terça-feira, 29 de setembro de 2009

Canto Curto

"Quem semeia ventos colhe tempestades"

Foi exactamente isto que aconteceu ao Sporting de Paulo Bento. Apesar do treinador Leonino não ter alimentado polémicas durante a semana que antecedeu o clássico, não pode vir a público falar em nome do Sporting. Foi notório em todos os dias da semana anterior que o Sporting se concentrou mais na nomeação de Duarte Gomes, que propriamente no jogo. Aliás, um senhor que por ventura até é presidente da A.G., não se coibiu de vir a público acusar as autoridades competentes pelo sorteio do árbitro para a partida. Indo mais longe até, muitos dos jogadores do plantel Leonino vieram a público lançar mensagens para Duarte Gomes. Entre eles, o jovem Daniel Carriço, e digo jovem no sentido que nem deveria andar já nestas andanças.
Enfim, o que se seguiu foi o jogo. Jogo esse onde Duarte Gomes errou. Natural! Face ao “circo” montado antes do espectáculo.
Pior foi ainda a reacção de Paulo Bento perto do fim do jogo, imagens que já começam a enjoar por parte do treinador leonino.
Eu hoje prometo ser breve, até porque já falei sobre isto na passada sexta feira. Mas para mim a única solução é proibir completamente os agentes desportivos de falar sobre árbitros. E quem se arriscar a isso, ser severamente punido.
Já estamos um pouco fartos dos constantes dois jogos aplicados a Paulo bento quando as situações são repetitivas. É certo que o técnico dos leões tem razões de queixa, mas não pode reagir como lhe dá na real gana. Eu diria que isto até parece mais influências do director desportivo que se senta ao lado dele.
Por outro lado, Paulo Bento não poderá acusar o árbitro da partida de ter colocado Polga em campo, nem muito menos Grimi que não jogava há sete meses. Esses erros técnicos, sim, Paulo Bento deveria autocriticar-se severamente, da mesma forma que o faz com os árbitros. Neste campo, PB deveria ter aprendido um pouco, com um treinador muito limitado que por cá parou no ano passado, mas que em termos de respeito pelos outros, ninguém lhe pode apontar o dedo!
Eu acabo indo mais longe, para mim um Paulo Bento de boca fechada, seria um treinador com potencial na Europa do futebol. Mas um Paulo Bento de boca aberta nivela-se pelas distritais. Sem menosprezo pelas distritais, porque lá já encontrei “misters” com uma dicção muito melhor que a do treinador dos Leões…

João Vasco Nunes

1 comentário:

mp disse...

E distritais femininas? Aí é que se encontram "misters" com boa dicção...
Pois é, o nosso futebol basei-se em polemicas em torno das arbitragens! É triste... Poderiamos estar a discutir a glamorosa marrada da nossa "ave de rapina" (Falcão, eheh), a quase, ou perfeita de mais, marrada do Postiga (esse grande jogador) ou simplesmente o número de enterradelas do Polga... Mas não, o que tiramos desse jogo são, mais uma vez, os casos de arbitragem! Eu acho que isso já esta vincado na nossa cultura desportiva! Parece que quando não há argumentos técnicos ou tacticos, esperamos que em algum lançe o arbito dê uma mãozinha! Como todos sabemos, temos excelentes mergulhadores no nosso campeonato, que ao entrarem na grande área preocupam-se mais em cair, não é Aimar? Basta comparar-mos os jogos do nosso campeonato aos jogos de outras ligas, como é a liga inglesa ou italiana onde os jogos são mais intensos.
Em relação às arbitragens haverá sempre probemas, pois não será ao agrado de todos o arbito X ir apitar o jogo Y!
O sorteio dos arbitos não servia, era um sistema retrogada, então e as nomeações, serão melhores? É a questão que deixo!
Para acabar com as intimidações ou qualquer tipo de pressões aos arbitos, estes deviam ser apenas apresentados no momento dos jogos, tipo, entravam no campo e só apartir desse momento é as equipas sabia quem iria ser o arbito!