futuro técnico leonino, o escolhido, como Record noticiou há algumas semanas, é o atual técnico da Académica, André Villas-Boas, com que a SAD sportinguista já chegou a um acordo.


Eis o comunicado, na íntegra, da SAD do Sporting:

Nos termos e para efeitos do cumprimento da obrigação de informação que decorre do disposto no artigo 248º, nº1 al. a) do Código dos Valores Mobiliários, a SPORTING - Sociedade Desportiva de Futebol, SAD, vem informar que o contrato de trabalho celebrado com o treinador Carlos Carvalhal em 15 de Novembro de 2009 e válido até 30 de Junho de 2010 previa o direito de opção da Sporting, SAD para prorrogar o aludido contrato por mais uma época desportiva, a de 2010/2011.

Mais informa que, na presente data, foi comunicado ao treinador Carlos Carvalhal que a Sporting, SAD não iria exercer o direito de opção que lhe fora conferido, confirmando que o mesmo se manteria como treinador da sua equipa principal até ao final da época desportiva em curso.

A partir deste momento, a Sporting, SAD iniciará as diligências necessárias com vista à contratação de um novo treinador para a sua equipa de futebol principal.

Lisboa, 30 de Março de 2010

O Conselho de Administração

Fonte: Record

«Benfica está bem lançado para ganhar a Liga dos túneis» - Pinto da Costa



Entrevistado na noite desta terça-feira por Judite de Sousa, no programa “Grande Entrevista” da RTP1, o presidente do FC Porto entrou ao ataque sobre o Benfica, rejeitando mérito dos «encarnados» dentro do campo para estar na primeira posição do Campeonato.

«Se o Benfica está a ser melhor? Fora do campo está a ser muito melhor, nomeadamente nos túneis, ganhando vários pontos nos jogos com o Sp. Braga e com o FC Porto», atirou a abrir Pinto da Costa, prosseguindo: «Dentro do campo, o Benfica teve alguns bons jogos, tal como o FC Porto já fez. Com todos os nossos jogadores, o nosso plantel não é inferior ao do Benfica. No entanto, assim como o Messi não faz o Barcelona nem o Cristiano Ronaldo faz o Real Madrid, mas a verdade é que quando não jogam não se trata das mesmas equipas, com o Hulk tudo seria diferente.»

O líder portista foi mesmo a ponto de referir que não tem «a mínima dúvida» que, caso Jesualdo Ferreira pudesse contar com todo o plantel, estaria no primeiro posto do Campeonato.

MÉRITO A JORGE JESUS

Ainda assim, Pinto da Costa admitiu que o Benfica teve mérito num item na presente época: a contratação de Jorge Jesus. «Galvaniza a equipa e, com isso, a mesma atrai o público», disse, negando que alguma vez tenha tentado contratar o actual técnico do Benfica: «Pensei nele como pensei noutros e se o quisesse ter contratado isso tinha acontecido.»

Também admitiu que «o Benfica venceu bem a Taça da Liga», mas...logo atirou: «Se calhar não deveria ter lá estado, uma vez que no jogo anterior com o Nacional [na fase de grupos] houve erros dos árbitros.»

JESUALDO FERREIRA DEPENDE DE CONVERSA

A posição de Jesualdo Ferreira no FC Porto também foi tema de destaque. «Tem contrato», começou por dizer, mas escusando-se a confirmar se o técnico cumprirá o seu contrato até ao Verão de 2011: «No final da época, tal como aconteceu nos dois últimos anos, vamos conversar e decidir o que fazer.»

Questionado sobre o que falhou na presente época, Pinto da Costa começou por puxar dos galões ao lembrar as contratações de valores como Álvaro Pereira, Varela e Falcao, mas sempre lá foi dizendo falando das lesões (Cristian Rodriguez, Varela, entre outros...) e o tão falado castigo aplicado a Hulk e Sapunaru. Vai daí assumiu a entrega do título, isto apesar de acreditar que a equipa poderá agora, com o regresso de Hulk, «vencer os seis jogos que faltam». «Só que isso pode não chegar...», disse.

Ainda assim... «Perder um campeonato em sete anos é sinal de crise, enquanto os outros ganham um de cinco em cinco anos e é uma festa!»

Fonte: a Bola

After Hours

A jornada 24 da Liga Sagres começou logo com a entrada de um grande em campo. Na sexta-feira, o Sporting deslocou-se ao terreno do Marítimo, num jogo onde os madeirenses foram superiores aos leões. Assim, não é de admirar que no final os da casa tenham conseguido a vitória por 3-2. Os madeirenses foram mais coesos e mais perigosos, enquanto os verdes e brancos se apresentaram apáticos e com pouca garra.
No sábado realizaram-se dois jogos. Primeiro o Guimarães recebeu e bateu a Académica pela margem mínima. Num jogo equilibrado, os vimaranenses acabaram por transformar o seu ligeiro ascendente no jogo numa vitória muito importante na luta pela Europa.
Depois chegou o grande jogo da jornada, por muitos apelidado como "jogo do título", pois o Benfica recebia o Braga na Luz. O jogo foi, de uma forma geral, bastante equilibrado. Contudo foram os encarnados a dispor de mais e melhores ocasiões de golo. Assim, a vitória dos pupilos de Jorge Jesus por 1-0 é muito aceitável, além de ser importantíssima na luta pelo título, já que os encarnados dispõem agora de 6 pontos de vantagem sobre os bracarenses.
Nesta jornada não houveram jogos na segunda-feira. Logo os restantes jogos realizaram-se ao domingo. O Rio Ave - Olhanense teve um final surpreendente, já que os da casa foram cilindrados por 5 bolas a 1!!! A equipa de Jorge Costa dominou por completo e foi letal no ataque, acabando o jogo com uma goleada animadora para o que resta da Liga.
À mesma hora o Leixões venci-a a Naval por 1-0. Jogo disputado de igual para igual mas onde os da casa conseguiram marcar um golo que pode ser muito importante na luta pela manutenção. Vitória que se pode aceitar, mas neste jogo o empate era o resultado mais justo.
Ainda às 16h realizou-se o Setúbal - Nacional. Mais uma vez se verificou um jogo equilibrado, mas onde os da casa causaram mais perigo. Neste caso, o resultado pode considerar-se justo, pois os da casa venceram por 2-1, num resultado que aproxima os do Bonfim da manutenção. O Nacional, por seu lado, fica mais longe da luta pela Europa.
Mais tarde o Leiria recebeu o Paços de Ferreira. Os leirienses, que ainda sonham com a Europa, mostraram a sua vontade de chegarem a esse objectivo, já que venceram por 2-1, realizando uma boa exibição, apesar da boa réplica dos homens do Paços.
A fechar a jornada o Porto deslocou-se a Belém para defrontar o Belenenses. E o que se passou não foi surpresa para ninguém: o Porto goleou por 3-0 e dominou o encontro, enquanto os da casa voltaram a mostrar muitas lacunas e voltaram também a mostrar que o seu futuro passa, inevitavelmente, pela Liga Vitalis.
Esta semana temos 3 "Belas": o Benfica, pela vitória contra o Braga, que poderá ser determinante na conquista do título; o Olhanense, pela goleada imposta ao Rio Ave, que mantém a equipa bem viva na luta pela manutenção; e Hulk, que voltou em grande forma, marcando um grande golo e fazendo duas assistências para golo.
Os "Monstros" são 2: o Rio Ave e o Belenenses (uma vez mais). O primeiro pela goleada sofrida contra uma equipa que luta para não descer e em casa, lembrando que a equipa de Carlos Brito chegou a pensar numa candidatura à Europa. O segundo pela fraca equipa que é e que continua a demonstrar ser jornada após jornada. É certo que o Porto é uma equipa de outro Campeonato, mas o jogo da equipa do Restelo não teve (pela enésima vez) qualquer chama nem mostras de qualidade ou organização.

Vitor Madeira

terça-feira, 30 de março de 2010

Sueco dirige Benfica-Liverpool



O árbitro sueco Jonas Eriksson foi nomeado pela UEFA para dirigir o Benfica-Liverpool referente à primeira “mão” dos quartos-de-final da Liga Europa.

O jogo está agendado para esta quinta-feira às 20.05 horas no Estádio da Luz.

Nomeações para os quartos-de-final da Liga Europa:
Benfica – Liverpol: Jonas Eriksson (Suécia)
Valência – At. Madrid: Craig Thomson (Escócia)
Hamburgo – Standard Liège: Martin Atkinson (Inglaterra)
Fulham – Wolfsburgo: Damir Skomina (Eslovénia)

Fonte: a Bola

Pérolas do FM

Esta semana fiquem com Lulinha, um brasileiro que era uma grande promessa tanto no FM como na realidade. Lulinha chegou a representar a selecção nas camadas jovens mas após algumas más exibições pelo Corinthians acabou por ser emprestado ao Estoril.

Vukcevic com febre, Pongolle ainda ausente



O plantel do Sporting voltou esta manhã aos trabalhos para dar continuidade à preparação para o jogo com o Rio Ave, numa sessão em que Carlos Carvalhal não contou Vukcevic nem com Pongolle.

O montenegrino apresentou-se com síndrome febril e, por isso, não integrou o apronto que voltou a não contar com Pongolle, ainda ausente por motivos particulares.

Já Pedro Mendes está de regresso à Academia depois de ter igualmente falhado a sessão da véspera por motivos pessoais.

Carlos Saleiro efectuou treino condicionado no ginásio e tratamento devido a mialgia na face anterior da coxa direita.

Após uma conversa inicial com o técnico leonino, o russo Marat Izmailov, ontem reintegrado após a polémica com o director desportivo e departamento clínico do clube, voltou a trabalhar normalmente com os restantes companheiros.

