segunda-feira, 31 de maio de 2010

Internacional nigeriano reforça Sp. Braga



Vai estar no Mundial-2010 a representar a Nigéria, mas já tem o futuro definido para as próximas quatro épocas. Elderson Echiéjilé, em final de contrato com o Rennes, assinou pelo Sp. Braga, revelou o irmão e representante, Emmanuel, em exclusivo ao site “MTNFootball”.

Echiéjilé é lateral esquerdo e a sua contratação, juntamente com a de Sílvio encerram o dossier sobre aquela posição do plantel minhoto, já que a saída de Evaldo é cada vez mais uma realidade.

«Ele assinou um contrato de quatro temporadas com o Sp. Braga, que terminou em segundo na Liga portuguesa e vai estar na Liga dos Campeões na próxima temporada», afirmou o agente.

Ainda de acordo com Emmanuel, o jovem defesa nigeriano «já visitou as instalações do clube e ficou muito agradado com as suas ambições.» «Tanto o treinador [Domingos Paciência] como o presidente [António Salvador] contam com ele. É uma mudança que abre imensas oportunidades ao Elderson», reforçou.

Apurou ainda A BOLA que o esquerdino era seguido há um ano pelo Sp. Braga e chega à cidade dos Arcebispos a custo zero, já que está em final de contrato com o Rennes.

Fonte: a Bola

Villas Boas anunciado hoje ou amanhã no Dragão



André Villas Boas devia ser anunciado hoje como novo treinador do FC Porto... mas pode não ser. Se não for hoje é amanhã ou há-de ser amanhã.

Algo desviou a intenção inicial que, tal como A BOLA noticiou, seria a de anunciar o treinador no dia de hoje, à hora a que Mourinho será apresentado como treinador do Real Madrid (13 horas em Espanha, 12 em Portugal), e até pode ser o factor “Mou” a ter estado na base da decisão dos responsáveis portistas.

Esfumaram-se as dúvidas e os brasileiros como Muracy. Vai ser português, novo, ambicioso e com fome de calar as vozes esfomeadas de críticas. Mas quem é tão novo, e indicado para um lugar tão cobiçado, não pode esperar facilidades. E não falta coragem a Villas Boas.

Não há ainda nenhuma certeza. Até pode ser que Villas Boas já acorde hoje como treinador oficial e oficializado do FC Porto. Até pode ser que tenha de esperar mais umas horas para ver tornado realidade um sonho dee há muito na sua vida profissional.

Os responsáveis portistas aprofundaram a questão e esperam por o melhor momento para declarar à CMVM, como estão obrigados, o nome do novo treinador. Até lá, não há nada para ninguém, nem confirmações nem desmentidos. Nada.

Fonte: a Bola

domingo, 30 de maio de 2010

Faquirá sucede a Jorge Costa no Olhanense

Daúto Faquirá é o eleito para treinar o Olhanense, sucedendo a Jorge Costa (que deverá ir para a Académica ocupar o lugar de André Vilas Boas, em trânsito para o Dragão).

O treinador de 44 anos já orientou as equipas do Odivelas, Barreirense, Estoril, Estrela da Amadora e V. Setúbal.

Fonte: Record

História Mundial

O História Mundial entra finalmente na semana tão desejada por todos. É já sexta-feira que começa o Mundial 2010 e a festa do futebol!
O Livre Directo não podia deixar de se associar em força ao Campeonato do Mundo, por isso, de hoje e até dia 11, esta rubrica vai acompanha-lo diariamente!


E U A
1 9 9 4

Pela segunda vez na história do Campeonato Mundial de Futebol, o título foi disputado por duas equipas que já haviam enfrentado uma final. A partida foi decidida por pénaltis. Depois de um jogo caracterizado por medo de parte a parte e ausência de golos, o Brasil sagrou-se Campeão do Mundo pela quarta vez.

*Pela primeira vez, replays instantâneos foram usados para penalizar uma jogada agressiva que tivesse escapada à atenção do árbitro. O italiano Mauro Tassotti foi desclassificado por oito jogos por ter dado uma cotovelada ao espanhol Luis Enrique.

*Este Mundial foi disputado sob condições extremas de calor. Principlamente para responder às necessidades de transmissão (é preciso ter em conta a diferença horária), os jogos foram disputados ao meio-dia, quando o sol era mais quente.

*Um triste fim para o argentino Diego Armando Maradona, um dos maiores campeões da história do futebol. Depois de ter marcado um mítico golo contra os seus adversários, o seu teste de doping teve um resultado positivo e o jogador foi expulso da equipa.

NÚMEROS DO MUNDIAL

*Final: EUA, 17 Junho a 17 Julho
*Participação das equipas na fase de apuramento: 144
*Equipas que participaram nas finais: 24
*Espectadores presentes nas finais 3 587 538
*Desafios disputados: 52
*Golos marcados: 141
*Média de golos: 2,72

E O VENCEDOR FOI...
Equipas finalistas: Alemanha, Arábia Saudita, Argentina, Bélgica, Bolívia, Brasil,
Bulgária, Camarões, Colômbia, Coreia do Sul, Espanha, Estados Unidos,
Grécia, Holanda, Irlanda, Itália, Marrocos, México,
Nigéria, Noruega, Roménia, Rússia,
Suécia, Suíça

3º Lugar
Suécia - Bulgária 4-0

Final
BRASIL - Itália 0-0 (3-2)

Simão Santana

sábado, 29 de maio de 2010

Oficial: Mourinho é o novo técnico do Real Madrid



O Real Madrid comunicou oficialmente a contratação do português José Mourinho para o comando técnico “merengue”, mas não revelou, para já, pormenores sobre a transferência e o vínculo com o técnico português.

De acordo com a nota publicada no site oficial da turma blanca: «O Real Madrid e o Inter chegaram hoje a acordo para que José Mourinho seja o novo treinador do Real Madrid. O acordo entre ambos clubes produziu-se depois do encontro mantido esta tarde em Milão entre o presidente do Inter, Massimo Moratti, e o presidente do Real Madrid, Florentino Pérez.»

Os merengues indicam também que a reunião entre os dirigentes máximos dos clubes «foi marcada pelas relações de amizade e cordialidade que ambas instituições mantêm.»

A nota revela ainda que Mourinho «será apresentado como novo treinador do Real Madrid esta segunda-feira, 31 de Maio, pelas 13 horas [12 em Lisboa], no palco de honra do estádio Santiago Bernabéu.»

Fonte: a Bola

«Gostava de ter jogado neste Benfica»


O antigo internacional português Dimas elogia o futebol que valeu o título aos encarnados, fala de Mourinho (e de Itália), do futuro e da Académica, onde tudo começou.

- Gostava de ter jogado no Benfica 2009/2010?

Gostava, se bem que no meu primeiro ano de clube joguei ao lado de grandes jogadores, a equipa fez um excelente trabalho na Liga dos Campeões e partilhei esses tempo com jogadores de elite. Mas o Benfica desta época foi criado para grandes conquistas e jogou um futebol que admiro muito. Revejo-me naquele tipo de futebol.

- Chegou ao Benfica em 94, tinha o clube acabado de ser campeão. Iniciou -se, depois, uma fase conturbada, muitas mudanças de treinador... Percebeu depressa que só muito dificilmente iria ser campeão pelo Benfica?
O Benfica não só manteve a equipa que foi campeã como a renovou. Fizemos uma boa campanha na Liga dos Campeões. Mas a partir de certo momento, houve uma alteração na política das contratações, o que tornou muito difícil a criação de um plantel competitivo. Foi uma fase muito complicada.

- A maioria dos jogadores do Benfica nunca aderiu a Artur Jorge. Muitos foram os problemas de relacionamento entre treinador e atletas. Não foi o seu caso...
Artur Jorge é um dos grandes treinadores do futebol português.
Chegou ao Benfica com a imagem de rígido e disciplinador. Era essa a sua personalidade. Havia, sim, alguma dificuldade de aproximação e de comunicação. Penso que depois do problema de saúde, mudou, talvez porque tivesse passado a olhar para o mundo de outra maneira. Na minha carreira, foi um treinador muito importante. Marcou-me no Benfica e na selecção.

- Seguiu-se a Juventus. Foi uma transferência improvável?

Conseguir chegar ao Benfica foi uma surpresa, conseguir chegar ao Euro96, outra, portanto, estava habituado a surpresas. Tinha acabado de sair a lei Bosman, terminava contrato com o Benfica e a Juventus, após a lesão de um lateral-esquerdo, fez uma proposta. E um dia recebo um telefonema do meu empresário, Luciano d' Onofrio, para ir a Turim assinar. E foi a realização máxima da minha carreira. Participei em finais, alinhei ao lado de grandes jogadores.

- O del Piero ainda joga...
É um exemplo para qualquer jovem.

- Como foram esses tempos de Itália?
Para os italianos, eles e as coisas deles são as melhores do mundo. E quem chega é quase visto como um inimigo. Ainda bem que o Mourinho foi lá dar umas lições.

- Foi praxado?
Não fui bem praxado mas fui gozado, sobretudo por causa da comida. Certo dia pedi parmesão para por numa massa de peixe e pus uma mesa de 10 colegas a gozar comigo.

- Acha que Mourinho sofreu por lá mais do que em Inglaterra?

Não tenho dúvida. Em Inglaterra era visto como uma mais valia para o futebol inglês; em Itália, como uma ameaça.

- Viu o abraço de Materazzi a Mourinho?
Vi e é uma imagem muito marcante. Em Itália, há grandes rivalidades entre os clubes e nem sempre os protagonistas são os jogadores. Cria-se em cada balneário muita fraternidade. Talvez nestes dois anos de Itália Mourinho não tenha sido um homem feliz.

- Porquê?
Pela perseguição. Os ingleses apreciavam Mourinho; Em Itália, o
sucesso dos estrangeiros não é desejado.