Fonte: a Bola

segunda-feira, 29 de março de 2010

Canto Curto

Incrível regresso

Esta jornada de futebol ficou marcada pela vitória do Benfica frente ao Braga, num jogo que pode ter sido decisivo para o desfecho da liga. Mas não só os encarnados dominaram as atenções do fim-de-semana futebolístico, o regresso de Hulk à competição depois de revogado o seu castigo também mereceu nota de destaque.
O jogo em Belém foi marcado pelo regresso incrível de Hulk, ou então pelo regresso do incrível Hulk, como quiserem. O que é certo é que se tratou do regresso do admirável Hulk novo. Até pode ter sido só pela suposta "fome de bola" como disseram muitos, ou então para mostrar aos responsáveis do futebol português o quão injustiçado se sentia o avançado brasileiro, mas o que é certo é que o Hulk que pisou ontem o relvado do Restelo era um jogador diferente, um novo jogador.
Hulk esteve muito bem, trabalhou para a equipa (até que enfim que compreendeu que a sua equipa joga com mais dez para além dele), desequilibrou com as suas acelerações e percebeu quando deve soltar a bola aos seus companheiros (resultado disso foram duas assistências). Estas palavras nem são somente minhas, aliás foi praticamente isto que Jesualdo frisou no final do jogo.
Ora se o próprio Jesualdo o diz quem somo nós para contrariar. Uma coisa é certa, Hulk era no passado um jogador individualista em excesso, arrastava 4/5 jogadores consigo e depois não sabia soltar a bola no timing certo, não tirando o Porto partido das consequentes superioridades numéricas caso o incrível soltasse a bola.
Em suma, Hulk era um jogador que gostava de "ir contra o muro", ou seja, individualista q.b. sem perceber as necessidades da sua equipa, e para além disso marcava um grande golo de dez em dez jornadas. E para Jesualdo ter dito o que disse é porque algo mudou, e se algo mudou é porque Jesualdo sabia destas "fraquezas" do jogador, caso contrário não tinha frisado a mudança de atitude de Hulk e a sua contribuição para o colectivo.
Se Hulk não voltar ao passado pode vir a ser muito mais completo, muito mais regular e incisivo, tornando-se muito mais perigoso do que aquilo que já é. Que as estatísticas valem pouco, valem! Mas por alguma coisa as estatísticas mostram que o Porto criava mais sem Hulk em campo, apesar de este poder vir a resolver em qualquer partida.
A exibição de ontem do "homem verde" veio ainda levantar mais suspeitas sobre onde poderia chegar o Porto sem a suspensão de Hulk. Mas mais importante que isso, no meu ponto de vista, é o facto do Porto ter ganho um jogador novo, um jogador que ganhou carácter durante o período de castigo. Sem esta "pausa" de Hulk o Porto teria mais ponto menos ponto, daí a falsa questão de um caso que apesar de tudo é de lamentar.
Sendo de lamentar não posso deixar de dizer que há males que vêm por bem, pois talvez esta suspensão tenha feito Hulk repensar o seu modo de jogar e principalmente de agir.
Assim como acho que o brasileiro se transformou na forma de jogar, também aposto que nunca mais irá "esbarrar" dentro de um túnel, independentemente se foi provocado ou não. Os super-heróis são incríveis, e Hulk também o é, logo os super-heróis não podem ter atitudes como as que vimos, para não dar maus exemplos às criancinhas que seguem o seu herói. Há males que vêm por bem!

João Vasco Nunes

FC Porto comunica à CMVM da redução do castigo de Hulk e acção judicial



O FC Porto comunicou, esta segunda-feira, à Comissão de Mercado e Valores Mobiliários (CMVM) a diminuição do castigo de Hulk de quatro meses para três jogos. Foi ainda confirmado pela direcção portista a pretensão de serem indemnizados pelos danos sofridos.

Comunicado:

«A Futebol Clube do Porto – Futebol, SAD vem comunicar, nos termos e para os efeitos do art. 248º nº1 do Código dos Valores Mobiliários, e na sequência do comunicado do dia 29 de Março informando da notificação do Acórdão proferido pela Comissão Disciplinar da Liga Portuguesa de Futebol Profissional (LPFP), relativo ao processo disciplinar instaurado ao seu jogador profissional Givanildo Vieira de Sousa (“Hulk”), tendo sido sancionado numa pena de suspensão por 4 meses e multa de 2.250€, ter o Conselho de Justiça da Federação Portuguesa de Futebol, reduzido esta sanção para três jogos e uma multa de 2.500.

Mais se informa que o Conselho de Administração deu as instruções necessárias para o Departamento Jurídico promover o ressarcimento dos danos, patrimoniais e não
patrimoniais, sofridos.

O Conselho de Administração Porto, 29 de Março de 2010.»

Fonte: a Bola

Eriksson vai dirigir a Costa do Marfim no Mundial



O nosso bem conhecido Sven-Goran Eriksson foi, este domingo, anunciado como novo seleccionador da Costa do Marfim, tendo assim encontro marcado com a Selecção portuguesa no Campeonato do Mundo que vai decorrer na África do Sul entre 4 de Junho e 4 de Julho.

Em comunicado divulgado pela Federação da Costa do Marfim pode ler-se que a contratação de Eriksson tem por objectivo «assegurar honrosa participação» no Mundial.

O técnico sueco, que teve duas passagens pelo comando do Benfica, vai ocupar a vaga deixada em aberto por Vahid Halilhodzic, demitido após a Costa do Marfim ter sido derrotada nos quartos-de-final da Taça das Nações Africanas, disputada em Janeiro.

Será a terceira presença de Eriksson num Campeonato do Mundo, depois de ter estado ao comando da Inglaterra em 2002 e em 2006, sendo eliminado das duas vezes nos quartos-de-final.

Fonte: a Bola

Izmailov já pediu desculpa pela viagem



Revelação de Paulo Barbosa a jornal russo: o médio rectractou-se no sábado. Primeiro passo para aproximação foi dado e russo pode ser reintegrado nos treinos hoje.

E continuam as revelações no caso Izmailov... Depois de se descobrir que, afinal, o médio tinha viajado para Moscovo no dia do jogo com o Atl. Madrid (quinta-feira, 17), ontem foi a vez do representante do jogador afirmara ao jornal russo Sport Express que Marat Izmailov já apresentou um pedido de desculpas por este facto no treino do dia seguinte à derrota averbada no terreno do Marítimo, ou seja, sábado.

Mas, segundo o seu empresário, Paulo Barbosa, fê-lo somente em relação ao facto de não ter informado os responsáveis pelo futebol profissional que tencionava deslocar-se a Moscovo, conforme exige o regulamento interno do clube que diz expressamente que um jogador em período competitivo, mesmo estando de folga, tem de informar o clube sempre que pretender deslocar-se ao estrangeiro. «A informação que tenho é a de que o Izmailov já apresentou as suas desculpas no sábado. Mas apenas por ter viajado para Moscovo, sem informar o clube, porque no que diz respeito às outras acusações de que foi alvo ele não tem de pedir desculpa», confessou Paulo Barbosa.

Fonte: a Bola

domingo, 28 de março de 2010

Mossoró pára seis meses



O médio brasileiro Mossoró foi operado, este domingo, à fractura no perónio sofrida na partida frente ao Benfica. O jogador enfrenta agora uma paragem de seis meses.

O Sp. Braga, no «site» oficial, confirmou que correu tudo bem na cirurgia de Mossoró, mas o jogador para além da fractura no perónio também apresenta uma rotura ligamentar no tornozelo direito.

O jogador «arsenalista» sofreu a lesão após uma entrada de Carlos Martins, durante a segunda parte do jogo.

Fonte: a Bola

Hulk afunda Belenenses (3-0) e pressiona Sp. Braga



Noite em cheio de Hulk facilitou a vitória do FC Porto no Restelo, resultado que coloca o dragão a cinco pontos do Sp. Braga e deixa o Belenenses mais perto da descida à Liga Vitalis.

Foi um ex-belenense quem praticamente assinou a sentença de despromoção do Belenenses: Rolando, de cabeça, surgiu na área aos 39 minutos a abrir a contagem no marcador.

Se foi da cabeça do defesa que saiu o golo, foi dos pés de Hulk que nasceu a vitória. O brasileiro regressou à liga depois de três meses parado e ofereceu o primeiro golo, marcou o segundo e fez, pelo meio, a cabeça em água aos defesas do clube lisboeta.

A estrela da noite acabou então por ser mesmo o jogador sobre quem mais olhares recaíam. Hulk foi infernal. Sempre rápido, algumas vezes muito egoísta, o “incrível” acabou por ser mesmo decisivo e mostrou que Jesualdo Ferreira pode contar com ele para o ataque aos lugares que dão acesso à Liga dos Campeões. O Sp. Braga está a cinco pontos e o dragão tem todas as razões para acreditar que pode chegar ao segundo lugar.

Num jogo sem grande história, o FC Porto acabou por alcançar a vitória em ritmo de passeio, frente a um adversário que deixou bem patentes as razões de ocupar o último lugar da liga: zero ideias e também zero na capacidade para criar lances de perigo. As contas são cruéis para os azuis do Restelo. A seis jogos do fim, a equipa está a nove pontos do primeiro lugar que evita a despromoção.

O FC Porto aproveitou as facilidades e, já aos 82 minutos, novo lance em que participou Hulk (com um cruzamento perfeito) resulta no 3-0 para os dragões. Foi Falcao o marcador, com uma cabeçada bem colocada.


BELENENSES – Bruno Vale; Mano, Marcos António, Mustafá e Tiago Gomes; Gabriel Gomez, Celestino, Barge e Miguelito; Yontcha e Lima

Suplentes: Assis, José Pedro, André Almeida, Cândido Costa, Beto, Fajardo e Pele

FC PORTO - Helton; Miguel Lopes, Rolando, Bruno Alves e Álvaro Pereira; Fernando, Raul Meireles, Ruben Micael e Guarin; Hulk e Falcao.