- Jogou com ele no Vitória de Guimarães, foram transferidos para o Benfica no mesmo ano. Como vê a carreira do seu amigo Paulo Bento, que continua sem clube?
A carreira do Paulo seguiu uma sequência lógica. Embora muito
rapidamente, deu os passos todos, tendo em conta que já sabia que queria ser treinador. Esta época foi mal planeada e ele acabou por sair depois de ganhar alguns títulos. O meu palpite é que o Paulo tem estado à espera do melhor momento para escolher, porque quer escolher bem. Esteve vários anos num grande clube, sabe que neste momento, em Portugal, só poderá treinar os três grandes e que estes têm a porta fechada - o FC Porto ainda não a fechou, mas estará próximo de o fazer
- , e nesse sentido, a curto prazo, o Paulo vai treinar no
estrangeiro.

- Foi campeão pelo Sporting com Boloni. Qual foi o segredo dessa época?

A qualidade. O Sporting tinha uma grande equipa. Agora falta-lhe
qualidade. Sem qualidade não se vai lá.

- Que características melhor o definiam como jogador?
O espirito de sacrifício. Para mim cada minuto valia tudo, era uma entrega máxima. Não era tão bom tecnicamente quanto outros mas era muito esforçado e batalhador.

- Quer no Sporting quer na selecção foi substituído por Rui Jorge. Como viviam essa rivalidade?
Nunca houve rivalidade Houve sempre um enorme sentido de lealdade.

- Começou a carreira na Académica. É adepto do clube, treinado esta época por André Villas Boas. Este treinador está pronto para treinar o FC Porto?
O André trabalhou com gente de muito conhecimento e implantou na equipa da Académica um futebol agradável. É evidente que um passo tão grande não é fácil de dar, mas ele já trabalhou no FC Porto- além disso tem 32 anos e, portanto, é natural que a comunicação social lhe dedique muita atenção. Mas há mais Villas- Boas espalhados por Portugal.

- O que vai ser o seu futuro profissional?
Nos últimos oito anos preparei-me da melhor forma. Afastei-me
intencionalmente durante dois anos, mas o 'bichinho' voltou e agora estou pronto para arriscar de novo e preparado para assumir todos os desafios e todos os lugares no futebol. Neste momento sou agente de jogadores, mas não é bem a minha vocação. Sinto-me preparado para ser director desportivo ou para ser treinador - continuando na área da formação onde tenho a experiência acumulada na escola que dirijo no Inatel de Lisboa. O momento vai chegar, sei que já esteve mais longe. Tenho três ou quatro cenários, mas o que é para mim fundamental é ser
tido como uma mais-valia. E a Académica está sempre no meu horizonte. Foi lá que me iniciei como jogador, posso voltar a ter lá um novo início.

Fonte: Diário de Notícias

sexta-feira, 28 de maio de 2010

Pontapé de Baliza

Como todos os seguidores do blog já sabem, este programa é produzido com o apoio da ESTA-Escola Superior de Tecnologia de Abrantes e como contrapartida desse apoio, o Livre Directo comprometeu-se a, nos últimos episódios, sofrer algumas alterações.

Devido a um erro técnico, a qualidade de imagem da 2ª e a 3ª parte não se encontram ao nível habitual, ainda assim iremos deixar os vídeos disponíveis para que não perca nenhuma opinião dos seus comentadores favoritos.

Pedimos desculpa!

Parte I


Parte II


Parte III

Moreira pode ficar


Após Jorge Jesus ter anunciado a saída de Quim, uma das prioridades da direcção encarnada passa por confirmar os três guardiões para a próxima temporada. Dos actuais só Júlio César tem a permanência garantida, mas a probabilidade de Moreira continuar aumenta.

Nesta fase o principal candidato a titular é Victor, actualmente a defender as cores do Grémio de Porto Alegre. O jogador, de 27 anos, já fez saber que pretende ganhar 1,5 milhões de euros por ano, uma quantia que é considerada muito exagerada em Lisboa. Na Luz acredita-se que o desejo de ingressar no futebol europeu vai levar o atleta a baixar as exigências financeiras. De momento o sul-americano não dá sinais de cedência e já fez saber que está disposto a prolongar as negociações até ao final de Agosto, data em que termina o prazo para as transferências. Convém frisar que o tricolor gaúcho também já apresentou uma proposta de renovação ao internacional canarinho que ainda não foi recusada. Contudo, nesta fase da carreira Victor está ciente que não terá muitas mais possibilidades de deixar o Brasil. Este é o principal trunfo das águias, que se pode revelar decisivo.

Moreira é opção
Outro dossier que pode ficar encerrado nos próximos dias passa pela continuidade de Moreira. Já dado como dispensável, o camisola 1 já manifestou a intenção de continuar, e o seu desejo foi ouvido pela direcção que não esquece os anos de clube que o guarda-redes tem. Contudo, para ficar, Moreira terá de aceitar uma redução salarial, pois quando assinou o vínculo anterior era o dono da baliza, uma situação que já não se verifica. Recorde-se que com Jorge Jesus só foi utilizado na Taça de Portugal e Taça da Liga.

Braga à espera
Outra opção do Benfica é Eduardo, um guarda-redes muito apreciado por Jesus que o conhece bem devido à sua passagem pelo Sp. Braga. Os dois clubes encetaram contactos mas Luís Filipe Vieira e António Salvador, que lideraram as negociações, acabaram por não chegar a acordo. No entanto a possibilidade de o actual titular da Selecção Nacional ainda não foi descartada, como reconheceu o treinador das águias.

Fonte: Record

quarta-feira, 26 de maio de 2010

Jesualdo já rescindiu com o Porto



Está consumada a rescisão do contrato que vigorava entre Jesualdo Ferreira e FC Porto. O técnico passou a tarde desta quarta-feira reunido com o presidente Pinto da Costa e acertaram o final da ligação, comunicada entretanto à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários.

O comunicado refere que a rescisão de contrato foi celebrada em comum acordo, produzindo efeitos a partir da presente data. Fica assim consumado o final da ligação iniciada no Verão de 2006 e durante a qual o FC Porto conquistou três títulos de campeão nacional (2006/07, 2007/08 e 2008/09) e duas taças de Portugal (2008/09 e 2009/10).

O clube «azul-e-branco» nada refere sobre qual será o sucessor de Jesualdo Ferreira no comando técnico da equipa, mas acredita-se que o anúncio deverá acontecer nos próximos dias, até para não atrapalhar os trabalhos de preparação para a nova época. André Villas Boas, ao serviço da Académica, tem sido o nome mais ventilado para ocupar o cargo.

Fonte: a Bola

Espanhóis "pescam" em Portugal...

Espanyol segue Vukcevic...

A direcção do Espanyol de Barcelona está interessada na contratação do médio leonino Simon Vukcevic. O jogador montenegrino anunciou há poucos dias o desejo de sair do Sporting e os "periquitos" podem ser o destino do jogador que há muito deixou de ser opção em Alvalade.

Málaga pode ser hipótese para Quim...

O guarda-redes Quim poderá estar de saída do Benfica depois das mais recentes declarações de Jorge Jesus, técnico benfiquista, no programa da RTPN "Trio d'ataque". Quim que está em final de contrato com o clube da luz, lidera a lista de possíveis reforços para a baliza do Málaga, podendo juntar-se assim a Hélder Rosário e Duda no clube espanhol.

Desafio Difícil

Esta semana tem que nos dizer qual é o cromo n.º 640 da colecção de cromos oficial do Mundial 2010 da Panini???



Acerte e habilite-se a escrever na rubrica semanal "Expert da Bola"...

CNID distingue David Luiz, Coentrão e Jesus

A época realizada pelo Benfica foi reconhecida pela Associação de Jornalistas de Desporto (CNID), que atribui três prémios a elementos do plantel «encarnado»: David Luiz (Futebolista do Ano), Fabio Coentrão (Revelação do Ano) e Jorge Jesus (Treinador do Ano).

O clube da Luz arrecadou ainda o prémio referente a Equipa do Ano, no que diz respeito ao futsal, modalidade em que conquistou a UEFA Futsal Cup. Joana Vasconcelos (canoagem) venceu na categoria de Atleta Revelação do Ano.

Fonte: a Bola

terça-feira, 25 de maio de 2010

Canto Curto

Ainda não é a valer...

Muita tinta fez rolar o empate obtido por Portugal frente à sua modesta congénere de Cabo-Verde. É óbvio que não foi uma exibição convincente, muito menos o resultado pode agradar a alguém. Mas neste momento nada perdemos! Estamos exactamente iguais, excepto no descrédito que paira no ar sobre a selecção (que devia ser) de todos nós. O Mundial ainda não começou, logo não é preciso tanto alarmismo, muito menos tanta crítica. Ainda assim concordo com aqueles que não gostaram do jogo. Concordo, aceito, mas não apupo! Já chega de perseguição à nossa selecção...
Olhemos para o passado, para o Brasil de Scolari que foi Campeão Mundial em 2002, por exemplo. Chegaram ao Mundial envoltos em controvérsia. O escrete não ganhava a praticamente ninguém nos amigáveis e viu-se “grego” para se qualificar. Portugal em 2004, nos jogos de preparação antes do Euro que acolhemos, idem. Ainda assim, não foi por isso que ambas deixaram de ter sucesso.
Foi um jogo feio, mau de se ver e que certamente não queremos repetir esta experiência. Mas há que olhar para pontos positivos: Ontem ficamos a saber que temos defesa esquerdo para os próximos anos. E não é um defesa esquerdo de “desenrasce”, mas sim uma mais valia. Podem dizer que Coentrão contra adversários mais fortes não sabe defender, mas pelo contrário acho que é nisso que ele se destaca naquela posição. Raçudo, aguerrido e sem medo é raro perder um lance na ala esquerda... e depois tem aquele apetite ofensivo que esteve à mostra de todos, até daqueles que não querem ver!
Até começar temos as mesmas hipóteses que as outras selecções. O mais difícil é passar a fase de grupos porque a partir daí é “mata-mata” e tudo pode acontecer. Isto tudo parece muito surreal , e volto a repetir que longe de mim ser defensor de Queiroz – mas também não sou detractor – mas até dia 15 continuo a “ter um feeling”... depois logo se verá. Por agora deixem-me sonhar, e por favor se não gostam, não protestem, não rebaixem ainda mais a selecção, porque não é isso que aqueles jogadores precisam certamente. A selecção é de todos nós, não são os clubes que irão à África do Sul, mas sim a equipa do nosso país, país esse que é comum a todos!

João Vasco Nunes

Queiroz espera pelos golos de Ronaldo



Uma grande penalidade no particular com a Finlândia (1-0), a 11 de Fevereiro de 2009, no Algarve, é o pecúlio do jogador do Real Madrid sob a orientação técnica de Queiroz na selecção.

Depois de ter sido decisivo nas campanhas de apuramento para o Mundial 2006 e para o Euro 2008, Cristiano Ronaldo ficou aquém do esperado na qualificação para o Mundial 2010, não tendo apontado qualquer golo em sete encontros.

Em 70 jogos com a camisola das “quinas”, o extremo luso já apontou 22 golos, que o tornam, a par com Nené, o sétimo melhor marcador da história da selecção portuguesa - o avançado tem agora 25 anos de idade.

Cristiano Ronaldo, que já prometeu golos para a fase final do Mundial 2010, não marca um golo em jogos oficiais desde 11 de Junho de 2008, na vitória frente à República Checa (3-1), na fase final do Euro 2008.

Decisivo na corrida ao Euro 2008

Em “branco” na qualificação para o Mundial 2010, Cristiano Ronaldo tinha sido decisivo na corrida ao Euro 2008, apontando oito golos, um terço dos marcados por Portugal.

Também na qualificação para o Mundial 2006, Cristiano Ronaldo foi decisivo, ao apontar sete golos, sendo o segundo melhor marcador da equipa, atrás de Pauleta (11 tentos).

No Mundial 2006, na Alemanha - tal como aconteceu no Euro 2008 -, Ronaldo marcou apenas um golo, frente ao Irão (2-0), na marcação de uma grande penalidade.

Contudo, a falta de pontaria de Ronaldo, melhor marcador dos campeonatos europeus em 2008, tem sido apenas na selecção, uma vez que nas duas últimas duas temporadas marcou um total de 75 golos (42 ao serviço do Manchester United e 33 no Real Madrid).

Fonte: Público

Maradona sobre o golo de Di María: «Eu não conseguia»



O golo de Di María no particular que a Argentina efectuou ontem com o Canadá deixou Diego Maradona deliciado. O seleccionador argentino está rendido às qualidades do extremo do Benfica.

«Nunca vi nada assim. Eu não conseguia. A bola entrou a três dedos do segundo poste. É impressionante, não é lógico. Eu tinha rematado ao primeiro poste. Ninguém espera um remate daquela zona e daquela maneira», disse Maradona em declarações à imprensa argentina.

Di María foi titular e apontou o terceiro golo da Argentina, com um grande remate de fora da área com a parte de fora do pé.

Fonte: a Bola

Pérolas do Fm

Esta semana fiquem com um dos melhores guarda-redes de todos os CM'S... o russo Ruslan Nigmatullim...

segunda-feira, 24 de maio de 2010

Di Maria confirmado no Real Madrid, David Luiz provável

Di Maria vai ser jogador do Real Madrid, clube que se prepara para contratar o treinador José Mourinho dentro de dias. David Luiz poderá também seguir para o clube merengue.

A TSF sabe que extremo do Benfica já está confirmado como jogador do clube merengue, estando avançadas as negociações relativamente ao central David Luiz.

O médio argentino foi vendido por 40 milhões de euros, ao passo que o central brasileiro poderá vir a ser vendido pelo mesmo valor, dez milhões de euros abaixo da cláusula de rescisão.

Contudo, o Benfica poderá vir a receber um jogador do clube espanhol, estando em cima da mesa os nomes do central argentino Garay e do holandês Drent.

Entretanto, o Real Madrid, que assegurou o treinador José Mourinho por dez milhões de euros por época, já informou o técnico português que tem 116 milhões de euros para gastar em reforços.

Fonte: TSF

Revelação do Ano:

A equipa do Livredirecto votou em Fábio Coentrão para este prémio. Na segunda metade da época o extremo do Benfica, agora adaptado a defesa lateral esquerdo, arrasou completamente na sua nova posição e passou de um "ex-craque sem futuro" a jogador de seleção...




Digam a vossa opinião...

domingo, 23 de maio de 2010

História Mundial


M É X I C O
1 9 8 6

O segundo Campeonato do Mundo a ter lugar no México deu à Argentina a segunda vitória, oito anos após a primeira. A final parece ter sido meramente um passeio para os sul-americanos, com a vantagem dos seus dois golos. Mas os alemães estavam arrogantemente convencidos da sua superioridade e seis minutos depois empatavam a partida. E, quando parecia que o jogo passaria a prolongamento, a Argentina nos últimos cinco minutos.

*Três dos quatro desafios dos quartos de final terminaram empatados em prolongamento e foram decididos por pénaltis. A vitória da França sobre o Brasil vilou as regras (a bola bateu na trave e depois no guarda-redes de chegar ao fundo da baliza, algo impossível segundo as regras neste momento), mas o árbitro validou o tento.

*Também houve problemas com o primeiro golo marcado pela Argentina contra a Inglaterra: Diego Maradona rematou uma bola tocada pela mão, mas o árbitro não viu e considerou o golo válido, naquela que ficou conhecida como a mão de Deus.

NÚMEROS DO MUNDIAL

*Final: Máxico, 31 Junho a 29 Junho
*Participação das equipas na fase de apuramento: 121
*Equipas que participaram nas finais: 24
*Espectadores presentes nas finais 2 373 051
*Desafios disputados: 52
*Golos marcados: 131
*Média de golos: 2,54
E O VENCEDOR FOI...
Equipas finalistas: Algéria, Argentina, Bélgica, Brasil, Bulgária, Canadá, Coreia do Sul,
Dinamarca, Escócia, Espanha, França, Hungria, Inglaterra,
Iraque, Irlanda do Norte, Itália, Marrocos, México, Paraguai,
Polónia, Portugal, Rep. Fed. Alemanha,
URSS, Uruguai

3º Lugar
França - Bélgica 4-2

Final
ARGENTINA - Rep. Fed. Alemanha 3-2

Simão Santana

Desilusão da época:

Principalmente pela era Paulo Bento 09/10, mas também pelo dinheiro investido e pela segunda metade da época, isto apesar das possibilidades serem reduzidas... Não querendo individualizar, a equipa do Livredirecto atribuiu este prémio ao Sporting. É bom que o clube se endireite rapidamente para bem do futebol português...




Digam a vossa opinião, quem desiludiu mais esta época para vocês???

Treinador do ano:

A equipa do Livredirecto escolheu o "mister" do Benfica Jorge Jesus como treinador do ano na Liga Sagres. Podia ser também Domingos Paciência que bem merecia, mas pelo campeonato e pela forma como foi ganho Jesus é o vencedor...




Digam a vossa opinião...

sábado, 22 de maio de 2010

Equipa do Ano da Liga Sagres:

Os membros do Livredirecto juntaram-se para votar no "onze" do ano da Liga Sagres... certamente que muitos bons jogadores ficaram de fora e poderiam fazer parte desta equipa... o resultado foi este:





Suplentes: Djuricic (Leiria), Evaldo (Braga), D. Ângelo (Naval), M. Veloso (Sporting), Ramires (Benfca), Nuno Assis (V. Guimarães) e Saviola (Benfica)


Digam a vossam opinião e escolham o vosso 11...

Jogador do Ano da Liga Sagres:

A equipa do Livredirecto reuniu e decidiu atribuir o prémio de jogador do ano da Liga Sagres ao defesa-central benfiquista David Luiz...

Por todo o potencial que o brasieiro apresentou, por toda a evolução demonstrada ao longo da temporada, por toda a qualidade técnica e por mais uns quantos par de argumentos... David Luiz é eleito pelo nosso blog como o melhor jogador do ano!




Digam de vossa justiça...

P.S.: Na votação igualmente realizada no Livredirecto o eleito pelos users foi igualente David Luiz, com 16 votos...

O melhor do Mundo



A Champions League desta temporada define-se apenas em duas palavras: José Mourinho...

Off side - apanhados da bola

Em tempo de Mundial, é sempre bom recordar... outros Mundiais, uma grande figura do futebol (Higuita) e também uma das suas maiores invenções pela negativa.

Villas Boas sem consenso no Dragão



André pode estar mesmo a caminho do Dragão, mas há lá dentro quem não ache muita piada ao assunto. Jesualdo Ferreira ainda não conversou com Pinto da Costa, mas o presidente decide para a semana.

Vai ser muito complicado ao FC Porto dar a volta a esta realidade: a notícia já andas por aí, Villas Boas será, muito provavelmente, o treinador, só que a Jesualdo ainda ninguém disse que o seu reinado acabou.

Villas Boas é o homem de quem se fala, mas o facto, e por muito que se escreva, é que fontes do FC Porto garantem que não. Mas talvez... sim, apesar das negas do actual treinador da Académica, também apanhado na curva dos desmentidos quando se falou que estava a caminho do Sporting. E estava, mas ter-se-á arrependido.

Fala-se que André, 32 anos, portista, não reúne consenso entre os administradores da SAD, mas Pinto da Costa estará já convencido em contratar o antigo adjunto de José Mourinho. E se isso aconteceu, então acreditem que um dia destes o homem entrará no centro de treinos do Olival.

Fonte: a Bola

Futebol de Gabinete

Sabe de futebol e quer ganhar dinheiro? Então não hesite…

Parece um qualquer anúncio publicitário, mas não, apenas darei a conhecer aos meus amigos alguns produtos financeiros de baixo risco que podem ser bastante rentáveis caso as vossas previsões “futebolísticas” sejam certeiras, nomeadamente com os cartões de crédito da CGD.