Suplentes: Beto, Belluschi, Valeri, Fucile, Maicon, Farias, Orlando Sá

Golo: Rolando (39), Hulk (50), Falcao (82)

Fonte: a Bola

Resultados Liga Vitalis

24.ª JORNADA

Estoril-Praia-Gil Vicente, 0-2
Rodrigo Galo (42', 65')

Chaves-Santa Clara, 0-3
Oliveira (3'), Tatu (6', 80')

Oliveirense-Penafiel, 2-0
Robson (67'), Bafode (90+5)

Feirense-D. Aves, 1-0
Maurício (14')

Sp. Covilhã-Fátima, 2-2
Dani (59'), Edgar (84'); Duarte (13'), Sami (77')

Beira-Mar-Freamunde, 1-3
Djamal (44'); Júnior Maranhão (1'), Kika (24'), Bertinho (87')

Portimonense-Carregado, 1-0
Garavano (67')

Varzim-Trofense, 0-1
Filipe Gonçalves (51')

«Ainda temos seis finais» – Luís Filipe Vieira



No rescaldo da vitória sobre o Sp. Braga, Luís Filipe Vieira não escondeu que aqueles três pontos representam «um passo significativo» para o título, mas sublinhou que ainda faltam «seis finais para discutir».

«Este é, como devem calcular, um dia feliz. Mas não pensem que embarco na onda daqueles que dizem que o Benfica já é campeão. Nada disso! Tenho a consciência que a vitória de ontem representa um passo significativo, mas nada mais do que isso. Ainda temos seis finais para discutir, e a última coisa que espero é que os benfiquistas embarquem numa onda de euforia que ainda não tem razão», afirmou o presidente benfiquista, durante a cerimónia de inauguração da nova imagem da Casa do Benfica em Samora Correia.

«Vamos ser optimistas, mas ao mesmo tempo prudentes», aconselhou, lembrando que «nunca se devem festejar vitórias antecipadas».

Luís Filipe Vieira aproveitou ainda para louvar «os valores morais e éticos que sempre fizeram parte da história do Benfica». «Não temos vergonha do passado, porque ele é – como sempre foi – transparente!», disse.

Fonte: a Bola

Tottenham segue Saviola



As boas exibições de “el conejo” têm tido eco na Europa do futebol e em Londres, os Spurs estão a considerar a hipótese de fazer uma oferta pelo avançado encarnado.

A notícia é avançada pelo News of the World, que explica que o treinador do Tottenham, Harry Redknapp ficou impressionado com os três golos apontados por Saviola na eliminatória da Liga Europa frente ao Everton. Desde essa altura que os responsáveis do clube londrino seguem com atenção as exibições de Saviola e depois de terem estado em Marselha, preparam-se para examinar atentamente o desempenho do argentino nos embates que o Benfica vai travar com o Liverpool.

Esse será um dos momentos decisivos para convencer Redknapp a avançar, ou não, para a contratação de Saviola. Igualmente importante é o desempenho interno dos Spurs. É que os ingleses apenas tentarão garantir o concurso de Saviola, se garantirem um lugar na próxima edição da Champions League.

Fonte: a Bola

História Mundial


S U Í Ç A
1 9 5 4

O Mundial com mais golos e o primeiro a ser transmitido pela televisão devia ter consagrada a vitória da Hungria, a melhor jogadora de futebol até então (invencível durante cinco anos), chegando à final com vitórias retumbantes (em quatro jogos, 25 golos marcados!). Na final contra a República Federal da Alemanha (com um resultado de 8-2 do primeiro encontro), os húngaros ficaram imediatamente a vencer por 2-0, mas os alemães reagiram e viraram o resultado.


*Contabilizou o maior número de golos, com uma média de 5,38 golos por jogo. Quatro dos sete jogos mais prolíficos da hist
ória do Mundial encontraram-se na edição deste ano.
*A Hungria, para justificar a derrota, levantou a questão do doping. Mas tratava-se apenas de calúnia, afirmada com a intenção de prejudicar os campeões mundiais alemães.
*O desafio dos quartos de final entre a Hungria e o Brasil terminou em violência, que envolveu os fãs, os treinadores das equipas, fotógrafos, a polícia e até o ministro do Desporto da Hungria.

NÚMEROS DO MUNDIAL:
*Final: Suiça, 16 Junho a 4 Julho
*Participação das equipas na fase de apuramento: 26
*Equipas que participaram nas finais: 16
*Espectadores presentes nas finais: 889 500
*Desafios disputados: 26
*Golos Marcados: 142
*Média de golos: 5,38

E O VENCEDOR FOI...

Equipas finalistas: Áustria, Bélgica, Brasil,
Checoslováquia, Coreia do Sul, Escócia, França,
Hungria, Inglaterra, Itália, Jugoslávia, México, RF Alemanha,
Turquia, Uruguai


Meia-Final
Hungria - Uruguai 4-2
RF Alemanha - Áustria 6-1

3º Lugar
Áustria-Uruguai 3-1

Final
RF Alemanha - Hungria 3-2


Simão Santana

sábado, 27 de março de 2010

Jorge Jesus: «Só podia haver um vencedor»

TÉCNICO NÃO DUVIDA DA JUSTIÇA DO RESULTADO



À semelhança de Luisão, Jorge Jesus também se mostrou algo cauteloso quando abordado sobre a questão do título. O treinador lembrou que, não obstante a vantagem de 6 pontos agora conquistada, ainda faltam disputar algumas jornadas e tudo pode acontecer. "Ao ganhar ficámos numa posição que nos dá mais segurança, não mais do que isso. Não é o fim do campeonato. Estamos com seis pontos de vantagem, mas temos dois grandes concorrentes atrás de nós", alertou o técnico.

"Só me sentirei mais perto do sonho quando as jornadas ditarem que o Benfica já é campeão nacional. Em duas jornadas tudo se pode alterar, por isso temos de trabalhar como até aqui", prosseguiu.

Sobre o jogo, Jorge Jesus não tem dúvidas quanto à justiça do resultado. "O Sp. Braga foi um digno vencido, está a fazer um excelente campeonato. Mas não nos causou grandes problemas, trabalhou os aspetos defensivos, procurando sair em contra-ataque, só que nós não deixámos. Só podia haver um vencedor, o Benfica foi a equipa que sempre quis ganhar."

Fonte: Record

5 anos depois o herói é novamente Luisão

Encarnados dão passo importante rumo ao título deixando o Braga a seis pontos



Um golo de Luisão durante o período de compensação da primeira parte valeu a vitória ao Benfica (1-0) diante do Sp. Braga, num dos mais importantes testes das águias na corrida para o título.

Com a vitória desta noite as águias passam a dispor de seis pontos de vantagem sobre o mais directo perseguidor, precisamente o Sp. Braga.

Num jogo de grande tensão, a equipa encarnada fez o que lhe competia durante a primeira parte e mesmo sem correr grandes riscos, foi quem mais procurou o golo. Afinal, para os bracarenses o empate não seria mau resultado, uma vez que poderia apostar no erro do adversário que tem ainda de receber o Sporting e deslocar-se ao estádio do Dragão.

O golo precioso para a águia chegou em cima do intervalo: na sequência de um canto, já em período de compensação, Luisão facturou. O capitão de equipa aproveitou uma bola solta na pequena área e rematou para o fundo da baliza.

A perder, o Sp. Braga reagiu rapidamente. Domingos Paciência esgotou as subsituições cedo na segunda-parte (Mossoró lesionou-se e teve de deixar o relvado) e a verdade é que desde então o jogo ficou mais partido.

O Sp. Braga começou a aproximar-se da baliza do Benfica e viu mesmo Moisés cabecear aos 68 muito perto do poste da baliza de Quim.

Em jogo estava – e continua a estar – a conquista do título, razão pela qual nenhuma das equipas podia dar-se ao luxo de abrandar. Para o Benfica seria importante um segundo golo (perdeu 0-2 em Braga, algo que pode ser importante em caso de igualdade pontual) e para os bracarenses o empate valeria ouro.

Não houve golos, mas houve emoção. O Benfica está bem lançado na corrida para o título, mas vai ter de provar ter fôlego em jogos muito importantes. Ao Sp. Braga resta ganhar os seus jogos até final e esperar por dois deslizes das águias.

Recorde aqui as incidências da partida

Fonte: a Bola

"Benfica é favorito, Braga arriscará mais que o costume"

Entrevista com Ricardo Rocha



Em Inglaterra, Ricardo Rocha, agora no Portsmouth, vai assistir ao jogo do título que opõe os dois clubes que representou na Liga. O central assume que tem saudades da Luz, mas também confessa que a equipa de Jesus é melhor que aquela que integrou e que se sagrou campeã.

Na quarta-feira, no jogo entre o Portsmouth e o Chelsea, sofreu um traumatismo grave. Saiu do relvado em maca, com máscara de oxigénio. Está a recuperar bem?

Sim, na altura achei mesmo que tinha partido um osso, fiz um enorme hematoma na face, a minha saída de campo foi realmente um pouco exagerada. Maca, máscara, mas , em situações destas, mais vale prevenir do que remediar. Por pouco não desmaiei. Fui ao hospital fazer exames e não tenho nada partido.

Já viu o lance? Considera que existiu maldade do colega?

Já vi o lance e sim, acho que a cotovelada poderia ter sido evitada. No momento foi um sensação terrível. Achei mesmo que tinha partido qualquer coisa.

O jogo deste fim-de-semana entre o Benfica e o Sp. Braga vai ser o jogo do título?