Se é do Benfica e consegue prever que o seu clube praticará o melhor futebol, tiver os melhores resultados mas, acima de tudo, conseguir marcar maior número de golos, então parabéns pois ganhou um prémio de investimento nos mais recentes cartões de crédito Benfica da Caixa Geral de Depósitos. Este é um produto inovador que no ano transacto rendeu aos subscritores mais de 2.500.000 € em função dos 78 golos marcados no campeonato nacional. Existem dois tipos de cartões, o “Benfica Member Gold” que remunera os subscritores em 2 € por cada golo marcado pelo clube e o “Benfica Adepto” que remunera a 1,50 €. Obviamente, não esquecer que o montante final a receber depende da utilização que o cartão de crédito tiver (mínimo de 150 €).

Outro bónus é o “Lugar de Ouro”, uma iniciativa que consiste num meio de atrair espectadores ao estádio e consiste num sorteio para premiar um lugar do estádio, nas seguintes condições:

* 100% (€10.000): o sorteado é sócio do SLB e possui cartão de crédito Benfica
* 75% (€7.500): o sorteado não é sócio mas possui cartão de crédito Benfica
* 10% (€1.000): o sorteado é sócio mas não possui cartão de crédito Benfica

Um outro produto ainda é o tarifário das operadoras de telemóveis, neste caso para os 3 grandes clubes portugueses. Com preços de 0,16 € por chamada e 0,08 € por SMS em qualquer um dos tarifários dos 3 clubes, as chamadas são, ainda, grátis entre os subscritores destes produtos. As principais diferenças e que permitem distinguir um produto dos outros está no que toca aos carregamentos. O F.C.Porto oferece 5% do valor do carregamento em quotas de sócio, o Sporting oferece 5% do valor em pontos convertíveis em produtos diversos e o Benfica não oferece qualquer opção.

Como vêm, os meus amigos podem ganhar bastante dinheiro se forem adeptos atentos e perspicazes nas vossas previsões, juntamente com a vantagem de vos ser dada a possibilidade de utilizar produtos associados ao clube que seguem.

Jorge Manuel Honório, Finance analyst

sexta-feira, 21 de maio de 2010

Galeria D'arte

Esta semana a Galeria D'Arte irá dar vida a uma contagem decrescente para o Mundial 2010 na Africa do Sul.
Durante as próximas 4 semanas iremos colocar os "top's" dos melhores golos de cada Mundial.
Vamos começar a nossa viagem em 1994! Vemo-nos em 2010! Até Lá!

Hugo Viana apontado ao "novo" Sporting

REGRESSO A ALVALADE É POSSIBILIDADE EM ABERTO

Hugo Viana é um dos jogadores referenciados para reforçar o Sporting na próxima época. O médio do Valencia, que na temporada passada foi uma das figuras do Sp. Braga (esteve na Pedreira cedido pelo emblema espanhol), é bem-visto pelos responsáveis leoninos, que equacionam o nome do internacional português como um dos possíveis reforços para a equipa liderada por Paulo Sérgio.

quinta-feira, 20 de maio de 2010

Ronaldo também há-de ser como Figo


Carlos Godinho, de 60 anos, é o director desportivo da Federação Portuguesa de Futebol. Após ter cumprido o serviço militar, entrou na FPF há 29 anos, através de concurso público. Começou na área da formação de quadros e, em 1984, ajudou a criar o departamento técnico das selecções, com Carlos Queiroz, Jesualdo Ferreira e Mirandela da Costa, entre outros. Esteve com Queiroz nas conquistas dos títulos de sub-20 e desde 1991 ocupa-se da selecção principal – desde então, só não esteve presente num Portugal-Alemanha de preparação para o Euro 96, por estar num workshop da UEFA.

Actualmente, é o responsável por todas as selecções, mas, após o Mundial, deverá ficar apenas com a equipa principal, porque “a sobrecarga é grande”.

Depois de ter recusado convites de FC Porto, Sporting e Benfica e de quase ter saído para a selecção inglesa em 2006 (teria ido se Scolari tivesse assumido o cargo de seleccionador de Inglaterra), Godinho não se vê a fazer outra coisa até deixar a federação. Nesta entrevista ao PÚBLICO, feita antes do início do estágio na Covilhã, assume uma admiração especial por Scolari e defende que Cristiano Ronaldo vai ser um líder ao nível de Luís Figo.

Já tivemos o Figo, mas hoje o Ronaldo é uma estrela num mundo muito mais mediatizado. Isso coloca-lhe muitas dificuldades?
Sim. É bom, mas também tem pontos negativos. Quando se fala de Portugal, fala-se de Cristiano Ronaldo, como antes se falava de Figo. A pressão sobre Ronaldo é de tal maneira grande que nos obriga a ter muitos cuidados. Não podemos pensar só na selecção, temos de pensar na selecção e no Cristiano Ronaldo.

Isso significa blindar mais a selecção?
Sim, é exactamente isso. Vou dar um exemplo: fomos jogar à Finlândia em 2006. Havia cinco mil pessoas no treino e as miúdas estavam com uma tal camada de histeria que não se calavam e gritavam cada vez que o Ronaldo tocava na bola. Pedimos a um responsável finlandês para avisar que ou paravam de gritar ou tínhamos de fechar o treino.

Pode contar mais algum episódio?
É inacreditável o que as pessoas fazem e inventam para ter um autógrafo, uma camisola, um par de meias. Fazem tudo e temos de ter atitude proactiva para perceber o que vai acontecer.

Hoje não há Figo, Rui Costa, Couto. Tem-se discutido muito se Cristiano Ronaldo pode ser o líder da selecção…
Ninguém nasce ensinado na vida. Todos somos fruto do nosso percurso, por mais ouro que tenha o berço. O Ronaldo, como qualquer outro jogador, não teve a formação no berço. A formação dele foi feita gradualmente e com muita vontade dele. Hoje, mesmo nas conferências de imprensa do Real Madrid e da selecção, vê-se que é uma pessoa jovem diferente. Não é o mesmo que era há uns anos. O Figo que terminou a carreira não foi o mesmo que a iniciou. Estou em condições de dizer que o Cristiano também há-de ser como o Figo. É uma pessoa que está em crescendo. O que aconteceu é que com o Figo havia pessoas mais velhas, houve uma passagem de testemunho gradual, e quando chegou a vez dele estava preparado. O Cristiano foi lançado às feras. Foi considerado o melhor jogador do mundo e de um momento para o outro está como figura de cartaz e sem retaguarda. Cristiano Ronaldo está em progressão e quando ele sair as pessoas vão lembrar-se dele como hoje se lembram do Figo. Não se pode é pedir ao Ronaldo que aos 25 anos seja o que o Figo era aos 34. As pessoas têm de compreender.

Já esteve em más e boas provas. Qual é o seu feeling desta vez?
Passando a primeira fase, tudo é possível e a experiência que tenho é que o jogador português se agiganta nesses momentos. Se nos adaptarmos bem e estivermos bem mentalizados para as dificuldades (um país diferente, os adversários) que vamos encontrar, vamos passar e podemos ir em frente. O primeiro jogo é fundamental, mas não decisivo. Nenhuma equipa, nem as melhores, como Brasil e Espanha, podem dizer que vão ganhar. E já ganhámos à Espanha.

Já trabalhou com muitos seleccionadores…
Eu e Queiroz tratamo-nos por tu. Trabalhámos nove anos juntos, depois ele foi embora e agora este reencontro não foi fácil, porque os resultados não foram bons no início, mas felizmente compôs-se tudo. Felizmente estamos no Mundial, depois de algumas dificuldades internas, no jogo com Dinamarca e Albânia. Depois acalmou e fomos em crescendo.

Houve alguém especial?
Scolari foi a pessoa que mais me marcou. Tenho muito orgulho em ser amigo dele e ele ser meu amigo. É uma pessoa diferente, que faz dos afectos e da proximidade algo muito importante. E eu também sou assim, mais de coração na boca. Faz tudo pelo seu amigo, se for preciso até dá um murro. Quando ele chegou, perguntaram-lhe se queria continuar comigo, uma pessoa que tinha tido uns problemas uns meses antes [Mundial 2002]. Ele disse que enquanto não conhecesse não decidia. Passado um mês, disse que eu era com quem ele queria trabalhar. E jamais esquecerei isso.

O que destacava Scolari era a faceta de motivador?
O Carlos Queiroz também foi assim nos juniores, porque essa componente era muito forte. Éramos os pais dos miúdos, éramos uma família. No futebol profissional, é diferente. E os brasileiros também são diferentes de nós. Carlos Queiroz agora esteve muito tempo fora, vem de um país frio, como a Inglaterra, mas hoje penso que ele tem um grupo e as pessoas vão unidas para o Mundial.

Já teve convite de clubes?
Em 1996, fui convidado para o FC Porto pelo senhor Pinto da Costa. Em 2001, fui convidado para o Sporting por José Eduardo Bettencourt. E em 2004 pelo José Veiga para o Benfica.

Não aceitou porquê?
Em 1996, houve qualquer coisa que não percebi, porque as coisas estavam mais ou menos acertadas. Em 2001, porque tinha uma grande ambição de ir a um Mundial. Era a maior ambição da minha vida e não trocava um Mundial por um clube. Curiosamente, correu mal no Mundial e correu bem no clube, porque o Sporting foi campeão. Em 2004, não fui, porque não chegámos a acordo.

Arrepende-se disso?
Não. O meu caminho estava traçado desde o início. Em 2006, estive perto de ir para a selecção inglesa se o Scolari tivesse ido. É a primeira vez que estou a contar isto.

As pessoas vêem-no um pouco como o senhor selecção…
A selecção não nasceu comigo. Tem uma história rica desde 1921 até hoje, mas de facto o departamento nasceu com Carlos Queiroz e comigo. Ele saiu, eu fiquei. Fui um pouco associado a isso.