Vai ser um jogo decisivo. O Sp. Braga chega à Luz com três pontos de atraso e uma derrota deixa a equipa praticamente fora do título. Julgo também que será um grande jogo. Vão defrontar-se duas excelentes equipas, qualquer delas capaz de proporcionar um bom jogo de futebol. O Benfica, pelo factor casa, é naturalmente o favorito.

O Sp. Braga não tem os recursos do Benfica. Como é que acha que vai jogar na Luz?

O Sp. Braga não pode perder e o empate também não lhe servirá. Nesse sentido, é provável que vá à Luz correr mais riscos do que habitualmente. Não esquecendo, obviamente, que ainda há um mês saiu do Dragão com cinco golos sofridos. Quanto ao Benfica, penso que não alterará nada. Vai fazer um jogo normal. Tem uma equipa muito forte e um treinador capaz de pôr aqueles jogadores a brilhar.

Conhece bem os adeptos do Braga, que o vaiaram várias vezes a partir do momento em que se transferiu para o Benfica. Vai ser um jogo de alto risco fora e dentro de campo?

Espero que não. Os adeptos do Sp. Braga são muito aguerridos, gente do Norte é assim , mas não são violentos. É verdade que fui muitas vezes vaiado, tantas que até me cansei e acabei por ser mauzinho, festejando com demasiada efusão um golo que lhes marquei. Mas, repito, acho que vai ser um jogo pacífico.

O Benfica de Jesus pode ser campeão com uma grande equipa, ao contrário da de Trapattoni, que foi campeão mais por demérito dos adversários?

Uma equipa ganha sempre por demérito do adversário. Se alguém ganha, é porque alguém falha. Num ponto concordo, esta equipa é muito melhor do que a de 2005, mas isso só releva o mérito da nossa. Foi muito difícil conquistar o título em 2005. Com uma equipa como a de agora, é mais fácil.

Foi jogador do Sp. Braga de 1999 a 2002. Já nessa altura sentiu que o clube estava a preparar a aproximação aos três grandes?

O Sp. Braga cresceu muito ao longo dos últimos anos. E notava-se que era um clube que queria mais, com vontade de se impor, na região e no País. Criou infra-estruturas e foi construindo equipas que têm vindo a permitir-lhe acercar-se cada vez com mais frequência dos primeiros lugares. Este ano está a fazer uma campanha fantástica, fruto do trabalho do Domingos e do apoio da direcção.

Saiu do Benfica desejoso de conhecer novos campeonatos. Ao fim de três anos, a experiência no estrangeiro valeu a pena?

Vale sempre a pena. Na altura, aceitar o convite do Tottenham pareceu-me a melhor decisão. Nem sempre corre tudo bem, mas a vida é assim.

Passou oito meses a jogar com regularidade, mas, depois, uma lesão e a mudança de treinador colocaram-no nas reservas. Acabaria por sair no final do contrato. Foram os piores momentos da sua carreira?

Sim, vivi nessa altura dos dois lados do futebol. A primeira fase foi muito boa, fui uma opção regular do treinador, com a lesão parei três meses, entretanto o treinador mudou e quando regressei não foi fácil. Mas nessa fase recebi propostas de vários clubes, uma delas de um bom clube inglês, propostas que o Tottenham nunca aceitou. Foi por isso com espanto que me vi relegado para a equipa de reservas.

As propostas eram só de clubes ingleses?

Também da França e da Espanha. Mas o Tottenham pedia um preço exagerado e no fim mandou-me para as reservas. Quem pensa que o jogador tem poder está completamente enganado. Em situações destas estamos nas mãos do clube.

Foi depois para o Standard de Liège, um clube onde jogaram vários portugueses - Sá Pinto, Jorge Costa, Sérgio Conceição. Gostou dessa experiência?

Fui para o Standard como último recurso. Tinham-me garantido que haveria de me chegar uma proposta de um clube espanhol e pediram-me para esperar. O certo é que os dias foram passando e essa proposta não aparecia. Já praticamente em cima do fecho da inscrições decidi não esperar mais. Apareceu a oportunidade de ir para a Bélgica, para um clube que ia jogar a Liga dos Campeões, com um treinador que já tinha estado em Portugal, e aceitei.

O que está a dizer é que foi enganado por um empresário?

Sim, mas sem nomes.

Na altura não colocou, por um momento, a hipótese de regressar a Portugal?

Não tive convites de clubes portugueses.

Não gostaria de regressar?

Não sei. Sinto-me bem cá fora. Sempre gostei de estar no estrangeiro. No entanto, não quero dizer que um regresso seja impossível.

Esteve na Bélgica apenas cinco meses...

É um clube que dá boas condições, com presença na Liga dos Campeões, mas não estava a gostar. O Standard de Liège é um clube vendedor, preocupa-se em contratar jovens para formar e vender. E eu, como um dos mais velhos da equipa, não era uma prioridade.

Regressou em Janeiro à Liga inglesa ao assinar pelo Portsmouth. Com que expectativas?

Jogar. É a minha única expectativa, uma vez que na minha primeira passagem por Inglaterra estive quase um ano sem o fazer. Sei que o clube tem dificuldades financeiras, maiores até do que aquelas que eu conhecia quando assinei, mas estou num campeonato fantástico. Do ponto de vista financeiro não posso queixar-me.

Os graves problemas financeiros do clube reflectem-se no dia-a-dia da equipa?

Em Inglaterra não há hipótese de um jogador ficar sem receber salário. Desse ponto de vista, estamos protegidos. Mas custa imenso saber que há funcionários com problemas e que alguns foram já despedidos, sendo que não foram eles os causadores da situação.

Tem contrato com o Portsmouth até final da época. E depois?

Tenho já quem esteja a tentar resolver esse assunto. Devo dizer que gostava de continuar no Portsmouth e em Inglaterra. Os adeptos são fantásticos e as pessoas que trabalham no clube extraordinárias.

Nunca mais colocou a hipótese de um regresso ao Benfica?

O Benfica deixou-me imensas saudades e não posso dizer nunca mais. Em Portugal cumpri o meu sonho de miúdo, que era jogar no Benfica. São daquelas coisas que acontecem uma vez - a lesão de um colega, o castigo do outro levaram Manuel Cajuda a apostar em mim e a colocar- -me na equipa principal do Sp. Braga. No final da primeira época, soube que o Benfica estava interessado em mim, mas nem acreditei. Meio ano depois fui para o Benfica. Curiosamente, antes disso estive mesmo para ir para o Boavista. A transferência não se concretizou porque os dirigentes dos dois clubes não chegaram a acordo.

O Benfica na altura vivia desportivamente um tempo difícil. Acreditou que seria campeão nacional pelo Benfica?

Soube sempre que não sairia do Benfica sem ser campeão. Passámos momentos complicados, mas conseguimos, com Trapattoni, o título. Foi uma altura inesquecível, tanto mais que foi conquistado contra tudo e todos.

Foi para Inglaterra com o estatuto de um central muito promissor. Acha que alguma coisa correu mal na sua carreira?

Aquele ano sem jogar no Tottenham foi, muito provavelmente, o que correu mal.

Ter deixado de ser representado pelo empresário Jorge Mendes pode ter condicionado a sua carreira?

Penso que não. Sou amigo do Jorge, nunca tive qualquer problema com ele. Aliás, o Jorge nunca foi essencial no que diz respeito a arranjar-me clube. Teve, sim, um papel importante na renegociação do meu contrato com o Benfica. Passei a ser um dos mais bem pagos do plantel.

Nunca se arrependeu de ter deixado o Benfica?

Eu nunca quis deixar o Benfica por deixar. Apenas entendi que, ao fim de quatro anos e meio de clube, não devia desperdiçar uma proposta de uma equipa inglesa até porque é uma liga que me fascina.

Na altura disse que os adeptos não perceberam bem a sua saída - terão ficado a achar que saiu apenas por dinheiro. Já fez as pazes com os adeptos benfiquistas?

Ainda hoje sou muito bem tratado pelos adeptos do Benfica, nomeadamente quando vou a Portugal de férias. A bordam-me na rua e mesmo os portugueses com quem me cruzo em Inglaterra tratam-me com reconhecimento. Os adeptos sabem que o dinheiro nunca esteve em causa. Durante os dois primeiros anos, fui dos mais mal pagos e nunca ouviram um queixume; depois, passei a ter um excelente contrato mas mantive sempre o mesmo esforço. Os adeptos sabem que eu nunca sairia prejudicando o clube financeiramente.

Jogou recentemente contra o Liverpool, adversário do Benfica nos quartos-de-final da Liga Europa. Pelo que conhece, julga que é uma equipa ao alcance do Benfica?

São duas equipas muito boas e o favoritismo reparte-se. O Benfica está muito forte na Liga Europa e na Liga portuguesa. O Liverpool tem mostrado alguma inconstância no campeonato onde ainda não garantiu o quarto lugar e a possibilidade de chegar à Liga dos Campeões.

Nesse jogo, as principais preocupações do Benfica serão...

O Benfica saberá muito bem como preparar o jogo com o Liverpool, mas penso que Steven Gerrard e Fernando Torres merecem uma atenção especial.

Diz de si: "Sou muito negativo. Acho sempre que os outros são melhores do que eu e isso obriga-me a trabalhar muito." Continua a pensar assim?

Sempre. É a minha maneira de ser e de encarar o futebol. Trabalho sempre para atingir o perfeccionismo.

Em tempos considerou Liedson um dos avançados que mais trabalho lhe deu. Gosta de o ver na selecção?

Foi muito importante na qualificação, marcou um golo. É um grande jogador.

Quim foi afastado da selecção depois do jogo do Brasil. Como é que explica esse afastamento de um grande amigo seu?

Gostava de dizer que aquilo que fizeram ao Quim é uma vergonha. A comunicação social enterrou o Quim fazendo manchetes e manchetes onde lhe atribuíram todas as culpas pela derrota frente ao Brasil. E de muitas das derrotas do Benfica.

Quem o afastou foi o seleccionador...

Sobre isso poderá falar o seleccionador. O que eu sei é que no futebol quando se ganha ganham todos e quando se perde também devem perder todos.

Como é que ele passou por essa fase má?

Foram momentos muitos maus mas o Quim é muito forte e este ano deu a resposta.

Merecia ser convocado para o Mundial?

Na minha opinião, merecia ser convocado.

Qual é a sua dupla de centrais titular no Mundial 2010 na África do Sul?

Sobre isso posso apenas dizer que Portugal tem grandes centrais. Bruno Alves, Pepe, Ricardo Carvalho...

Bruno Alves está a jogar com demasiada agressividade?

Ultimamente tem-se atacado em demasia o Bruno Alves com o argumento da agressividade. O Bruno Alves é o capitão do FC Porto, é ele quem dá a cara pela equipa e, portanto, numa época menos boa, carrega em si o peso da insatisfação de todos os colegas. E num ou noutro jogo isso nota-se mais.

No que diz respeito a centrais, considera que a renovação está assegurada?

Penso que sim. Daniel Carriço, Nuno André Coelho e Miguel Vítor ficarão bem nesses lugares.

Fonte: Diário de Notícias

Off Side - apanhados da bola

Mais uma vez o "Off Side" nos trás mais um grande frango. Esta semana o vídeo vem da Holanda, de um jogo onde o Twente bateu o ADO Den Hagg por 3-1. Fiquem com o segundo golo do Twente.

Paulo Barbosa critica Costinha e confirma ida de Izmailov a Moscovo



O representante do jogador disse, numa entrevista ao jornal russo Sport Express, que aconselhou Izmailov a viajar depois de «ter sido expulso» da concentração antes do jogo com o At. Madrid, acusando Costinha de «campanha» conta o jogador.

«O Marat ficou muito frustrado pela impossibilidade de jogar contra o Atlético e por ter sido praticamente expulso da concentração. Cheguei a casa dele e, sabendo que a equipa ia ter folga no sábado e no domingo aconselhei-o a ir ver os pais a Moscovo para se distrair. Foi também ideia minha dizer que a sua ausência [do treino] se devia a uma visita ao consulado. Fui lá eu e tratei de tudo em vez dele.

Paulo Barbosa atribuiu a situação incómoda de Izmailov ao novo director para o futebol do Sporting. «Não é o clube que põe em causa o profissionalismo do Marat, é apenas uma pessoa. Falo de Costinha, que há pouco tempo foi nomeado director e quer desta maneira manifestar a sua autoridade», disse ao Sport Express.

«Quando e para onde viaja é um assunto pessoal do jogador. Não é obrigado informar ninguém de cada movimento», acrescentou ainda, falando numa «campanha» de Costinha contra o jogador. «A avaliação mais objectiva vem dos adeptos. E eles, apesar da campanha contra o Marat organizada por Costinha, estão do lado do meu jogador. Em Portugal julga-se um jogador pelas suas actuações no relvado e não por aquilo que se diz dele», disse ainda, sublinhando que o jogador não saiu para o Lokomotiv por querer ajudar o Sporting ainda na Liga Europa.

Fonte: a Bola

Futebol de Gabinete

Monopolizados pela TV

Decerto que muitos de nós, incluindo eu, estiveram atentos às declarações do presidente do SLB acerca da justiça associada às receitas televisivas que os clubes portugueses recebem, anualmente. Neste sentido, procurei informar-me sobre a situação e tentei desenvolver uma relação e comparação com o resto da Europa.

Consegui, desde logo, isto:

Uma primeira reflexão «sobe-nos» à cabeça. Não somos «nada» no contexto europeu. Verifico que só as receitas televisivas dos clubes do «top 10» europeu chegam para superar o total das receitas dos 3 clubes portugueses. Ou seja, as receitas dos clubes em Portugal com bilheteiras, mais direitos TV, mais merchandising, mais cativos, etc, todas somadas, não chegam para as receitas televisivas de qualquer um dos dez maiores clubes europeus. Assim sendo, pergunto aos leitores: o futebol que praticamos em Portugal (pelo menos ao nível dos 3 maiores clubes) adequa-se ao valor das receitas que os clubes portugueses recebem das emissoras televisivas? Um futebol que já «exporta» talentos em valores acima dos 20 milhões de euros, um futebol técnico, constituído por grandes talentos individuais e marcado pelo constante aparecimento de jovens estrelas.

Parece-me que, relativamente à receita televisiva, o mercado português do futebol está subavaliado. As emissoras aproveitam a baixa receita dos principais clubes para ganharem direitos transmissivos a preços de saldo. Mais ainda, verificamos que nos outros clubes essa receita representa quase metade da receita total (em Itália até representa mais de 50%), mas em Portugal nem 30% tem de influência na riqueza total gerada.

Vejamos o exemplo actual do Benfica. Segundo os dados possíveis, estima-se que mesmo que o Benfica vá à final da UEFA e vença o campeonato português, a receita televisiva será, todavia, inferior à receita de clubes como o Fenerbahce, o Nápoles ou o West Ham, no encerramento da época.

Concluo, dizendo que me parece que a Federação Portuguesa de Futebol não está a defender os interesses dos clubes portugueses no panorama externo, não procurando, pelo menos, uma das soluções que está à vista, para mim. Defender a abertura das fronteiras portuguesas à competição de empresas estrangeiras com a Sport Tv em Portugal, facto que proporcionaria o fim do monopólio e abriria portas à competição de preços e em que quem pagasse mais, ganharia o direito às transmissões. É assim que funciona o capitalismo de mercado, é assim que se cria justiça e se atribui mérito a quem oferece as melhores condições.

Está na hora de darmos o devido valor à sociedade portuguesa e de colocarmos, nos cargos, responsáveis que saibam dar a mão ao nosso futebol, ao já comprovado grande futebol português que, sem dinheiro, está e estará sempre limitado na alta esfera do futebol mundial.

Jorge Manuel Honório, Finance analyst

Marítimo impõe-se ao Sporting (3-2)



O Marítimo bateu o Sporting por 3-2 em jogo que abriu a jornada 24 da liga.

Sexta derrota na liga para o Sporting, frente a um Marítimo que dominou quase por completo a partida. O leão entrou desfalcado de peças importantes, como João Moutinho e Miguel Veloso, e não conseguiu relacionar sectores tão bem como noutros tempos.

Nova oportunidade para Pongolle e mais uma infelicidade - um autogolo, «compensado» depois por um penalty arrancado no minuto final, mas sem efeitos práticos.

Sob arbitragem de Vasco Santos, as equipas alinham:

MARÍTIMO: Peçanha, Paulo Jorge, Robson, João Guilherme e Alonso; Rafael Miranda, Taka (Baba, intervalo) e Tchô (Pitbull, 79); Manu, Djalma e Kléber. Suplentes: Marcelo, Pitbull, Cherrad, Briguel, Dylan, Baba e Diakité.

SPORTING: Rui Patrício; Abel (Matias Fernandez, intervalo), Tonel, Polga e Grimi; Pedro Mendes, João Pereira e Adrien (Pereirinha, 60); Yannick, Saleiro (Pongolle, 77) e Liedson. Suplentes: Tiago, Vuckcevic, Matias Fernandez, Pongolle, Postiga, Pereirinha e Mexer

Marcador: 1-0 por Tchô (17); 1-1 por João Pereira (36); 2-1 por Pongolle, p.b., 81; 3-1 por Pitbull (90); 3-2 por Pongolle (90+1, g.p.)

Fonte: a Bola

sexta-feira, 26 de março de 2010

Trinco Esquerdo



André Amante

Jesus e a recepção ao Sp. Braga: «Não será o jogo do título»



Benfica não está mais forte mas sim mais confiante após a conquista da Taça da Liga. Embate com o Sporting de Braga não define o título mas sim objectivos. Empate serve mais aos “encarnados” do que os minhotos.

«A moral tem sido alta e positiva face aos resultados que a equipa tem vindo a conseguir ao longo da temporada. A Taça da Liga veio confirmar a nossa confiança mas não nos tornou nem mais nem menos fortes. Tornou-nos mais confiantes», referiu Jorge Jesus em declarações à Benfica TV, onde fez a antevisão ao jogo de amanhã com o Sporting de Braga.

«Não será o jogo do título. Será um jogo importante para definir objectivos. Em caso de vitória, o Benfica dá um passo importante porque fica com mais pontos de avançado sobre o segundo classificado. Mas ainda há muito campeonato e o Benfica tem jogos complicados pela frente, tal como o Sp. Braga. A vitória dá alguma segurança em relação ao segundo classificado», prosseguiu o técnico, considerando que um empate serve mais os “encarnados” que os arsenalistas.

Na primeira ronda, o Benfica perdeu (2-0) em Braga, naquela que foi a única derrota dos “encarnados” esta temporada. Jesus considera que «há diferenças» em relação ao jogo da primeira volta: «O Benfica está mais forte. Os processos foram evoluindo ao longo da temporada, tal como foram no Sp. Braga. Do ponto de vista táctico mantém-se tudo na mesma, mas o Benfica está mais forte do ponto de vista colectivo e individual.»

Agora, para vencer o conjunto orientado por Domingos Paciência, Jorge Jesus sabe o tem que fazer, até porque conhece bem o plantel do Sp. Braga: «Conheço bem as características do Sp. Braga. Os jogadores foram escolhidos por mim. Em termos de equipa, ainda há muita coisa que continuam a fazer. É uma equipa forte, com muita qualidade e é o segundo classificado. Sabe posicionar-se no campo, vão defender bem e jogar em contra-ataque.»

O treinador admite ainda voltar a apresentar algumas alterações na equipa, até porque o Benfica «tem um grupo com quantidade e qualidade». «Quem for lançado no jogo dá garantias. Jogamos em função da equipa e do momento, bem como da estratégia para cada adversário», frisou, confirmando que Saviola se mantém em dúvida.