Vê-se como o pai dos jogadores?
Hoje já não tanto, porque há uma relação diferente. Como viu na relação com o Pauleta [durante a entrevista o antigo internacional telefonou a Carlos Godinho], até àquela geração os jogadores não tinham uma ligação muito forte com os seus agentes. Tinham agentes, mas a selecção era um caso à parte. Hoje têm agentes e muitas vezes não se libertam. Como em todo o mundo, havia uma maior proximidade dos jogadores com as selecções. Claro que continuo a ter excelentes amigos e excelentes relações com eles, mas especialmente com os mais novos já não é a mesma coisa. Há mais profissionalismo na gestão da carreira deles e muitas vezes já não passa muito pela relação directa.

Quer dizer que o ambiente é menos familiar?
Não. Quando eles cá estão mantém-se. Os novos são integrados, porque ainda temos gente como Paulo Ferreira. Deco, Ricardo Carvalho, Miguel, jogadores mais antigos que fizeram a passagem de testemunho. Mesmo o Cristiano ainda esteve com Figo, Couto e Rui Costa.

Mas quando diz que é diferente, traduz-se em quê?
Havia uma relação muito íntima entre jogador e selecção. Às vezes ligavam-me a perguntar: “Achas que vou ser convocado?” Hoje já não acontece tanto, porque está tudo muito profissionalizado.

Conviveu e convive com alguns dos melhores jogadores portugueses. Algum é mais especial para si, pela relação de amizade?
Tinha um grupo de jogadores que fizeram o Campeonato do Mundo de 1991. O João Pinto afastou-se depois daquele problema de 2002, mas somos muito amigos, apesar de não nos vermos muito. O Jorge Costa, Fernando Couto, Paulo Sousa, Figo, Pauleta, Ricardo, Paulo Ferreira, Miguel, Maniche. São jogadores com quem tenho uma relação mais próxima. Talvez o Pauleta, Figo e Couto sejam os que mantêm mais contacto comigo. Tenho boa relação com Costinha e Rui Costa, embora seja mais fácil com os que não têm ligações aos clubes, porque isso tira-lhes disponibilidade. Público

Fonte: Público

Desafio Difícil

Esta semana tem que nos dizer que Presidente, e sobre que jogador, um dia disse "Primeiro vendia o cube, depois então vendia-o a ele"...?



Acerte e habilite-se a escever na rubrica "Expert da Bola"...

Treinador de Bancada

Benfica goleia New England Revolution (4-0)



O Benfica defrontou esta madrugada o New England Revolution no Gillette Stadium, em Foxborough, primeiro jogo da digressão que os “encarnados” estão a realizar pelos Estados Unidos e Canadá. Ao intervalo, vencia já por 3-0 na estreia de Fábio Faria a titular.

A chuva e o frio que se fizeram sentir à chegada da comitiva “encarnada” a Providence mantiveram-se e foi nestas condições que a equipa orientada por Jorge Jesus disputou o primeiro encontro da digressão de final de temporada.

Ainda assim, o mau tempo não demoveu as cerca de sete mil pessoas nas bancadas, em grande parte emigrantes portugueses, mas eram esperados pelo menos 12 mil espectadores – número de bilhetes vendidos até à véspera - nas bancadas do estádio do clube que disputa a Liga de futebol norte-americana.

Felipe Menezes fez o 1-0 aos 15 minutos. Saviola entregou-lhe a bola à entrada do meio-campo adversário, o médio foi galgando terreno com a bola dominada e à entrada da área desferiu remate potente de pé direito para a esquerda do guarda-redes. Três minutos depois Sidnei assinou o 2-0 de cabeça após um cruzamento da esquerda de Peixoto. O mesmo César Peixoto marcou o 3-0 aos 33: na marcação de um livre da direita, a bola foi cortada na direcção da baliza, Kardec simulou e deixou passar e a bola, que acabou por entrar no poste contrário.

Ao intervalo, saiu Saviola e entrou Weldon. Kardec fez o 4-0 aos 54, de livre directo. Aos 58, entraram ainda Javi Garcia e David Luiz para os lugares de Airton e Fábio Faria. Jogaram ainda Leandro Pimenta e David Simão.

O Benfica: Júlio César; Luís Filipe, Sidnei, Fábio Faria, César Peixoto; Airton, Ruben Amorim, Éder Luis, Felipe Menezes; Saviola e Kardec.
Suplentes: Moreira, David Luiz, Javi Garcia, David Simão, Leandro Pimenta, Weldon e Nuno Gomes

Fonte: a Bola

quarta-feira, 19 de maio de 2010

Pontapé de Baliza

Parte I


Parte II

Fim de linha para Inácio

Augusto Inácio terminou esta tarde o vinculo que o ligava à Naval 1º de Maio.
O agora ex-técnico da Naval este reunido com o responsável máximo do clube da Figueira da Foz, Aprígio Santos, e ambos concordaram em dar por concluído o trabalho efectuado pelo técnico português.
Augusto Inácio sai após uma época em que não só conseguiu a melhor classificação de sempre da Naval na liga (8º lugar), como chegou às meias-finais da Taça de Portugal.

Notícia Livre Directo: Leonardo Jardim fica em Aveiro


Leonardo Jardim será o treinador do Beira-Mar na próximo época, 2010/2011.
O timoneiro madeirense esteve ontem reunido com Mário Costa, candidato único às eleições agendada para dia 5 de Junho do emblema de Aveiro, para perceber quais as condições que iria trabalhar.
O principal factor que o levou a ficar em Aveiro foi a boa empatia com adeptos e comissão administrativa auri-negra.
O técnico tinha propostas de outros clubes do principal escalão do futebol português, como o Paços de Ferreira ou o Nacional da Madeira.
No entanto o facto de António Regala, principal obreiro da recuperação do Beira-Mar esta temporada, ser um dos elementos da lista encabeçada por Mário Costa pesou favoravelmente para as hostes amarelas, já que Leonardo Jardim o aprecia bastante.
Ainda durante o dia de hoje, o clube beira-marense anuciará no seu site oficial a renovação do vínculo com o técnico madeirense.
Assegurado que está a continuidade do treinador, a prioridade dos responsáveis do Beira-Mar será agora garantir para a próxima temporada o extremo-direito das escolas do clube Artur. Élio, Hugo, Palatsi e Igor Pita são outras das prioridades.

Avançado espanhol José Collado a caminho de Braga

O avançado de 21 anos de idade, José Collado, que actua na 2.ª Divisão B espanhola ao serviço do Gimnastica, vai assinar um contrato de 4 anos com o Sporting de Braga, segundo avança o site italiano Tuttomercato. Collado tem 1.90 de altura, pesa 80 kg e esta temporada marcou 14 golos ao serviço do clube de Torrelavega no terceiro escalão do futebol espanhol.




(Veja o hattrick de Collado neste jogo)

terça-feira, 18 de maio de 2010

Sub-21 vencem a Holanda


A Selecção Nacional de sub-21 venceu, este final de tarde, a Holanda em jogo particular.

Os comandados de Oceano Cruz, entraram de forma arrasadora na partida e à passagem dos 10 minutos já venciam por 2-0, com um "bis" de Orlando Sá (3 e 7), jogador das escolas do FC Porto .

Ainda na primeira parte, Candeias outro jogador do FC Porto, quase arrumou com a questão de quem seria o vencedor, assinando o 3-0 à passagem do minuto 35.

Na etapa complementar a selecção das quinas aproveitou para fazer algumas alterações o que provocou a reacção neerlandesa, com um golo do médio criativo do Ajax, Siem de Jong (57).

Portugal entra a ganhar no Europeu de sub-17

A Selecção Nacional sub-17 entrou com o pé direito na fase final do Europeu da categoria, que hoje se iniciou no Liechtenstein, ao bater a congénere da Suíça, por 3-0.

Ricardo Esgaio apontou o golo naugural ainda na primeira parte, aos 25 minutos de jogo.

Portugal consolidou a vitória, com uma entrada fulgurante na segunda parte e que lhe valeu mais dois golos, por intermédio de Mateus Fonseca, logo aos 48 minutos e 2 minutos depois (50) Ricardo Esgaio, que assim "bisou", fecho o marcador.

Referência para a boa exibição de Bruma, autor das assistências para os três golos da equipa das quinas.

No outro jogo do Grupo A, a Espanha venceu a França por 2-1, ocupando por isso a segunda posição, atrás de Portugal.

A selecção nacional de sub-17 volta a entrar em campo na próxima sexta-feira, para defrontar a congénere gaulesa. com A Bola

Fonte: A Bola

Paulo Sérgio: "Sportinguistas, estejam tranquilos!"


O novo treinador de futebol do Sporting, Paulo Sérgio, começou hoje a trabalhar na Academia de Alcochete e transmitiu tranquilidade aos adeptos, assegurando haver sintonia com os dirigentes do clube.

"Quero apenas transmitir aos sportinguistas que estejam tranquilos, pois estamos a trabalhar com pensamento no futuro, com a maior dedicação e todos em sintonia", afirmou o ex-técnico do Vitória de Guimarães, em declarações reproduzidas pelo sítio oficial do Sporting na Internet.

"Apesar de ser um período de férias", Paulo Sérgio frisou que a equipa técnica, o presidente, José Eduardo Bettencourt, e o diretor desportivo, Costinha, estão já a trabalhar pelos objetivos pretendidos. Lusa

Fonte: Lusa

Pérolas do FM

Esta semana mostramos o lateral direito Didier Agathe, ele que actuava no Celtic e era um dos grandes diamantes da versão CM 01/02...

Fábio Coentrão na lista de pedidos de Mourinho para o R. Madrid



Segundo noticia o jornal espanhol “As”, José Mourinho já fez chegar uma lista de potenciais reforços no caso de assumir o comando do Real Madrid na próxima época. Três nomes colocados em cima da mesa, todos do Benfica: David Luiz, Di Maria e Fábio Coentrão.

O «central» brasileiro e o extremo argentino há muito que estão na órbita do clube merengue, que terá agora também na retina o jovem lançado por Jorge Jesus a defesa-esquerdo na boa campanha realizada pelo clube da Luz.