O apoio dos adeptos, que cedo esgotaram os bilhetes para o jogo com o Sp. Braga, voltou a merecer a atenção do técnico: «Se o estádio tivesse lotação para 100 mil lugares, estaria esgotado.»

Fonte: a Bola

Blogobola



Acerte correctamente nos resultados da Liga Sagres e habilite-se a ser o vencedor semanal...

Hulk: «Fomos todos prejudicados»



PORTISTA QUEBRA SILÊNCIO E GARANTE QUE VAI RECORRER

Hulk quebrou, esta manhã, o silêncio para dar conta da sua satisfação por voltar a jogar em competições nacionais, estando assim disponível para o encontro frente ao Belenenses.

O avançado brasileiro não coloca, para já, uma pedra sobre o caso que o impediu de alinhar durante 3 meses, porque o assunto passa a estar nas mãos do seu empresário e dos advogados.

Pela sua parte, Hulk deixa uma garantia: "O que eu quero é jogar e ajudar o FC Porto. É lógico que vamos recorrer, porque foi cometida uma injustiça muito grande. Qualquer jogador gosta de jogar futebol.
Fomos todos prejudicados, eu, o plantel e o FC Porto", referiu o internacional brasileiro, desolado pelo facto de durante muito tempo só ter podido treinar.

Um afastamento que lhe terá custado uma eventual chamada ao escrete para o Mundial. "É muito difícil, porque fui prejudicado na seleção e no FC Porto. Só chegaria lá se estivesse a jogar. Agora, tenho de me focar no FC Porto para as coisas acontecerem", referiu ainda.

Fonte: Record

Petição por Jorge Costa



Foi ontem lançado um desafio aos portistas: a mudança de treinador. Desafio a favor da contratação de Jorge Costa que decorre no site Petição Pública e está já a recolher um número significativo de apoiantes.

A mentalidade ganhadora do “bicho” e o seu sonho de regressar ao clube são alguns dos motivos invocados pelos responsáveis do movimento para este repto aos dragões.

Fonte: a Bola

quinta-feira, 25 de março de 2010

Palestra

Decisivo, claro!

Nesta jornada não se poderão fazer «ouvidos de mercador» quanto ao carácter decisivo do Benfica - Braga que se irá disputar este sábado. Tal como na longíqua época de 93/94 o país paraou para ver Sporting e Benfica defrontarem-se no antigo José de Alvalade, também para decidir o título, tal como em grande parte das temporadas. O futebol é isto mesmo. É destes jogos que a modalidade vive, é destes jogos que se fazem campeões.
Clara vantagem para o Benfica que entra nesta partida com 2 de 3 resultados que lhe podem ser favoráveis. Refiro-me à vitória que deixa o líder com 6 pontos de vantagem em relação ao Braga, ou empate que apesar de não trazer ainda mais vantagem pontual acaba por servir para manter a diferença e anular uma jornada, ficando a faltar apenas 6 jogos, no máximo, para a conquista do tão ansiado título. Por outro lado a vitória do Braga coloca em xeque a época encarnada, pois o Braga irá passar para a frente, com vantagem no confronto directo e com uma motivação única para o que ainda falta desta Liga Sagres.
O jogo não se irá decidir em pormenores tácticos, bem pelo contrário, numa fase tão decisiva do campeonato a impetuosidade do coração é mais forte que a força mental e táctica.
Acredito num jogo espectacular e na criatividade dos profissionais da bola para decidir o encontro. E nesse aspecto o Benfica está mais forte, basta pensarmos que Dí Maria, Coentrão, Aimar, Martins, Cardozo, ou Saviola (em dúvida) têm capacidade para,sozinhos, decidir a partida, ao contrário do Braga que vale pelo conjunto e não pelo pontencial individual. 3-0 e título na Luz.
O Porto defronta o último da tabela, Belenenses, mas com a memória de muitas dificuldades na deslocação a esta casa, baste retrocedermos um mês para revêr a enorme dificuldade que o dragão teve para derrotar o Belenenses da Taça de Portugal. Acredito num Belenenses motivado pela vitória à Olhanense e um Porto apático, mesmo depois da vitória na 1ª mão da meia-final da Taça. 1-0 e o adeus à Liga dos Campeões.
No Sporting anda tudo de pernas para o ar, basta ver o «caso Izmailov» para perceer que Costinha está-se já a tornar em mais um «flop» do futebol leonino. Quando um jogador leva «alegadamente» injecções no joelho para jogar, como é que podem os directores do Sporting querer que esse jogador ponha à frente do seu estado físico o clube? Não estamos a falar de dores musculares, cansaço físico, estamos a falar do joelho,talvez dos locais mais sensíveis do corpo,adiante... frente ao Marítimo Carvalhal vai querer mostrar o seu valor, não a Bettencourt, mas sim a Carlos Pereira, presidente que o despediu da equipa insular, no entanto não será pêra doce, este Marítimo. 0-1

Simão Santana

Izmailov nos convocados para os Barreiros



Marat Izmailov está entre os 19 convocados de Carlos Carvalhal para a partida desta sexta-feira com o Marítimo, no Estádio dos Barreiros.

Depois de ter passado a semana sem se treinar em conjunto com o plantel, o médio russo já terá pisado o relvado no treino desta quinta-feira, ainda que não tenha sido no período aberto aos jornalistas.

O técnico Carlos Carvalhal escusou-se a falar sobre Izmailov na conferência de Imprensa levada a cabo depois da sessão de treino, referindo apenas que era uma questão de esperar para saber se estaria ou não convocado. A confirmação da sua chamada chegou logo depois, estando o médio russo na lista de 19 jogadores.

MEXER CHAMADO

Destaque na convocatória é ainda a inclusão do moçambicano Mexer, que poderá assim estrear-se oficialmente de «leão ao peito». Daniel Carriço, Caneira, Pedro Silva (todos com problemas físicos), João Moutinho, Miguel Veloso (ambos castigados) e o guarda-redes Ricardo Baptista (por opção) fica de fora da deslocação à Madeira.

Eis a lista completa de convocados:

Guarda-redes: Rui Patrício e Tiago;

Defesas: Abel, João Pereira, Polga, Tonel, Mexer e Grimi;

Médios: Adrien, Pedro Mendes, Pereirinha, Izmailov, Vukcevic e Matías Fernandez;

Avançados: Saleiro, Yannick, Sinama-Pongolle, Hélder Postiga e Liedson.

Fonte: a Bola

Debate Aberto

Depois de tanta polémica sobre o caso do túnel da luz, sobre se teria havido agressão, se houve provocação... parece que finalmente chegou ao fim. Os castigos aplicados a Hulk e Sapunaru foram reduzidos de 4 e 6 meses para 3 e 4 jogos, respectivamente.



Para nós, houve algo que falhou. Como é possível uma pena de suspensão passar de 4 meses para 3 jogos ou de 6 meses para 4 jogos. Com certeza que houve um erro de avaliação no processo, quer tenha sido na pena inicial, quer na final. A diferença é muito grande, é claro que foram dois órgãos diferentes mas os critérios são os mesmos.

Com esta última decisão, o FC Porto pode afirmar que foi prejudicado, pois ficou sem Hulk durante vários jogos, a mais do que devia?
A Comissão Disciplinar da Liga e o Conselho de Justiça da FPF tiveram pareceres muito diferentes, qual delas meteu água?

Dê a sua opinião!

Galeria D' arte

Esta semana fiquem com Messi numa grande exibição frente ao Real Zaragoza. O argentino tem estado ao seu mais alto nível, tornando-se num pesadelo para as equipas adversárias.

«Antes dos jogos recebia injecções para as dores»



Explosivo. Izmailov concedeu uma entrevista ao jornal russo Sport Express, à qual A BOLA teve acesso, e esclareceu a sua posição sobre a catadupa de situações que veio a público desde quinta-feira.

Procurando colocar pontos nos iis em relação a todas as dúvidas que a sua atitude e posteriores esclarecimentos de elementos do Sporting deixaram no ar, o médio russo revela aquilo que entende ser «toda a verdade» sobre o caso. Desde o porquê de não ter jogado frente ao Atl. Madrid às faltas a um treino e a duas sessões de tratamento na Academia. Ao mesmo tempo, defende-se das críticas tecidas por Costinha sobre a sua conduta profissional, acusando, até, o director leonino de não ter tido sensibilidade para resolver o assunto dentro de portas, tratando-o, ao invés, na praça pública.

O jogador deixa ainda crítica implícita à estrutura do futebol leonino, que acusa de ter esquecido todos os sacrifícios anteriores em prol da equipa. E os sacrifícios mais recentes, conclui-se pelas suas palavras, podem reconduzi-lo à mesa de operações.

O russo afirma ainda com toda a clareza que jogou várias vezes sob efeito de analgésicos para acalmar as dores no joelho direito. Mas entendeu dizer basta após o jogo com o V. Guimarães.

JOELHO VOLTOU A DOER

Na entrevista hoje publicada no diário moscovita, Izmailov desvaloriza toda a situação, justificando porque veio a público falar dela. «O que aconteceu não foi nada de especial, acontece em qualquer clube, foi situação profissional. A diferença é que foi tornada pública quando devia ter sido tratada dentro da equipa. Não gosto de estar a falar de assuntos internos, faço-o porque se referem a mim», explica, para de seguida historiar os problemas que o levaram, como se conclui pelo seu relato, a recusar jogar frente ao Atl. Madrid.

«O ano passado [21 de Julho de 2009] fui operado ao joelho e depois o clube tentou acelerar o processo de reabilitação para voltar a jogar. Quis jogar muito e os treinadores também contavam comigo, por isso foi necessário acelerar o processo. Quando voltei a jogar, joguei praticamente em todos os jogos e o joelho começou a doer», conta o russo, que foi operado pelo médico Ludwig Seebauer, em Munique.