O jornal AS recorda que Coentrão já conhece Espanha, uma vez que ali actuou nos primeiros seis meses da época passada (2008/2009) emprestado pelo Benfica ao Saragoça. Destaca-se então a sua velocidade e habilidade com a bola.

Fonte: a Bola

segunda-feira, 17 de maio de 2010

Canto Curto

Quando a Taça é pouco…

Chegou ao fim a época 2009/10. O Porto venceu a última partida oficial da temporada nacional, conquistando a Taça, num jogo onde a tradicional festa do Jamor se cumpriu, e o Chaves teve o prazer de participar nela.
Agora resta-nos esperar pelo Mundial e pelas notícias de verão sobre as novas caras dos “grandes” para a próxima temporada. A não ser isto, o dia-a-dia do futebol nacional acalmou com o fim da época, excepto num parâmetro: a continuadade, ou não, de Jesualdo Ferreira no FC Porto…
Jesualdo bateu o recorde de épocas no comando dos dragões (4), nas últimas três foi campeão “limpinho” e desde o final do seu primeiro ano no cargo que se especulou muito sobre a sua saída. Muitos, como eu por exemplo, devem achar injusto o clima de dúvidas que sempre pairou sobre Jesualdo no Porto, ainda para mais quando o professor, ano após ano, teve que obrigatoriamente reconstruir equipas vencedoras, pois os seus principais trunfos saíam sempre para o exterior.
Esta época foi a menos conseguida de Jesualdo ao serviço do Porto porque não conseguiu essa tal reconstrução do plantel, apesar de contar com um dos melhores avançados que alguma vez actuou em Portugal. Só neste final de temporada conseguiu articular melhor a equipa e até tirar um “coelho da cartola”: o colombiano Guarin, que nestes últimos jogos se mostrou em muito bom nível e quem sabe se não será uma certeza no futuro do dragão?
Repito esta foi a época menos conseguida do professor como treinador do Porto… mas por ser a pior, não quer dizer que seja má! O Porto venceu Supertaça e Taça de Portugal, e em quatro anos, isso ser o pior registo é porque o trabalho de Jesualdo é de muitíssima qualidade…
Quando se coloca em causa a continuidade de um treinador tricampeão, num ano em que ele só (!?) ganha duas competições, isto quer dizer muito da exigência que se vive no Porto e sob a presidência de Pinto da Costa. Aqui está uma diferença da “organização” do clube que mais ganha em Portugal nos últimos anos e dos outros “grandes” que passam épocas inteiras sem quaisquer troféus!

P.S. (1): Esta última frase, como é lógico, tem a excepção do Benfica de Jesus 09/10.

P.S. (2): Apesar dos elogios ao professor Jesualdo e de o achar muito competente enquanto técnico de futebol, há que registar o desgaste da sua imagem perante a imprensa, veja-se a última conferência após a final do Jamor, e a sua incoerência de discurso, demonstrada muitas vezes também perante essa mesma imprensa. Ainda assim penso que se o Porto mudar… não muda para melhor, até porque meio plantel está do lado do actual “mister” e a equipa estava a encarrilar no final da época, começando a praticar um futebol muito interessante…

João Vasco Nunes

Trinco Esquerdo



André Amante

Di María volta à órbita do Man. United




A imprensa inglesa noticia, esta segunda-feira, a existência de «novas movimentações» do Manchester United tendentes à contratação do argentino do Benfica, Ángel Di María.

A notícia veiculada pelo Daily Mail, com eco um pouco por toda a comunicação social britânica, dá então conta de «novas movimentações» do clube de Old Trafford pelo jovem extremo, salientando, porém, que o Real Madrid continua a ser o favorito para garantir o seu concurso.

Di María é visto por Alex Ferguson como o substituto ideal para Ryan Giggs, veterano galês de 36 anos vinculado aos “red devils” até 2011. Ben Arfa, do Marselha, e Luiz Suárez, do Ajax, são os outros nomes na agenda do técnico escocês.

O argentino tem contrato com o Benfica até 2015. O novo vínculo, assinado em Novembro do ano passado, fixou a cláusula de rescisão em 40 milhões de euros. A Bola

Fonte: A Bola

Maniche rescinde e pode rumar a Alvalade

LIGAÇÃO AO COLÓNIA TERMINAVA EM JUNHO DE 2011

O médio português Maniche vai deixar o Colónia, depois de clube e jogador terem rescindido o contrato que os ligava por mútuo acordo. O destino do internacional português, que tinha vínculo até junho de 2011 com os alemães, poderá ser o Sporting, segundo avança a imprensa alemã este domingo.

No site da Bundesliga pode ler-se uma declaração do diretor geral do Colónia onde diz que "Maniche expressou o desejo de voltar para Portugal para junto da sua família e nós aceitámos o seu pedido".

O Colónia agradece a Maniche "todo o trabalho desenvolvido no clube" e deseja "as melhores felicidades para o futuro" do jogador.

Fonte: Record

domingo, 16 de maio de 2010

«Vocês não me querem mesmo aqui» – Jesualdo


Jesualdo Ferreira não gostou da insistência dos jornalistas para que desvendasse o seu futuro no FC Porto e, depois de várias perguntas sobre o mesmo tema, abandonou a conferência de imprensa de forma abrupta. «Vocês não me querem mesmo aqui», disparou.

«Vamos encerrar esse assunto de forma muito clara. Questões da minha vida pessoal e profissional resolvo-as eu, sem qualquer tipo de publicidade, e, neste caso, com a minha entidade patronal, que é o FC Porto. Não há mais nada a dizer. Vocês não me querem mesmo aqui», atirou o técnico dos “dragões”, antes de se levantar e abandonar a sala de conferências de imprensa do Estádio Nacional, visivelmente incomodado. com A Bola

Fonte: A Bola

FC Porto vence Taça de Portugal


FC Porto e Desportivo de Chaves fizeram a festa no Jamor, com os dragões a vencerem por 2-1, sobretudo devido à exibição na primeira parte.

O FC Porto conquistou a 15.ª Taça de Portugal da sua história, com vitória sobre o Desp. Chaves mais suada do que poderia parecer antes do jogo e mesmo até aos 85 minutos.

Os transmontanos entraram com garra e Edu poderia ter marcado logo aos 9, com Edu a aproveitar erro de Helton mas a atirar ao poste. O FC Porto recompôs-se e Hulk começou a fazer das suas, com arrancadas diabólicas. Guarin marcou aos 13, aproveitando erro do guarda-redes flaviense e aí os dragões começaram a dominar o jogo por completo. Aos 23, Hulk ofereceu o segundo do FC Porto a Falcao e os dragões pareciam embalados.

No entanto, a segunda parte teve um ritmo bem mais baixo e seria apenas nos últimos cinco minutos que voltaria a haver emoção - Clemente aproveitou desentendinmento entre Rolando e Bruno Alves para reduzir e poderia mesmo ter empatado logo de seguida. Tempo ainda para uma expulsão para cada lado, Ricardo Rocha e Bruno Alves - e pouco depois Pedro Proença apitou para o final, com o Jamor a encher-se de azul.


Ficha técnica:

Estádio Nacional, no Jamor

Árbitro: Pedro Proença (AF Lisboa)

DESP. CHAVES: Rui Rego; Danilo, Lameirão, Ricardo Rocha e Eduardo; Siaka Bamba, Samson e Castanheira; Bruno Magalhães, Edu e Diop.

Suplentes: Daniel Casaleiro, Flávio Igor, Diego, Clemente, João Fernandes, Vítor Silva e Heslley.

Treinador: Manuel Tulipa.

FC PORTO: Helton; Miguel Lopes, Rolando, Bruno Alves e Álvaro Pereira; Fernando, Belluschi, Guarín e Raul Meireles; Hulk e Falcão.

Suplentes: Beto, Maicon, Addy, Valeri, Tomás Costa, Rodriguez e Farías.

Treinador: Jesualdo Ferreira.

Marcador: 0-1 por Guarin (13); 0-2 por Falcao (23); 1-2 por Clemente (85) com A Bola

Fonte: A Bola

História Mundial



E S P
A N H A
1 9 8 2

Pela segunda vez (a primeira vez foi em 1970), as equipas que disputavam o título tinham ganho anteriormente um Campeonato do Mundo. À Itália, que tivera o seu grande êxito de 3-2 contra o Brasil, bastava empatar para passar à segunda parte e ficar nas meias-finais. Todos os golos da Itália foram marcados por Paolo Rossi, goleador do Mundial com 6 tentos

*O primeiro pénalti falhado num jogo da final envolveu o italiano Antonio Cabrini e o marcador estava a 0-0. O seu erro não teve consequências para o resultado do desafio.

*Pela primeira vez num Campeonato do Mundo, houve pénaltis decisivos, os quais o jogo Alemanha - França, que acabou a 1-1 no prolongamento, a 3-3 depois do segundo prolongamento (com os alemães a marcarem 2) e a 8-7 depois dos pénaltis.

NÚMEROS DO MUNDIAL

*Final: Espanha, 13 Junho - 11 Julho
*Participação das equipas na fase de apuramento: 109
*Equipas que participaram nas finais: 24
*Espectadores presentes nas finais 2 073 723
*Desafios disputados: 52
*Golos marcados: 146
*Média de golos: 2,81
E O VENCEDOR FOI...
Equipas finalistas: Algéria, Argentina, Austria, Béligica, Brasil, Camarões,
Checoslováquia, Chile, El Salvador, Escócia, Espanha, França, Honduras,
Hungria, Inglaterra, Irlanda do Norte, Itália, Jugoslávia,
Kuwait, Nova Zelândia, Polónia, Perú,
Rep. Fed. Alemanha, URSS

3º Lugar
Polónia - França 3-2

Final
ITÁLIA - Rep. Fed. Alemanha 3-1

Simão Santana

Vítor Gomes apreciado pelo leão



Ainda no V. Guimarães, Paulo Sérgio seguiu atentamente o vila-condense, há muito referenciado em Alvalade.