OPERAÇÃO É HIPÓTESE

Izmailov voltou à Alemanha com a recuperação já em curso, ainda em Novembro de 2009, para consultar o mesmo médico, que acompanhou todo o processo, com a anuência e conhecimento do departamento médico leonino, com o qual estava articulado, e sempre acompanhado por Gomes Pereira. Nessa altura, como de resto já admitiu o médico dos leões, o processo de recuperação não estava a ser totalmente bem sucedido.

Ludwig Seebauer continuou a acompanhar o russo. E, garante Izmailov, o médico alemão foi explícito sobre a sua situação. «Disse que se tivesse dores tinha de fazer um intervalo, parar um pouco. E se as dores não parassem até final da época teria de ser operado de novo.»

QUERER... E NÃO PODER

Izmailov, depois de sete meses afastado, faz o regresso oficial aos relvados a 3 de Dezembro de 2009, com o Heerenveen. Começaria então o processo de reintegração progressiva em competição. Volvidos estes meses, Izmailov confessa: «Antes de todos os jogos desta época recebia injecções analgésicas para acalmar as dores.» Mas, a partir de determinado ponto, Izmailov sentiu que as injecções já não surtiam o efeito desejado. «Chegou a uma altura que já não ajudavam, as dores eram insuportáveis», revela.

Depois da vitória sobre o V. Guimarães, as dores subsistiam. O russo decidiu que era hora de parar de sofrer dentro de campo. «Após o jogo com o V. Guimarães não participei no treino de recuperação antes do jogo com o Atl. Madrid. Os médicos pediram-me para participar no treino, mas só fiz o aquecimento e depois saí porque sentia dores fortes», contou, prosseguindo: «Os médicos esperavam que pudesse participar no jogo com o Atl. Madrid, também queria muito jogar, são jogos raros numa carreira, foi por jogos destes que quis deixar o futebol russo.»

Mas querer não é poder. E Izmailov garante que não tinha condições para ir para dentro de campo. «Na manhã do jogo fiz um teste ao joelho e senti que nada melhorou. Disse-o ao treinador e aos médicos. Depois fui chamado por Costinha, que disse que eu devia jogar. Respondi que quando um jogador participa num jogo sem poder ajudar a cem por cento os colegas isso é mau para a equipa», assegura.

Costinha não foi sensível à posição do russo: «Disse-me para recolher as minhas coisas, deixar a Academia e ir para casa.» Assume que jogou várias vezes sob efeito de analgésicos Admite que pode voltar à mesa de operações A BOLA revela todas as justificações do russo para a polémica dos últimos dias.

Fonte: a Bola

FC Porto vence (3-1) nos Arcos e fica mais perto do Jamor



O FC Porto venceu o Rio Ave por 3-1, na primeira “mão” da meia-final da Taça de Portugal e conseguiu uma importante vantagem para o segundo jogo no Estádio do Dragão.

Primeira parte bem disputada, com o FC Porto a entrar melhor no jogo e a chegar com naturalidade ao golo por intermédio de Rúben Micael. O Rio Ave não baixou os braços e, já depois de desperdiçar algumas boas ocasiões, restabeleceu a igualdade com um golo de Bruno Moraes.

No segundo tempo, o ritmo não foi tão elevado, o que acabou por beneficiar o FC Porto, que passou a controlar melhor as operações. Raul Meireles e Guarín traduziram em golos a superioridade dos azuis-e-brancos, que conseguem uma importante vantagem para o jogo da segunda “mão”, agendado para 14 de Abril, no Dragão.

Ficha de jogo:

Estádio do Rio Ave FC, em Vila do Conde.

Árbitro: Artur Soares Dias (AF Porto).

RIO AVE: Carlos; Zé Gomes, Gaspar, Fábio Faria e Sílvio; André Vilas Boas, Tarantini (Bruno Fogaça, 69m) e Vítor Gomes; Bruno Gama (Sidnei, 78m), Bruno Moraes e Chidi (Nélson Oliveira, 69m).

Suplentes: Mora, Ricardo Chaves, Jeferson e Wires.

Treinador: Carlos Brito.

F.C. PORTO: Beto; Fucile, Rolando, Bruno Alves e Alvaro Pereira; Guarín e Fernando; Belluschi (Miguel Lopes, 70m), Raul Meireles (Tomás Costa, 64m) e Rúben Micael; Falcao (Orlando Sá, 79m).

Suplentes: Nuno, Valeri, Nuno André Coelho e Farías.

Treinador: Jesualdo Ferreira.

Golos: 0-1, Rúben Micael (19m); 1-1, Bruno Moraes (36m); 1-2, Raul Meireles (54m); 1-3, Guarín (75m).

Fonte: a Bola

quarta-feira, 24 de março de 2010

Debate Aberto

Depois das mais recentes exibições de Messi e de a imprensa internacional ter referenciado o argentino como o melhor jogador de sempre, quem acham que leva vantagem no duelo Messi vs Ronaldo? Qual o melhor da actualidade? Será Messi o melhor de todos os tempos?



Para nós, Messi é absolutamente fantástico, ainda assim aos 22 anos não pode ser considerado o melhor de sempre, até porque nunca se exibiu ao mais alto nível num Mundial. Ainda assim com a idade que tem e o potencial, parece caminhar a passos largos para estar ao nível dos "deuses" do futebol.

Quanto a Ronaldo, é indiscutivel que há dois anos foi o melhor. Bateu tudo e todos. Mas depois apareceu Messi, que se superiorizou estas duas últimas épocas. Se Messi é indiscutivelmente o melhor da actualidade, também temos que ser justos dizendo que ninguém se chega ao segundo lugar do português, mesmo contando com a forma actual e monumental de Rooney, por exemplo.

Para aqueles que acusam todos os admiradores de Messi, de falta de patriotismo, nós não achamos esse argumento válido. Se uma pessoa tem uma opinião e se tem uma preferência em ver jogar um jogador, não deve abdicar dessa opinião por causa da sua nacionalidade. Se era justo há duas épocas atrás apelidar Ronaldo o melhor do mundo, esse elogio era feito pela sua forma, e não pela sua nacionalidade. Caso contrário, os chineses achariam que Dong Fang Zu era o melhor do mundo, depois os americanos contrariavam dizendo que era Landon Donovam, os russos vinham alegar que seria Arshavin e por fim os indianos argumentariam que o melhor da actualidade seria Baichung Bhutia... e a discussão seguiria com as nações que têm mais população!

Digam de vossa justiça...

FPF altera castigos a Hulk e Sapunaru

FOI NEGADO PROVIMENTO AO RECURSO POR VANDINHO

O Conselho de Justiça (CJ) da Federação Portuguesa de Futebol (FPF) decidiu alterar os castigos de quatro meses a Hulk e de seis meses a Sapunaru, impostos pela Comissão Disciplinar da Liga na sequência dos incidentes ocorridos no túnel do Estádio da Luz, no encontro entre Benfica e FC Porto, em dezembro de 2009.

As partes envolvidas serão notificadas havendo posteriormente comunicação oficial das sentenças aplicadas.

No caso de Vandinho, suspenso por três meses depois dos incidentes no intervalo do Sp. Braga-Benfica, o CJ da FPF optou por negar provimento ao recurso apresentado pelos bracarenses.

Fonte: Record

Saviola lesiona-se e está em dúvida para o Sp. Braga



O argentino Saviola falhou o treino desta quarta-feira do plantel do Benfica, devido a contusão muscular na coxa direita. O avançado será reavaliado nas próximas 48 horas, ficando por isso em forte dúvida a sua aptidão para o importante jogo com o Sp. Braga, marcado para sábado.

Segundo informação disponibilizada pelo clube da Luz, Saviola contraiu a referida lesão no treino da véspera, sendo agora o único caso clínico do plantel. O mesmo quer dizer que Fábio Coentrão, que tinha falhado o treino de terça-feira devido a gastroenterite, já foi reintegrado nos trabalhos.

Haverá ainda mais duas sessões de trabalho antes do jogo com o Sp. Braga, ambas a realizar à porta fechada. Dado que Saviola será reavaliado dentro das próximas 48 horas, ficará então a dúvida praticamente até ao dia do jogo sobre a disponilidade do jogador.

Fonte:a Bola

Desafio Difícil

Esta semana tem que nos dizer, qual o número total de cartões amarelos mostrados ao jogador do Porto Bruno Alves, apenas em competições nacionais desde que este chegou ao clube?

P.S.: é só os mostrados, não aqueles que ficaram por mostrar!



Dê o palpite certeiro e habilite-se a escrever para a rubrica "Expert da Bola"...

Cardozo: «Golos não são uma obsessão»

QUER CONTINUAR A FATURAR MAS INTERESSES DA EQUIPA SÃO PRIORITÁRIOS



Cardozo quer continuar a marcar, mas assegura que fazer golos não é o mais importante.Isto, apesar de já ter reconhecido publicamente que terá direito a um prémio no Benfica, caso se torne no melhor marcador do futebol europeu. Para o internacional paraguaio, o "mais importante é a equipa".

"É nisso que penso. Se aparecerem, melhor, mas os golos não são uma obsessão em cada partida que jogo", desabafa o atleta, de 26 anos, ao jornal paraguaio "La Nacion".

Ainda no rescaldo da conquista da Taça da Liga, no passado domingo, Tacuara sabe que o calendário futebolístico está numa fase decisiva, mas prefere pensar num encontro de cada vez: "Primeiro vamos focar-nos no campeonato, onde somos primeiros, e depois virá a nova fase da Liga Europa, prova na qual também temos estado bem."