O vila-condense Vítor Gomes há muito que está referenciado pelos leões como potencial reforço para a próxima temporada e, apesar de o presidente do Rio Ave, António da Silva Campos, ter assumido, há uns tempos, que sabia, por interposta pessoa, que os leões estão interessados no jogador, ainda não houve avanços concretos no sentido da contratação do jogador.

No entanto, há um dado que pode ser importante na resolução deste processo. O treinador Paulo Sérgio aprecia as qualidades do médio, que esteve nas suas cogitações em Janeiro, quando orientava o V. Guimarães. O negócio entre os dois clubes acabou por não avançar, mas ficou esse dado.

O passe de Vítor Gomes está avaliado em perto de 500 mil euros e o perfil de jogador também encaixa no pretendido pelos leões.
No fundo, atletas com margem de progressão e que, no futuro possam representar, eventualmente, um encaixe significativo e importante de dinheiro.
No entanto, antes de um eventual avanço para a contratação de Vítor Gomes, os leões terão de arrumar a casa, ou seja, que haja mais definições, sobretudo, nos jogadores que vão sair de Alvalade.
Adrien e Pereirinha são dois atletas com mercado e que os leões, preferencialmente, pretendem colocar noutro clube no sentido de ganharem maior rodagem competitiva - Pereirinha até poderá entrar nas negociações com o Sp. Braga para o resgate de Evaldo - mas, por enquanto, ainda não há muitas definições.

Fonte: a Bola

sábado, 15 de maio de 2010

Trinco Esquerdo



André Amante

João Alves. "Eu era cá uma peste... Mas agora estou melhor"

O luvas pretas já levantou cinco Taças de Portugal, a última delas há 20 anos, como treinador do Estrela.



A sua imagem de marca eram as luvas pretas, em homenagem ao avô Carlos, internacional português pelo Carcavelinhos e Académico do Porto nos anos 20 e 30, mas marcou o futebol português com a sua genial técnica. Deu-se a conhecer no Boavista, brilhou no Salamanca e encantou no Benfica.

A 14 de Novembro de 1970, ainda júnior do Benfica, começou a usar luvas pretas, dois dias depois da morte do avô. Em 1973 estava pronto para regressar ao Benfica, após uma época no Varzim, mas foi para o Montijo, a troco de 600 contos. Um ano depois (1974), Alves foi para o Boavista, onde fez duas épocas sensacionais com José Maria Pedroto. Venceu duas Taças de Portugal (a primeira delas resolvida com um golo da sua autoria, frente ao Benfica) e assinou contrato com o Salamanca. Em Espanha, expôs todo o seu (enorme) talento. Resultado: foi eleito o melhor jogador estrangeiro e o jogador mais regular da Liga espanhola por dois jornais daquele país ("Marca", de Madrid, e "El Mundo Deportivo", de Barcelona), batendo uma concorrência de peso, como Cruijff (Barcelona), Kempes (Valencia), Breitner (Real Madrid)... Esteve um ano no Benfica e regressou ao estrangeiro, agora para o PSG, de França. Fracturou a perna logo na terceira jornada (entrada duríssima de Genghini) e voltou à Luz em 1980. Lá permaneceu três épocas, como titular indiscutível, até atingir o ponto de ruptura com Sven-Goran Eriksson, que não o chamou para o onze titular nos dois jogos da final da Taça UEFA, com o Anderlecht. Acabou a carreira no Boavista, em Maio de 1985. Sempre com as luvas pretas, que só tirou quando abraçou a carreira de treinador, onde atingiu o ponto mais alto há 20 anos, com a conquista da Taça de Portugal, pelo Estrela da Amadora, numa final entre um clube de 1.a divisão e outro da 2.a (Sp. Farense), como ocorre amanhã, entre FC Porto e Chaves. É precisamente esse o ponto de partida para esta entrevista do i a João Alves.

Boa tarde João Alves. Falo de Portugal.

Pois, já percebi, pelo indicativo internacional (351).

E quero entrevistá-lo.

Tudo bem, mas aviso-o que estou na Suíça por causa do roaming.

Não há problema.

Você é que sabe. Diga lá então.

É tanta coisa que nem sei... Olhe, começo pela final da Taça de Portugal- -90.

Grande dia. Ou melhor, grandes dias. Foram dois jogos extraordinários entre Estrela da Amadora e Sp. Farense [1-1 e 2-0, com golos de Paulo Bento e Ricardo na finalíssima, três dias depois da final]. Muito empenho, muita seriedade e um Jamor a abarrotar, com invasão maciça dos adeptos dos dois clubes e até de outros.

Então?

Eu bem vi bandeiras do Sporting e do Benfica misturadas com as do Estrela da Amadora. Foi a verdadeira festa da Taça. Um momento digno do futebol português.

Do que se lembra mais desses dias extrafutebol?

De uma tarja enorme em que se lia "João Alves para Primeiro-Ministro", embora não me lembre se estávamos perto das eleições. E de uma cena inesquecível cá fora, depois de levantarmos a Taça, com os motards de Faro, que eram sei lá quantos, a fazerem um corredor gigantesco e a aplaudirem à medida que o autocarro do Estrela passava por eles. Até me arrepio todo só de recuar no tempo e rever esse episódio.

Com essa final, o João Alves levantou a quinta Taça de Portugal da carreira: quatro como jogador (duas pelo Boavista e mais duas pelo Benfica) e uma como treinador. Sabia que é o segundo mais condecorado?

Não fazia ideia, e quem é o primeiro?

O Pedroto, com seis (duas como jogador, ambas no FC Porto, e quatro como treinador, duas pelo FC Porto e outras tantas pelo Boavista, uma delas consigo na equipa).

Ah pois, então, mas quem mais? Foi um génio, um visionário.

Conheceu-o bem?

Devo-lhe muita coisa na carreira. Mas mesmo que não o conhecesse pessoalmente, vivi na sua época e é um treinador histórico para qualquer um. Ele fez do Boavista o Boavistão e do V. Setúbal uma equipa com nome na Europa que eliminou Inter e Liverpool. Duas equipas do meio da tabela que, de repente, ameaçaram os grandes e até acabaram o campeonato no segundo lugar (o Boavista em 1975- 76, a dois pontos do Benfica, e o V. Setúbal em 1971-72, a dez pontos do Benfica). Sem esquecer o trabalho dele no FC Porto. E sem esquecer que foi ele que me foi buscar ao Montijo e me levou para o Boavista, onde a minha vida desportiva ganhou outra dimensão.

Pois, daí foi para o Salamanca, não foi?

É verdade. Naquela altura as transferências dos jogadores portugueses para o estrangeiro não eram comuns, como agora. A saída era um acontecimento. Tirando as aventuras nos EUA [Eusébio e Toni nos Las Vegas Quicksilvers; Artur Jorge e Costa nos Rochester Lancers; Simões e Malta da Silva nos San José Earthquakes, José Maria no Toronto Metro], havia para aí uns seis na Europa [Humberto Coelho no Paris SG de França, Damas e Quinito no Racing Santander de Espanha, Carlos Alhinho no Racing White da Bélgica, Jordão e Bastos no Saragoça de Espanha]. E depois eu. O Boavista ganhou 12 mil contos do Salamanca pela venda do meu passe. Foi um óptimo negócio para todos.

E o que ganhou em Espanha?

Uma experiência sensacional. A liga espanhola era o campeonato mais charmoso do mundo, porque era o mais aberto aos estrangeiros, ao contrário de Itália, com as fronteiras ainda fechadas pela desastrosa campanha no Mundial-66 [a squadra azzurra foi eliminada na fase de grupos pela Coreia do Norte], e de Inglaterra. Aquilo em Espanha era um campeonato do Mundo domingo sim, domingo sim. Todos os fins-de-semana havia jogos com estrelas deste e daquele país. As equipas estavam bem reforçadas e isso animava qualquer um.

E como foi lá em Salamanca?

Tanta coisa. Na segunda época fui eleito o melhor jogador e também o melhor estrangeiro da Liga pela imprensa local, a "Marca" e "El Mundo Deportivo". Não me lembro agora qual foi o jornal que me designou o quê. Sei, isso sim, que eram classificações acumuladas, com as pontuações dos jornalistas de jornada a jornada, e eu ganhei, com direito a prémio e tudo.

E guardou esses troféus?

Claro. Estão lá na minha casa. Fazem parte da mobília. São uma relíquia. Nessa época fiquei à frente de nomes consagrados como Cruijff (Barcelona), Kempes (Valencia), Luís Pereira (Atlético Madrid), Breitner, Netzer. Eu sei lá.

Disse dois nomes do Real Madrid (Breitner e Netzer), um clube que certa vez (16 de Janeiro de 1977) lhe proporcionou uma alegria ímpar.

Rectifico: uma dupla alegria. Nesse dia, não só nasceu a minha filha como ainda marquei o golo da vitória sobre o Real Madrid no Santiago Bernabéu. E que golo! Um dos melhores da minha carreira. Aliás, nesse dia, estava endiabrado. Emocionado com o nascimento da minha filha, fiz trinta por uma linha, saltei, corri, fintei, defendi, ataquei. Fiz tudo e mais alguma coisa. E o golo. Fui eleito o melhor em campo [nota 4 do "El Mundo Deportivo", de 0 a 5] e o pobre do defesa esquerdo, que se chamava Janssen, teve de ser substituído ao intervalo porque não estava a conseguir impor-se a mim.

Mas então, e o Camacho?

Devia estar lesionado ou suspenso. Sei que nesse dia não jogou. E ainda bem porque na época seguinte calhou-me ser ele a marcar, num outro Real Madrid- -Salamanca, e ai Jesus. O homem era um lateral implacável, daqueles que não dava hipótese. Anos mais tarde, encontrámo--nos em Lisboa, com ele no banco do Benfica, e divertimo-nos a lembrar essas histórias da Liga espanhola dos anos 70.