Começou o embate com o FC Porto no banco, mas aos 77 minutos Tacuara entrou para marcar e frisa que "tudo saiu bem". "Ainda para mais, entrei no segundo tempo.Felizmente consegui assegurar o triunfo da minha equipa, com um golo nos descontos", refere.

Pacato. O dia seguinte à conquista da Taça da Liga, Cardozo passou-o de forma tranquila, na companhia da mulher e do filho Oscar Thiago.

O avançado destaca a importância destes momentos familiares para o seu equilíbrio, até por nem sempre conseguir estar junto dos que mais gosta.

"Quando estou em casa, trato de desfrutar da família ao máximo. No próximo fim-de-semana teremos já um encontro crucial diante do Sp. Braga, que está atrás do Benfica."

Esta é uma partida para a qual Jesus conta com o goleador da equipa. Cardozo não apresenta condicionalismos físicos e vai fazer dupla no ataque com Javier Saviola.

Fnte: Record

terça-feira, 23 de março de 2010

Sokota. "Não comprei o Ferrari com dinheiro do FC Porto"



Um dia o croata do Benfica foi dispensado para a equipa B. Aparecia nos treinos de Ferrari. Devagarinho, no fim da época foi para o Dragão

Sokota sempre gostou de carros e de velocidade. Quando veio para Portugal trouxe da Croácia um Audi A3 todo artilhado, de escape rouco e vidros escuros, que o identificava à distância. Quando estava de saída do Benfica comprou um Ferrari em que ia para os treinos da equipa B - onde corria ao lado dos miúdos dos FIAT Punto ou que nem carta tinham - depois de Luís Filipe Vieira o afastar do plantel por não aceitar a proposta de renovação do contrato. "O Ferrari? Isso eram coisas minhas...", diz, meio-envergonhado. Agora, entre os jogos com o Lokeren, na Bélgica, anda de kart com o filho de sete anos.

Boa tarde, Sokota.
Boa tarde. Quem fala?

Filipe Santos, do jornal i. Tínhamos combinado a entrevista há duas semanas. Entretanto você teve o telemóvel sempre desligado...
Pois foi, perdi-o nas corridas. Fui aos karts e não sei o que lhe aconteceu.

Agora dedica-se às corridas?
Não é nada sério, vou para me divertir. O meu filho é que está a começar.

E como é que corre a vida na Bélgica?
Mais ou menos. Agora estou a jogar e a marcar golos, fiz dois nas últimas semanas. Perdemos o último jogo 4-1...

Mais ou menos?
Estava habituado a jogar para ganhar, mas agora estou num clube que luta para não descer de divisão. Estamos em penúltimo. Tenho 17 títulos na carreira e agora jogo para não descer...

Como é que foi parar à Bélgica?
Estava no Dínamo de Zagreb, tinha assinado um bom contrato, mas entretanto o presidente achou que não me devia pagar e começou a tentar pôr-me fora do clube. Lá chegámos a um acordo de rescisão. Depois já não foi fácil encontrar uma equipa de topo. Isto não é como em Portugal, mas cá estamos.

É verdade que recebeu ameaças de morte?
Quando ainda estava na Croácia, sim. Um dia a polícia chamou-me. Não sei como souberam de umas mensagens estranhas que alguém andava a enviar--me. Também nunca soube quem foi, mas é fácil desconfiar. Percebi que aquilo era tudo para me obrigar a sair do clube. Pensava que ia acabar a carreira por lá.

Em Portugal nunca lhe aconteceu nada disso. Não tem saudades?
Muitas! E a minha mulher ainda mais! Está sempre a dizer-me que temos de voltar para Lisboa, mas agora é complicado estar sempre a mudar por causa da escola do meu filho mais velho. Mas os amigos, o Sol, a comida...

Preferia Lisboa ao Porto?
Bem, no Benfica joguei mais, tenho mais memórias boas de Lisboa e do Benfica. No FC Porto estive sempre lesionado.

Mesmo assim não saiu bem do Benfica.
Eu queria renovar o contrato. Não cheguei a acordo com o presidente [Luís Filipe Vieira], não me senti valorizado com o que ele me estava a oferecer. Mas ir treinar para a equipa B? Foi um choque para mim, não é forma de tratar as pessoas. Ainda fiz a pré-temporada com Trapattoni, mas depois fui afastado. Trapattoni não me disse nada, nem podia. Cumpriu instruções. E eu lá fui...

E foi de Ferrari.
[risos] O Ferrari? Isso eram coisas minhas...

Já tinha assinado pelo FC Porto nessa altura? O que se dizia era que tinha comprado o Ferrari com dinheiro do novo contrato com o FC Porto.
Não. Aliás, por lei, nessa altura não podia assinar porque ainda estava ligado ao Benfica. Essa história de que comprei o Ferrari com dinheiro do FC Porto é mentira. Mais: esperei até ao fim da época por um acordo com o Benfica. Antes de aparecer a proposta do FC Porto ainda tive duas ofertas de Inglaterra.

No primeiro jogo no Benfica marcou um golo [Salgueiros], mas sete jornadas depois estava lesionado. As lesões hipotecaram-lhe a carreira?
Nunca vou esquecer o dia em que cheguei. Fiquei estupefacto com tudo. Os problemas começaram logo depois. Ninguém sabia o que se passava, nem como ajudar. A lesão foi evoluindo pouco a pouco, fui infiltrado muitas vezes para não ter dores... Houve alturas em que deveria ter parado, mas era preciso jogar... Tinha uma inflamação e o tendão de Aquiles separou-se do osso pela metade. Depois aconteceu o mesmo no FC Porto. Tinha um problema ósseo que hoje, com recurso ao laser, se resolve em dois meses.

A sua melhor época no Benfica foi com Camacho: 11 golos.
Mais quatro na Taça!

Quem foi o seu melhor treinador?
O Camacho! Ganhámos uma Taça de Portugal contra o FC Porto do José Mourinho. A equipa tinha um estilo de jogo que me favorecia muito. A bola seguia, o defesa fazia jogo directo para mim e eu colocava num extremo. Futebol simples e com atitude.

Assumia o trabalho duro e depois dizia que o Nuno Gomes fazia os "remates gay". Ele nunca levou a mal?
[Gargalhada] O Nuno! Grande jogador, sempre gostei muito dele, é bom ter ao lado alguém que sabe jogar futebol e ele sabe tudo, tabelas, movimentações... Nunca levou nada a mal, aquilo era uma brincadeira de amigos. É uma boa pessoa e por isso ganhou muito na vida.

Foi treinado duas vezes por Jesualdo Ferreira e ainda não falou dele.
Mas devo muito ao professor! Foi ele que me levou para o Benfica depois de assistir a um jogo meu pela selecção sub-21 da Croácia. O Jesualdo é muito culto no futebol, Camacho é mais um treinador de garra, por tudo aquilo que viveu no Real Madrid. Mas o FC Porto está mesmo fora da luta pelo título? Meu Deus! Não é costume.

É uma evidência, e o futuro de Jesualdo Ferreira parece estar em causa.
Sofreram aquela goleada na Liga dos Campeões! Também vi o Sporting-FC Porto, meu Deus...

Você que viu Pinto da Costa reconstruir uma equipa, em 2005/06, com Co Adriaanse e depois com Jesualdo Ferreira, diga lá como vai ser agora.
Ah... o FC Porto é um clube muito diferente de todos os outros que conheci. A palavra-chave é "organização". No Benfica é tudo mais aberto, toda a gente fala e aparece. No FC Porto nunca se sabe de nada fora do clube. Quando chega um jogador, percebe logo qual é a sintonia. Fui para o FC Porto porque sabia que lá era mais provável ganhar. Depois confirmei que há uma ideia de trabalho, a tal sintonia.

Qualquer um pode ganhar no FC Porto?
Jesualdo Ferreira foi campeão três vezes no FC Porto e nunca o conseguiu no Benfica. Para se entrar no sistema do FC Porto só é preciso ter qualidade e querer trabalhar. E isso não vai acabar de um momento para o outro.

Quem o impressionou no FC Porto?
O melhor jogador? O melhor jogador que encontrei em Portugal estava no Benfica e chamava-se Simão. No FC Porto impressionaram-me menos os craques. Tinha mais admiração por figuras como Vítor Baía e Jorge Costa - tinham aquela vontade de ganhar e eram pessoas com carácter.

Jorge Costa, "o bicho".
O Jorge Costa é um brincalhão que gosta de estar bem com as pessoas. O "bicho" era o jogador que estava em campo.

Agora FC Porto e Benfica jogam a final da Taça da Liga. Têm passado a época às cabeçadas fora do relvado mas dentro do campo quem vai ser melhor?
Finais nunca se sabe! O Benfica do Camacho não ganhou a final da Taça ao FC Porto do Mourinho? Nestas alturas, estar por cima não quer dizer nada.

No seu tempo também havia confusões nos túneis como tem havido por cá?
Isso é tudo normal. Nos clubes aproveitam todas as situações para tentar ganhar qualquer tipo de vantagem. É assim em todo lado e os adeptos entusiasmam-se.
No meu tempo nunca aconteceu nada de especial. À parte isso, lembro-me de uma vez ir jogar ao Porto e partirem o autocarro todo à pedrada. Mas isso acontece e olhe que na Croácia é dez vezes pior, o mais normal é os adeptos entrarem num parque de estacionamento no dia de treino e partirem os carros todos aos jogadores.

Tem 32 anos. Vai jogar até quando?
Enquanto puder andar. Já perdi muito tempo com lesões. Agora estou de novo a sentir-me bem, a marcar golos, quero aproveitar tudo.

E um regresso a Portugal?
Se alguém me chamasse, ia já amanhã, mesmo para um clube mais pequeno - desde que tivesse um projecto bom para lutar por alguma coisa. É que isto de estar a lutar para não descer... não estou nada habituado.

Fonte: I