Deu-se bem em Salamanca, portanto. E no Paris SG?

Entre essas duas aventuras, ainda joguei um ano no Benfica, mas não ganhei nada. Foi o ano do FC Porto. De quem?

Pedroto?

Pois claro. Quem mais? Só ele para me fazer passar um ano no Benfica sem ganhar nada. Foi então que apareceu o Paris SG e contratou-me por um balúrdio [32 mil contos]. Cheguei a Paris com o estatuto de estrela internacional, como o mais bem pago do plantel [50 mil francos por mês, qualquer coisa como 7600 euros]. O presidente deles [Francis Borelli] tinha acabado de me ver em acção na final do Torneio de Paris, em que o Benfica goleou o Estrela Vermelha por 4-0, e queria empurrar o PSG para junto dos grandes do futebol francês e também queria aproximar o clube da comunidade portuguesa em Paris, que vibrava com o PSG, criado apenas em 1970. Mas antes do PSG, o Bordéus estava na jogada. Dois ou três dias depois de saber dessa novidade, e comigo de férias em Roma, recebo um telefonema do tal presidente do PSG a dizer-me isto, aquilo, aqueloutro e lá fui para Paris.

E como foi?

Tenho boas recordações.

Mas então lesionou-se logo no segundo jogo?

Sim, sim, mas isso não invalida que não tenha gostado de ter vivido em Paris, não invalida não ter gostado de partilhar as emoções com os adeptos no Parque dos Príncipes. A lesão marcou-me. No joelho. Na cabeça. E no coração. Mas basta de coisas negativas. Vou contar-lhe uma história: na estreia, em casa, com o Marselha, e o Marselha de Trésor, Six, Linderoth e Temime [que acabaria por descer de divisão], o PSG ganhou 2-1 e eu joguei tão bem que o estádio todo, e falo de 40 mil pessoas [para o jornal "L'Équipe", foram 43 845], entoou o meu nome. Alves, Alves, Alves, até eu desaparecer no túnel de acesso aos balneários. Que coisa maravilhosa! Nessa semana fui eleito para a equipa da jornada, ao lado de um tal Platini, do Saint-Etienne. Os franceses sempre gostaram de médios ofensivos, com gosto pelo passe, pelo risco, pelo golo.

E no segundo jogo...

Em Sochaux sofri uma falta do Genghini, que me partiu todo em três sítios. Fui levado de helicóptero para Paris e fui operado duas vezes num curto período de tempo. Não houve maldade do Genghini, mas fiquei de fora dos relvados por cinco meses. Quando voltei, em Janeiro de 1980, já não era o mesmo.

Guarda rancor do Genghini?

Não. O Genghini ligou-me muitas vezes para o quarto do hospital a saber como estava e acompanhou a minha recuperação. Foi um lance fortuito, pronto. O árbitro é que nem assinalou falta, quanto mais mostrar um cartão, fosse de que cor. O lance foi bastante mediatizado, as televisões davam o lance da falta vezes sem conta e tornou-se caso nacional. Por isso, o árbitro foi irradiado. Sabe o que aconteceu?

Não. O quê?

Em Metz, já nos anos 90, quando eu já era treinador do Estrela e fomos participar num torneio indoor, daqueles de Inverno, quando acabou o jogo, uma pessoa veio ter comigo a pedir-me desculpa por não ter assinalado falta nem ter mostrado o cartão. Era ele, o árbitro. Foi um gesto nobre e corajoso da sua parte que muito me emocionou.

Por falar em emoções, a sua imagem estará sempre relacionada com as luvas pretas, tradição do seu avô, Carlos Alves.

Que sentimentos guarda dessa relação familiar?

São coisas inexplicáveis. De certa forma, fui educado por ele. No futebol. E também na vida. Os meus avós acompanharam-me sempre, tal como os meus pais, mas o meu avô incutiu-me o valor e o prazer do futebol. No final dos anos 60, o meu avô treinava a Sanjoanense e inscreveu-me no plantel dessa equipa porque eu tinha um certo jeito para a coisa.

Mas como é que a tradição das luvas pretas começaram?

Com esse meu avô, um dos grandes futebolistas da sua geração, com presença assídua na selecção, célebre por ter chegado aos quartos-de-final dos Jogos Olímpicos-28, em Amesterdão. Ele, na altura, jogava no Carcavelinhos quando foi jogar com o Benfica. Momentos antes, uma menina aproximou-se dele e pediu--lhe que jogasse com as suas luvas pretas calçadas. Ele, que era defesa, explicou-lhe que não poderia satisfazer o seu pedido, pois o futebol e o jogo em questão eram assuntos demasiado sérios para estas brincadeiras. A menina calou-se mas não desistiu. Ao intervalo, com o Benfica em vantagem, o meu avô descobriu dentro dos bolsos dos seus calções o pequeno par de luvas pretas que ela ali colocara sem autorização. O meu avô calçou então as luvas e começou a segunda parte. E não é que o Carcavelinhos deu a volta e ganhou jogo. A partir daí, o meu avô jogou sempre com as luvas.

E você?

Sempre tive receio, medo, de usar as luvas. Coisa de crianças, adolescentes. Sei lá, nunca me senti à vontade para usá-las. Mas a morte do meu avô mexeu comigo e o seu último pedido foi que a tradição das luvas passasse para mim. Dito e feito. Dois dias depois da morte do meu avô, a 14 de Novembro de 1970, num Malveira-Benfica (0-4), para o campeonato nacional de juniores, prestei homenagem ao meu avô. E decidi ser sempre assim.

Alguma vez marcou com a mão?

Não.

Algum árbitro chateou-o por usar as luvas?

Nenhum.

E agora?

Agora, vejo luvas por todo o lado, sobretudo no Inverno. Eu vestia-as em qualquer altura do ano.

Até na selecção?

Sim. E sabe quem me lançou?

Vou tentar adivinhar. A sua carreira é Pedroto, Pedroto e mais Pedroto. Portanto, Pedroto...

Bolas, já não se pode dar novidades a ninguém.

Acumulou 32 jogos, mas não jogou nenhuma grande prova. Como é que explica?

Não quero entrar por aí. Olhe, não vale a pena. Eram outros tempos, em que os jogadores do Sporting e do Benfica eram mal recebidos lá em cima, no Porto. Éramos cuspidos e insultados pelos adeptos nos treinos, nos jogos. A estrutura da federação também não funcionava por aí além. E os jogadores eram de uma qualidade fantástica. É só enumerar: Bento, Humberto Coelho, Jordão, Nené e outros, muitos outros. Mas a mentalidade desses tempos era uma coisa... Nem vale a pena ir mais além.

E vale a pena ir mais além para tentar saber o que aconteceu na véspera da final da Taça UEFA-83?

[ri-se] É pá, você também... Pois, eu e o Eriksson é uma história antiga. Eu não joguei a final com o Anderlecht. Porquê? Nunca soube. Posso tentar adivinhar. Na meia-final, em Craiova (Roménia), fiz um teste físico e não estava em condições de jogar. O Eriksson colocou então o Strömberg e foi com ele até à final. Ou será que ele pensou que eu estivesse a fazer fita? Num treino, depois disso, eu e ele discutimos mas uma coisa normal, sem história e até própria da tensão da proximidade de uma final europeia. Destas três... Mas tem de ser o Eriksson a escolher porque eu não sei o que passou para não jogar a final de início [Alves não foi utilizado em Bruxelas e só entrou aos 62' na Luz].

Você e o Eriksson a discutirem num treino? Mas ele não era um paz de alma?

Sim, era. Eu é que era cá uma peste. Do pior. Fui melhorando com o tempo.

Quando levantou a Taça de Portugal em 1990, pelo Estrela da Amadora, já era mais calmo?

Ah, sim, bastante mais calmo. Mais até que o treinador adversário.

Imagino... Também comparar-se com o Paco Fortes é...

Bem sei, bem sei. Ele estava sempre eléctrico, aos pulos, com a cara vermelha de tanto barafustar, mas era competentíssimo. Sabe que cheguei a defrontá-lo como jogador, em Espanha? Eu no Salamanca, ele no Barcelona.

Ele é mais eléctrico do que o Luis Fernández [o histérico treinador de Israel, que começou a jogar futebol aos 19 anos, no PSG, com Alves]

São muito parecidos, de facto. O Luis ainda é um grande amigo meu. Telefona- -me com frequência a perguntar por jogadores portugueses. Demo-nos muito bem em Paris, porque ele era novo, queria aprender, pedia-me conselhos e era um bom ouvinte.

Fonte: I

sexta-feira, 14 de maio de 2010

Blogobola

Jorge Honório Campeão!



Jorge Honório

André Amante

João Nunes

Mais vitórias semanais:
Jorge Honório (13)

Maior série de vitórias semanais:
João Nunes e Jorge Honório (4)

Mais pontos numa semana:
Jorge Honório (13)

Resultados Blogobola

Esta semana o vencedor semanal por parte da moderação foi João Nunes com 9 pontos. Por parte dos users, Tiago SCP e Amante foram os vencedores semanais ambos com 9 pontos. Este foi o último Blogobola da época, mas voltará em breve com novidades.

Jorge Jesus renova por mais duas épocas

VINCULADO AO BENFICA ATÉ JUNHO DE 2013

Jorge Jesus renovou contrato com o Benfica por mais duas temporadas, ficando assim vinculado ao clube da Luz até ao final da época de 2013, comunicaram os encarnados a Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

A SAD benfiquista acionou a cláusula de opção até 2012, conseguindo ainda o acordo com o técnico para renovar por outra temporada.


Eis o comunicado na íntegra:

"A Sport Lisboa e Benfica - Futebol, SAD, em cumprimento do disposto no artigo 248.º do Código dos Valores Mobiliários, vem informar que acabou de formalizar acordo para prolongar o contrato de trabalho desportivo celebrado com o seu treinador Jorge Fernando Pinheiro de Jesus, por mais duas épocas desportivas, ou seja, até 30 de Junho de 2013."

Fonte: Record